brechadas Cidades

Destrinchando a arte da família Wanderley

Compartilhe:

Brechando, nesta terça (17), falou um pouco das Associações Literárias. Agora, a gente vai falar de uma família que foi super importante para as artes, a Wanderley. Primeiramente, comentamos um dos membros mais famosos, a jornalista Palmyra Wanderley. No entanto, outros integrantes também se destacaram e vamos falar disso nesta postagem.

Um deles é o seu tio Ezequiel Wanderley, escritor potiguar de bastante destaque na primeira metade do século XX.

Ezequiel nasceu em Assu, em 27 de outubro de 1872, porém sua carreira de escrito começou em Natal. Primeiramente lançou “Depois de Balões de Ensaio”, “Poetas do Rio Grande do Norte” e “Meu Teatro”. Faleceu em Natal aos 61 anos. Sua sobrinha Maria Carolina, junto com a prima Palmyra, lançaram a revista “Via Láctea”, primeira produzida por mulheres.

Além desses membros, o avô de Palmyra, Luiz Carlos Lins Wanderley, era dramaturgo e médico. Lançou em 1873 o primeiro volume de o romance “Mistérios de um Homem Rico”. Também publicou os livros de poema “Ode a Mulher” e a “Rosa e Lira do Amor”; mas seu foco eram suas peças teatrais.

A quantidade de parentes da família Wanderley não para

Ainda tinha a Stela Wanderley, que nasceu em 1893 e era filha de Segundo Wanderley, ou seja, nasceu e cresceu em meio ao teatro potiguar, e aos vinte anos ela se aventurou na dramaturgia. Stela também era tia de Sandoval Wanderley, que hoje é nome de teatro.

Atuou como jornalista nos periódicos como O Combate, A Folha do Povo e A Opinião; também, como era comum em seu tempo, publicou dois livros de poemas. Porém sua atuação nas artes dramáticas o tornam o dramaturgo mais importante do estado no início do século XX, no qual contava com drama, comédia e música.

Já o Manoel Segundo Wanderley, é tio de Palmyra, Maria Carolina e Sandoval. Mas também era irmão de Celestino Wanderley (adicionei mais um escritor na sua lista e pai de Palmyra), Ezequiel, Luiz Carlos Wanderley Filho (pai de Maria Carolina) e Stela. Filho de Luiz Carlos Wanderley.

Após te deixar confuso, vou voltar a falar de Segundo Wanderley, no qual ele é fortemente influenciado pelo condoreirismo de Castro Alves, o que aproxima Segundo Wanderley da terceira geração do Romantismo e em alguns de seus poemas emergem temas do Simbolismo.

Ou seja, ele era a favor da libertação dos escravos.

Destrinchando a árvore genealógica

Aqui está a árvore genealógica da família Wanderley para ninguém mais se confundir. Confira, portanto, a seguir:

Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista e publicitária formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *