19 19America/Bahia outubro 19America/Bahia 2021 – Brechando

Um leão grafitado no prédio da ZS de Natal

leão grafitado ZS Natal

A gente sabe que a reforma de um prédio residencial é importante, pois ajuda a valorização do apartamento e você pode vender pelo preço maior que comprou. Como resultado, saindo do lucro. Geralmente, prédios antigos não são pastilhados. Ou seja, não recebe ladrilhos. Eles são levantados tijolo por tijolo e depois recebem apenas um revestimento.

Entretanto, a falta de manutenção e as ações do tempo podem gerar mofo, rachaduras e outros problemas. Existe um prédio em Natal que resolveu fazer uma ampla reforma, no qual pintou toda a sua estrutura e, para chamar atenção, resolveu utilizar as paredes como um grande mural colorido. Então, eles contrataram um grupo de grafiteiros, no qual há alguns dias pintaram um gigante leão e todo colorido.

Agora há um leão grafitado na ZS de Natal, apelido carinhoso para zona Sul. É bonito e colorido, feito por um coletivo de artistas. 

A pintura acima chama tanto atenção que as pessoas param a Avenida Miguel Castro, no bairro de Lagoa Nova, quando o sinal fica vermelho para registrar o trabalho. Assim, deixa a cidade mais colorida, prédio recebendo um novo significado e, por fim, mais uma cruiosidade de Natal para chamar de nossa.

A seguir, portanto, a evolução do prédio nos últimos anos.

 

Um pouco mais sobre esse prédio do leão grafitado na ZS de Natal

 

 

No cruzamento da avenida Miguel Castro com a Romualdo Galvão existe o Edifício Dom Luiz, que foi fundado em 1992 e tem quase 30 anos de funcionamento. Ele tem quatro pavimentos, uma vaga na garagem e os apartamentos tem dois quartos com área de 70 metros quadrados. Todos esses dados pesquisei em anúncios de aluguel e venda de imóveis.

 

 

Prédios antigos de Natal utilizavam artistas para fazer fachadas

 

 

O graffiti do edifício Dom Luiz lembrou de um outro prédio que fica entre a Cidade Alta e Petrópolis. O edifício Riomar estão com suas paredes o registro de Jordão. Por falar no edifício, na avenida Deodoro da Fonseca, este é o painel de concreto da América Latina. Na época, ele fez em parceria com o artista Munduco, onde eles fizeram a arte apenas usando cordas ou pendurados no ferro do guarda-corpo do prédio.

 

 

Para saber mais do artista e ver a foto do prédio mencionado, clique aqui.

Um cantor chamado Juno para você conhecer

Juno

Pesquisando na internet a palavra Juno significa “juventude”, “rainha dos deuses” ou “aquela que nasceu em junho”. Juno é um nome de origem mitológica, que se originou a partir do latim Iuno ou iuvenes, que pode ser traduzido como “juventude”. Em comparação com a mitologia grega, Juno era equivalente à deusa Hera. Para quem não sabe, esta deusa era a mulher de Zeus. Também madrasta de Hércules, no qual ela tentou lhe matar de diversas formas. Além disso, botava as amantes do principal deus grego para correr. Assim como a sua xará da Grécia, o artista Juno quer assombrar aqueles que te perturbam, sendo que de uma forma diferente, através da música.

Junto ou “Apenas Juno” é um alter ego do publicitário e multiartista potiguar Jonathan Souto. Torna-se parte dominante, destruindo os limites entre personagem e vida real. Recentemente, no entanto, lançou primeiro single no início de outubro.

Agora vamos falar do single do Juno

A música intitula-se “Mais aceso que o diabo”, no qual o artista se inspirou no texto “O Círculo de Giz Caucasiano” do autor alemão Bertolt Brecht.  A canção trata principalmente do desejo puramente carnal entre duas pessoas e o amor vivido à distância, temática mais do que presente na atualidade.

Para quem não sabe, Bretch revolucionou a teoria e a prática da dramaturgia e da encenação, mudou completamente a função e o sentido social do teatro, usando-o como arma de consciencialização e politização. Como resultado, ele utilizou pautas progressistas nos palcos, colocando a Alemanha Nazista de cabelo em pé.

Juno ou Apenas Juno

Além do texto de Brecht, o artista inspirou-se também no expressionismo alemão, passando por trabalhos cinematográficos como Nosferatu e Gabinete do Doutor Caligari. Como resultado, transforma-se na bagagem que serve como referencial estético para todo o teor poético e visual do single.

Nosferatu é um clássico do terror alemão, no qual o corretor de imóveis Hutter precisa vender um castelo cujo proprietário é o excêntrico conde Graf Orlock. O conde, na verdade, é um vampiro milenar que espalha o terror na região de Bremen, na Alemanha e se interessa por Ellen, a mulher de Hutter. Ou seja, utilizando elementos do trash, terror e tudo que é considerado profano, o Juno está curtindo.

Mas, será que o clipe realmente está ligado? Pelas fotos de Ian Rassari mostra que sim, mas a música na íntegra você ver aqui.

Questão LGBT de Juno

Ao mesmo tempo que a letra cria um paralelo entre o ato sexual como um rito que beira uma espécie de possessão, tudo é descrito com a delicadeza necessária e detalhes tão interessantes quanto instigantes. Ao longo dos 3 minutos a canção cria paralelos entre o espiritual e o carnal, brincando com desejo e sensualidade de forma tão natural a ponto de imergir em um universo livre de tabus, julgamentos ou preconceitos, pautas que costuram episódios de toda uma vida quando se é um artista parte da comunidade LGBTQIA+.

Qual a cidade potiguar com menor número de habitantes

cidade potiguar menor habitantes

A gente sabe que as maiores cidades do Rio Grande do Norte são, respectivamente, Natal, Mossoró e Parnamirim. Entretanto, qual a cidade potiguar com menor número de habitantes? O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem eventualmente essa resposta e divulgou para imprensa esses dados há algum tempo. Um dos sites que publicou essa curiosidade foi o G1, no ano de 2012, uma vez que mostrou que os três municípios com a menor população do estado tem apenas 23 mil habitantes.

O menos povoado município do RN é Viçosa, com uma estimativa de 1.633 habitantes e fica na região Oeste do estado. É pouco mais distante de 300 quilômetros da capital. O segundo menor é Ipueira, no Seridó potiguar, com uma estimativa populacional de 2.104 habitantes. O terceiro menor é Monte das Gameleiras, próximo da cidade de Passa e Fica, que segundo o IBGE, possui 2.219 pessoas. Hoje, Monte das Gameleiras é conhecida no turismo pelas serras e por ser próximo da Pedra da Boca.

Uma outra peculiaridade de Viçosa (foto acima) é que a cidade também tem uma das menores áreas territoriais das cidades potiguares. Mais precisamente está na quarta posição, uma vez que tem 37 quilômetros quadrados de área, correspondendo, portanto, a 0,07% do RN.

Uma curiosidade é que a população estadual chegou na marca dos 3.506.853 habitantes em 2019.

Um pouco mais sobre Viçosa

A história de Viçosa se inicia no século XIX, a partir de 1841, com uma fazenda de criação de gado às margens do riacho Forquilha. Entretanto, o seu povoamento aconteceu no século XX, com a chegada de agricultores.

Em 28 de dezembro de 1963, Viçosa deixa de ser povoado e se torna um novo município, desmembrado de Portalegre, através da lei estadual n° 3 045, sancionada pelo governador Aluízio Alves. A instalação do município aconteceu em 9 de janeiro de 1964 com a posse do primeiro prefeito, Silvestre Gomes Pinto.

Uma das versões acerca da etimologia do nome do município afirma que o nome “Viçosa” veio a partir do juiz de direito de Olinda, Miguel Carlos Caldeira de Pina Castelo Branco. Ao subir a serra de Portalegre, sentiu-se encantado com as paisagens locais e, por fim, afirmou: “Outra Viçosa”, em alusão à vila portuguesa homônima, residência dos Duques de Bragança

“Cancelaram meu jantar”, uma peça para assistir no Zoom

peça zoom

A pandemia, apesar de toda a desgraça que provocou em nossa vida, criou novos experimentos e sensações. Uma delas éa assistir peças a partir da tela do computador. Não estou falando de ver no Youtube, mas pelos aplicativos de videochamada. O espetáculo “Cancelaram meu Jantar” estreia este mês na plataforma de conferências do Zoom e é a mais nova empreitada do grupo potiguar Teatro das Cabras ao unir teatro e plataformas digitais. 

Em cena, três atrizes (Camille Carvalho, Mainá Santana e Thuyza Fagundes) interpretam a si mesmas e tentam apresentar cenas de encontros e reflexões sobre as impossibilidades que este mundo virtual apresenta para criar e para conviver. Além disso, fala sobre comunhão, relações, comensalismo e outras formas de partilha.

O espetáculo faz sua temporada online de estreia nos dias 28, 29 e 30 de outubro sempre às 21h na plataforma Zoom. 

Como faz para obter o link no zoom

Para assistir “Cancelaram meu Jantar” o público deve adquirir seu ingresso virtual através da plataforma Sympla ao custo de R$ 40,00 ou R$ 20,00. Alguns ingressos gratuitos também estarão disponíveis com a finalidade de democratizar o acesso. 

A retirada dos ingressos pode ser realizada através do link: https://www.sympla.com.br/produtor/teatrodascabras 

 

Sobre o Teatro das Cabras

Grupo teatral surgiu há três anos e o seu objetivo é de unir mulheres com o teatro contemporâneo. Como resultado, elas criam fronteiras entre o teatro, a dança e a performance, se permitindo ainda cruzar com outras linguagens artísticas.

Atualmente, o grupo conta com a encenadora Heloísa Sousa, a atriz e dramaturga Fernanda Cunha, a atriz Thuyza Fagundes, a iluminadora Cléo Morais, a produtora Nathalia Santana, a cenógrafa Luiza Saad e a musicista BEX. O Teatro das Cabras é uma urgência, uma estratégia política de sobrevivência diante dos discursos e práticas vigentes, uma voz de elucidação de novos mundos através da Arte.