Natal cortes transporte público
Cidades Utilidade Pública

Moradores de Natal protestam contra os cortes no transporte público

Compartilhe:

A jornalista Louise Chacon foi ao protesto em Natal contra os cortes no transporte público e entrevistou entidades estudantis sobre o prejuízo que a falta de transporte traz aos universitários e estudantes do ensino básico.

Secundaristas e universitários se uniram aos trabalhadores nesta quinta (05), em Natal para denunciar o descaso do atual prefeito Álvaro Dias (Podemos) com o transporte público na capital. Eles saíram do campus central da UFRN em direção à parada do circular da Universidade. As principais pautas defendidas foi o retorno de 100% da frota dos ônibus na cidade. Além disso, inclui na pauta o passe livre e a estatização do serviço de transporte coletivo em Natal e região.

O que um estudante de Natal pensa sobre os cortes no transporte público

Estiveram presentes a União da Juventude Rebelião (UJR), o Movimento de luta nos bairros, vilas e favelas (MLB) e as demais forças que constroem a Unidade Popular pelo Socialismo (UP).

“Negar o direito ao transporte é negar o acesso à educação. Muitos estudantes não moram perto de onde estudam, e muitas vezes precisam faltar às aulas porque não têm dinheiro para pagar a tarifa do ônibus. Então a maior dificuldade enfrentada hoje por esses estudantes é chegar na sala de aula”, comentou Lorran Silva. Ele é coordenador geral do DCE José Silton Pinheiro e também militante do Movimento Correnteza.

Em Natal, os cortes no transporte público surgiu na pandemia+

A diminuição da frota de ônibus em Natal se deu com o início da pandemia da Covid-19. No entanto, mesmo com o retorno das aulas presenciais dos estudantes e da maioria das atividades dos trabalhadores, a força do transporte público segue em somente 50%.

Natal cortes transporte público
Como resultado, os cortes provocam ônibus lotados e sem acesso aos lugares importantes da cidade (Fotos: Louise Chacon)

Negando na Justiça

Vale lembrar que no último dia 14 o TJ-RN (Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte), determinou que a Prefeitura de Natal retomasse 100% da frota de ônibus. Entretanto, a decisão ainda não respeitada pelo prefeito Álvaro Dias e pela Seturn (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos).

“Para resolver a questão do transporte público, defendemos que o nosso direito de ir e vir não seja tratado como uma mercadoria. Não podemos colocar esse direito nas mãos dos empresários, que querem sempre lucrar, e não garantir uma mobilidade urbana boa de fato. Temos que pensar numa empresa pública de transporte urbano”, afirmou Samara Martins, vice-presidenta nacional da Unidade Popular (UP).

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *