Danuza D'Sales

Precisamos falar de Danuza D’ Sales no dia do orgulho LGBT

Artistas Potiguares
Compartilhe:

O dia 28 de junho comemora-se o dia do Orgulho Internacional LGBT. No Brasil, neste mês, rolou a parada em São Paulo, considerada anualmente a maior do Brasil. Para selecionar uma personalidade potiguar, nós escolhemos falar de Danuza D’Sales.

Se hoje existe Kaya Conky, temos que relembrar o pioneirismo de Danuza e será neste post.

Danuza é personagem de José Arruda Sales, que nasceu em 1955 no Engenho Mipibu. Hoje fica a cidade de São José de Mipibu, município da grande Natal. Além disso, a mudança para a capital ocorreu em 1964, para estudar e neste período começou a participar de peças, assim nascendo o lado artístico.

Uma das primeiras Drags famosas no RN

Ela animava a cidade de Natal desde o final da década de 1970, através das casas de shows da Ribeira e Cidade Alta. Primeiro, ela ficou famosa no Café Teatro, bar que aconteciam regularmente apresentações de artistas da cultura LGBTQIA+.

Além disso, lembra-se do seu pioneirismo na arte do transformismo em Natal, uma vez que Arruda Sales viu seu personagem mais famoso estourar nas rádios potiguares durante as décadas de 1980 e 1990.

Ainda na década de 80, comandou o Frenesi Café Teatro, na Ribeira, no início dos anos 80, onde hoje fica o prédio da “A Samaritana”.

Além disso, ela era uma figura constante em bailes de carnaval, como a Kengas, que estimulou o trabalho das mais variadas drags.

A drag Danuza era conhecida pelas caras e bocas, e uma linguagem escrachada, sempre de bem com o riso. Nas rádios ia montada para se apresentar; Ainda mais participou do curta-metragem, “Verde Limão”, de Henrique Arruda, no qual disponibilizou acervo pessoal e também foi uma das poucas participações no cinema.

Dizia que conseguia se arrumar em 20 minutos, mesmo com pouca iluminação.

Arte reconhecida na Europa

Também reconhecido no Brasil e no exterior pelo trabalho de artista plástico, especializado na Arte Naif, que relembrava os tempos que vivia em Mipibu. Sua arte fez com que ficasse temporadas em países da Europa, como Portugal.

Sua morte aconteceu há 3 anos

O artista plástico e performer Arruda Sales, 64 anos, morreu em 2019, após ter sido vítima de infarto.

Sabia de sua história? Deixe aqui, portanto, o seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *