Praça João Maria heavy metal

Praça João Maria recebeu o heavy metal

Um dos pontos mais conhecidos do Grande Ponto, a Praça João Maria foi palco do show de três bandas de heavy metal, diferentemente do que acontece durante o dia. Como assim? Nas manhãs, a estátua com o padre recebe fitas e velas com promessas de fiéis em nome do milagre. Mas, na quarta-feira (27), ele recebeu os fãs da música extrema.

Primeiramente, a ideia veio do grupo Xaninho Discos que chamou três bandas para que pudessem tocar: Ìsinkú, Manger Cadavere e Hellway Patrol. A primeira é natural do Rio Grande do Norte e as outras são de São Paulo e Paraná, respectivamente.

A ideia de fazer com que a Praça João Maria recebesse apresentações de heavy metal teve a finalidade de ressignificar o espaço. Principalmente daqueles que ficam próximos do Beco da Lama, dado que nos últimos anos recebeu as mais diversas atividades de revitalização, como a criação de um painel de graffiti.

Para mostrar como foi o evento, o fotógrafo Carlos Leandro, da Undervisual Produtora, deu uma brechada no evento. Teve o apoio da Sopa Vegan, que distribui sopas para as comunidades carentes da zona Leste de Natal. E ainda conta com o Garagem de Rua, conhecida por organizar shows de rock na zona Norte.

Nesses 7 anos de Brechando eu digo que não tenho obrigação de priorizar

“Você tem que priorizar uma atividade importante?”, disse uma reunião de trabalho que deu problema após as minhas atividades se cruzarem e a resposta sobre essa frase só surgiu hoje. O 1º de agosto é um dia especial na minha vida, pois completa 7 anos que postei pela primeira vez no Brechando. Ou seja, ele é aniversário do site. Hoje, podemos dizer, com muita prioridade, que já chegamos longe. Além disso, passei por problemas no site e normalmente cansei de escutar que eu poderia priorizar um trabalho específico para poder crescer pessoalmente.

Hoje, posso dizer que eu não tenho a obrigação, pois criar um site de jornalismo com quase três milhões de visualizações me alcançou muitos voos e consegui desfrutar várias ações profissionais, como começar como social media, fazer especializações e atuar como publicitária, inclusive inserir neste antigo trabalho. Também despertou o meu lado empreendedora.

Às vezes é difícil conciliar e fazer uma gestão de tempo, muitas vezes os compromissos podem chocar. Ficar desesperada, ansiosa ou a galera ficar bem antipática por conta disso. Confie na sua atividade e que dias ruins vão acontecer e anote o que está bagunçando para que possa reorganizar.

Infeliz ou felizmente, isto somente acontece pelo motivo dos profissionais de comunicação estão acumulando as atividades. A galera está procurando os mais trabalhos para poder conseguir ser um pouquinho independente. E esse ser independente custa caro.

Mesmo que você saiba técnicas do jornalismo e da publicidade, procure estudar mais e se envolver mais com as novas organizações, parcelando mais coisas. Sem contar que conhecimentos de administração nunca é demais.

Não dá para desistir do jornalismo e muito menos da publicidade

E o mais importante que me faz continuar com o Brechando é não desistir do jornalismo, sempre sou incentivada a procurar mais coisas, captar mais histórias de Natal que estão vivas e também aderir aos novos projetos que o jornalismo.

Não vejo que o jornalismo está morto, se regenerou. Hoje, existem outras oportunidades que possam trabalhar pesquisa, entrevista e reportagem. Tem infográficos, fact checking, reportagens em portais de notícias, canais de aplicativo e inúmeros meios de comunicação novos e os antigos também estão unindo para que as redes se torna uma coisa só.

Agora é o momento de pensar e refletir para que novos sete anos continue.