Bretinder

Fizemos uma live especial de Dia dos Namorados

O próximo domingo (12) é o Dia dos Namorados. Como todo ano, o Brechando faz alguma matéria especial para comemorar esta data. E, ressuscitamos, a brincadeira do Bretinder, que é o Brechando + Tinder. A intenção é criar um correio elegante para as pessoas se declararem no Dia dos Namorados. A primeira edição aconteceu em 2020 e repetimos em 2022.

Esse correio elegante foi postado inicialmente neste post aqui.

A live de Dia dos Namorados aconteceu nesta sexta-feira (10), onde não só apresentamos declarações de amores, como também traduções simultâneas nos tempos de rádio.

Para ver a live completa é só dá o play a seguir:

Natal fisheye

Natal aos olhos de uma lente fisheye

Gosta de fotografias? Hoje, nós vamos mostrar as fotografias. Primeiramente, o efeito olho de peixe é produzido por uma fisheye. Além disso, produz efeitos distorcidos na borda da fotografia.

É como se a imagem que vemos estivesse presa dentro de uma bola de vidro. Essa era intenção ao fotografar Natal com uma lente fisheye. Durante o fim de tarde, fiquei fotografando por mais de uma hora alguns lugares de Natal aos olhos nesta lente. Além da vantagem de trazer uma fotografia bem diferente, também mostra a cidade a partir de outras visões. A inspiração foi a prática da lomografia, que ajudou a ressuscitar o uso das câmeras analógicas na Europa, durante a década de 90.

Os lugares que fotografei de Natal com uma lente fisheye inclui Mãe Luiza, Areia Preta, Ponta Negra, Via Costeira e o Midway Mall. No entanto, eu não usei as minhas câmeras analógicas, sendo que utilizei uma lente fisheye para as câmeras de celulares e traz um efeito magnífico.

O resultado, portanto, você pode ver a seguir.

K-Ximbinho

Explicando K-Ximbinho em infográfico

Chiquinha Gonzaga e Pixinguinha são alguns dos músicos de chorinho mais conhecidos no país, mas não podemos esquecer um importante artista potiguar deste gênero, o K-Ximbinho, mais precisamente da cidade de Taipu. Segundo o maestro Paulo Moura, K-Ximbinho foi “o mais original dentre os instrumentistas que se dedicaram à orquestra popular urbana”. Dedicou-se ao “jazz”, ao choro e ao conjunto regional. O nome dele é Sebastião Barros, nascido no ano de 1917. Começou desde jovem a estudar clarinete e frequentou a banda marcial da cidade. Depois, ele se juntou a família para morar na capital potiguar, onde criou uma banda de Jazz e também da banda do Exército. Além disso, em 2009, foi homenageado pelo grupo Flautistas da Pro Arte com o espetáculo “K-Ximbinho – Um mestre do sopro” em espetáculos apresentados no Teatro Municipal do Jockey, na Sala Baden Powel e no Jardim Botânico, todos no Rio de Janeiro. Na ocasião foram apresentadas suas obras “Sonoroso”, “Mais uma vez” e “Sonhando”, todas com Del Loro; “Tô sempre aí”; “Ternura”; “Simoninha na Barra”; “Tudo passa”; “Sempre”; “Velhos companheiros”; “Auto-plágio”; “Eu quero é sossego”, com Hianto de Almeida; “Teleguiado” e “Catita”. Em 2010, as gravações dos choros “Sonoroso”, “Meiguice” e “Mais uma vez”, com Del Loro, na interpretação da Orquestra Tabajara, foram incluídas no CD 4 da coletânea “Chorinho do Brasil – Vol. 2” da Warner Music. Hoje a Travessa Pax recebe o nome de “Espaço Cultural K-Ximbinho”, no qual reúne eventualmente apresentações de choro. Clique na imagem abaixo para saber mais dele neste infográfico.