Zé Gotão

Natal tem um Zé Gotão

Já tivemos o Goku Natalense, o Rambo, o Boy da Praia e agora entra mais um personagem no rol da história de Natal: o Zé Gotinha Bombado, também conhecido como Zé Gotão. Esqueça a imagem fofa de uma gota gordinha estimulando as pessoas a tomarem vacina para se proteger de doenças. Agora, ele é forte e musculoso, que vai derrotar bactérias e vírus com apenas um soco.

Além disso, o mascote em questão apareceu pela primeira vez no RN TV 1ª edição, quando houve um link de reportagem no Ginásio Nélio Dias. O espaço é um dos postos de vacinação do combate contra o Covid-19 e também da Gripe, uma vez que o inverno está chegando em Natal. Mas, rapidamente o Zé Gotinha entrou em repercussão local rapidamente.

Ao mesmo tempo, o Zé Gotão começou a virar comentários no Twitter, no qual selecionei alguns a seguir.

Recentemente, veio uma entrevista do mesmo jornal revelando a identidade do Zé Gotinha

Afinal, quem é Zé Gotão?

O Zé Gotão é o funcionário público Ednaldo (Naldinho) Santos, que trabalha como Agente Comunitário de Saúde no posto de Vista Verde. Mas, ele têm várias profissões, que nem o boneco Max Steel. Além disso, ele ainda é preparador físico, sendo supervisor de uma das academias da cidade, e ainda é cirurgião-dentista.

Aqui tem algumas fotos, portanto, para mostrar seu cotidiano com a saúde.

Coluna Capitolina

Um vídeo sobre a entrega da Coluna Capitolina

A Coluna Capitolina foi um monumento italiano de mármore em quem eventualmente era uma forma de presente da Itália pela passagem de dois pilotos para a terra natalense. É considerado polêmico. Por quê? A doação se deu por meio do Benito Mussolini, visto que na época era o líder da Itália e criador do regime totalitário chamado fascismo. Junto com o nazismo foi um dos estopins para a realização da Segunda Guerra Mundial.

Hoje a coluna no Instituto Histórico Geográfico e ele não antigamente ele ficava em praça pública. Então para proteger esse monumento colocaram no Instituto Histórico e Geográfico do RN.

O que é essa coluna e o porquê da entrega

Após o voo histórico, o primeiro sem escalas entre a Europa e América do Sul, realizado pelo pilotos Arturo Ferrarin e Carlo del Prete, o ministro da aeronáutica italiana Ítalo Balbo traz para Natal uma coluna retirada do templo de Júpiter. Era uma forma de agradecer a recepção que a cidade esteve com os italianos que arriscaram sua vida.

A coluna Capitolina inaugurou em 8 de janeiro de 1931. Além disso, veio a bordo do navio ”Lanzeroto Mlocello”, que participou do apoio à primeira travessia aérea do Atlântico Sul feita por um esquadrão. Além disso, o bispo dom Marcolino Dantas realizou uma missa campal para celebrar a chegada deste monumento no cais do porto de Natal.

A Coluna Capitolina tem 5,80 metros de altura, apoiada numa base com cerca de 3 metros quadrados. É de mármore cinza e ainda mais continha duas placas escritas em italiano.

Um vídeo contando sobre a sua história

Recentemente eu achei um vídeo que mostra como enviaram a coluna e eu vou colocar abaixo pra vocês assistirem melhor. O vídeo foi postado por Leonardo Dantas, jornalista e pesquisador da Segunda Guerra Mundial, que traz um filme falando da história e publicado na década de 30, período que a obra foi entregue.

Confira e dê o play.