Monte Belo Neópolis

Alto do Monte Belo de Neópolis cada vez mais colorido

brechadas Cidades Curiosidades
Compartilhe:

Não se engane se existem aglomerações sem planejamento, conhecidas como favelas. Primeiramente, temos mais de 30 comunidades espalhadas em todas as quatro zonas Urbanas, inclusive a Sul. Além disso, no bairro de Neópolis, por exemplo, existe a ocupação de três morros que ficam próximos de uns aos outros, os mais famosos são o Alto do Monte Belo e Morro do Flamengo.

*Informações atualizadas no dia 03/05, as 21h22.

Mesmo que o acesso de carro seja difícil, as pessoas estavam dispostas a me orientar e chegar no Quilombo Flor de Milho, idealizado por uma potiguar chamada Stéphanie Moreira.

Sté também é idealizadora da empresa Negro Charme e quer que mais mulheres consigam ser empreendedoras, criativas e empoderadas sem precisar sair de casa.

Sobre o Quilombo Flor de Milho

Com sede na Bahia e no Rio Grande do Norte, o Flor de Milho Quilombo de Artes busca o fortalecimento individual e coletivo através das trocas de saberes, seguindo princípios de ação política guiados pelo afeto, cuidado e acolhimento.

Ainda era cineminha

Durante maio haverá exibição de filmes, sendo a primeira sessão aconteceu nesta segunda (2). Além disso, o restante haverá entre os dias 04, 06 e 07/05. As exibições acontecerão na rua Maestro Tom Jobim, Neópolis.

Cores do Beco no Monte Belo em Neópolis

No último domingo (1), no Dia do Trabalhador, aconteceu o projeto chamado Cores do Beco, que surgiu na pandemia do novo Covid-19. Além de incentivar a colorir a frente das casas, sem contar com oficinas de leitura, filmes e  ainda mais incentivou a criar espaços de convivência. A intenção, no entanto, é não só acontecer no Monte Belo, mas também em outras comunidades de Natal.

O I Festival de Arte Urbana Cores do Beco surgiu no ano de 2021. Durante a pandemia da Covid-19. Além disso, uma resposta ao contexto de isolamento social e seu impacto nas comunidades periféricas onde, na maioria das vezes, a rua continuou sendo um lugar de convivência e socialização entre vizinhos.

“Na impossibilidade de acessar o restante da cidade e, em algumas situações, de manter-se o dia todo dentro das casas, sentimos a necessidade de trazer a sensação de alegria. A partir da visualidade. Na primeira edição conseguimos recuperar a pintura das fachadas de 16 casas, das quais 7 receberam intervenções artísticas. Produzimos também dois murais artísticos retratando a infância e as imagens do nosso cotidiano”, revela Cláudia Moreira, moradora que apoia o projeto.

E podemos dizer que as artes do Alto do Monte Belo em Neópolis ficaram muito lindas.  Aqui selecionei algumas fotos que fiz durante a intervenção artística. Confira, então, a seguir.

Sabia desta comunidade? Deixe aqui, portanto, o seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.