Luma

Extremoz tem a banda de rock chamada Luma

Extremoz é uma cidade da Grande Natal que vende o grude, o seu eventualmente patrimônio imaterial. Entretanto, hoje eles também tem uma banda de rock chamada Luma. O Luma tem como membros o Nelson Souza (Bateria), Mili Oliveira (Voz) e Junior Fernandes (Guitarras) e, recentemente, o trio lançou o single que está no primeiro álbum.

“Um Café Pra Nós tem aquele clima de amor quentinho em fim de tarde. Além disso, é uma música leve, que fala da fé na possibilidade do amor a dois. Uma verdadeira inspiração ao romance. Gravada em meio a imposição do isolamento social, a canção é um convite a celebração da vida”, disse a banda em material lançado para imprensa.

A banda se considera uma mistura de indie, com pop rock e MPB. Apesar do clipe oficial ter o lançamento em agosto deste ano, a banda começou em 2017, quando Mili Oliveira formou um dueto com Renan Inácio, com influências de Cássia Eller, Nando Reis, Belchior, Raul Seixas, Legião Urbana, Elis Regina, Cazuza, Los Hermanos e Os Mutantes.

Ao longo do tempo, o grupo foi ganhando forma e mais qualidade com a entrada de novos integrantes, como o guitarrista Junior Fernandes, Artur Batista no baixo e Mykael Sales (ex-Devaneio, ex-Junkhead, Velho John) na bateria. Em Julho 2019 lança o single “Sejamos Então”.

Após uma pausa, a banda reformula sua formação; Renan Inácio e Mykael Sales deixam a banda. Nelson Souza (ex-Junkhead) passa a ser o baterista e a banda segue como quarteto. Em Dezembro do mesmo ano lança o single “Migalhas”.

Em Fevereiro de 2021, durante o período de isolamento social, a banda se reuniu em estúdio para gravação do seu primeiro álbum. Durante esse período, o baixista Artur deixa a banda e eles seguem, portanto, como um trio. Confira, portanto, o clipe a seguir:

Mucah resolveu lançar como artista na pandemia

Mucah é um artista multifacetas, isso é visível nas suas redes sociais. Primeiramente, ele começou suas atividades em 2018 e em 2021. Por que esses anos? Porque ele resolveu este ano mostrar o resultado de sua problemática quarentena, no qual sofreu com muitos problemas pessoais, inclusive a LGBTfobia. Por isso, ele lança seu primeiro single solo, Não Me Calo, que busca referências em indie pop, pop e música eletrônica, trazendo influência de bandas indies, como The xx e Florence and the Machine.

O título da música é “Não Me Calo”, que tem como assunto principal a sua força interna, nos seus momentos mais frágeis. Além disso, a temática está presente na letra da canção, em trechos como “Acredite enquanto falo, desacreditado, não me calo”, ou em “Vou juntando todos os fardos, me afogando enquanto falam.

A letra foi feita em um momento solitário na pandemia do COVID-19, momento de lembranças de preconceitos sofridos e sobre a força de se amar e seguir em frente, uma vez que houve desentendimentos por ser uma pessoa LGBT e ser artista. Mesmo assim, por contra própria, resolveu se lançar como artista e a canção estará em todas as plataformas de streaming na próxima sexta-feira (18).

A canção foi escrita pelo próprio intérprete e gravada no estúdio da Feeling Produtora, em Natal, em maio de 2021. A arte da capa foi feita pela produtora e comunicadora da Bju Produções: Rebeca Souza.

Ainda mais haverá um clipe, que será lançado no mesmo dia no canal de Mucah. O single será o primeiro do álbum “Mucah” que será lançado no começo de 2022. O instagram do artista é @eumucah e o link do seu canal é: youtube.com/channel/UCzn_iMiOd8rYR4QxaM4weiQ

Grande Moinho Potiguar

O que é o Grande Moinho Potiguar?

Um prédio gigante no meio da Ribeira chama atenção. Em comparação as antigas casas de centenas de anos, o Grande Moinho Potiguar é um prédio super moderno e bastante movimentado, uma vez que em sua volta tem caminhões o tempo todo. Sem contar que fica próximo ao porto de Natal. Mas, o que é este moinho? Por que ele está na Ribeira? Todas essas perguntas vão estar nesta postagem, no qual também pesquisamos um pouco de sua história. 

Para quem não sabe, o Grande Moinho Potiguar é um prédio que fica dentro do porto de Natal. De acordo com a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), o prédio tem a mais completa moderna e infraestrutura, uma vez que centraliza um grande moinho de trigo, uma fábrica de massas de alta capacidade de produção, centro de distribuição e um terminal de recebimento de grãos.

Ou seja, funciona como um grande hub para entregar e receber trigo brasileiro. Quem comanda esse moinho é a M. Dias Branco, que é uma indústria natural do Ceará. 

No Brasil, o Grupo M. Dias Branco tem 14 fábricas e 13 distribuidoras, onde são gerados 16.007 empregos. O grupo atua nos segmentos de trigo, snacks, bolos, refino de óleo, gorduras, margarinas, cremes vegetais, biscoitos, bolachas, massas finas e massas populares e planeja entrar no mercado de chocolates e barras de cereais.

Sem contar que ele ocupa 10 mil metros quadrados do porto natalense. É a M. Dias Branco que fabrica os macarrões Fortaleza, os biscoitos Trelloso da Vitarella e os famosos biscoito Piraquê. Ou seja, só coisa gostosa.