Aluízio Alves

Aluízio Alves completa 100 anos e podres voltaram repercutir

Hoje, 11 de agosto, a imprensa potiguar noticia o centenário do Aluízio Alves, político potiguar, que criou primeiramente um dos clãs influentes no estado, no qual seus descendentes ainda estão em cargos públicos até hoje. Entretanto, no último fim de semana, uma matéria no jornal The Intercept revelou os seus podres e sua influência com John Kennedy para implantar a Ditadura Militar nos tempos da Guerra Fria. A intenção era, no entanto, evitar que o Brasil virasse uma nova Cuba.

Para explicar melhor, vamos montar, por conseguinte, uma linha do tempo a seguir.

Verde, símbolo de suas campanhas políticas

Aluízio Alves era formado em direito, mas trabalhava como jornalista. Sua vocação política surgiu em consequência das suas atividades profissionais e a estreia se deu sob as bênçãos de José Augusto Bezerra de Medeiros e Dinarte Mariz, líder da UDN potiguar e, assim, Alves foi eleito deputado federal em 1945 e participou da Assembleia Nacional Constituinte que promulgaria a nova Constituição em 18 de setembro de 1946. Reeleito em 1950, 1954 e 1958, chegou aos postos de secretário-geral da UDN e vice-líder da bancada.

O rompimento entre Mariz e Alves surgiu quando o Mariz, governador recém-eleito, ignorou uma série de ações de governo que foram reunidas por Aluísio Alves num extenso documento. Irritado, afastou-se politicamente de seu mentor e ingressou no PSD e foi eleito governador em 1960 para o desgosto de Dinarte Mariz.

Durante a campanha para Governador, o verde virou a cor principal do então candidato. Tudo começou quando Aluízio Alves liderou a “Cruzada da Esperança”, com a qual — de trem ou caminhão — percorreu todo o estado fazendo comícios “relâmpago”, organizando passeatas e pedindo votos de casa em casa. Nessas caravanas, seus seguidores eram identificados pelos galhos de árvore que traziam à mão e pela cor verde de suas bandeiras, em oposição ao vermelho adotado pelos partidários de Mariz.

Apelidado de “Cigano” pelo povo potiguar,  inaugurava um estilo que marcaria para sempre sua biografia. O argumento era que verde era a cor da esperança e tinha o discurso de tirar os políticos tradicionais do estado.

Com a vitória da Ditadura Militar, os dois citados apoiaram inicialmente o golpe, que aconteceu no dia 01 de abril de 1964.

Por que criar a Cidade da Esperança?

A criação do conjunto surgiu no governo de Aluízio Alves, através da Fundação de Habitação Popular. Na época, este programa era pioneiro na América Latina. Ainda mais reza a lenda que o nome do conjunto se refere à Brasília, que era conhecida como a “Capital da Esperança”, sem contar com a superstição do então governador com a cor esverdeada.

A necessidade de criar um conjunto habitacional se deu devido à forte emigração para Natal no início da década de 1960, causando uma forte pressão demográfica, uma vez que o terreno ficava numa parte não aproveitada do antigo leprosário.

Sua construção durou de 1964 a 1966 e contou com recursos financeiros tanto do governo do estado do Rio Grande do Norte quanto com dinheiro dos Estados Unidos. Na época os EUA investiam no Brasil através da Aliança para o Progresso. Só transformou, contudo, em bairro no ano de 1993.

Matéria de Paulo Nascimento na The Intercept da relação de Aluísio Alves e o Golpe Militar

O presidente americano John F. Kennedy ligou o sistema de gravação instalado no Salão Oval da Casa Branca na manhã daquela segunda-feira, 30 de julho de 1962. A fita registrou a conversa entre o presidente e Lincoln Gordon, embaixador dos EUA no Brasil. Ao longo de 28 minutos, eles trataram do presidente João Goulart, de um possível golpe militar e de quantos milhões de dólares os EUA estavam dispostos a torrar para interferir na política brasileira.

Na conversa, um nome chama a atenção. Trata-se de Aluízio Alves, à época governador do Rio Grande do Norte. Esses registros foram do jornalista potiguar Paulo Nascimento, no qual mostrou que o potiguar aproveitou bastante a “Aliança para o Progresso”. Você achava que essa ideia de potiguar ser americanóide não foi por acaso?

Clique aqui, portanto, para ler a matéria na íntegra.

Reportagem fez com que Cassiano Arruda, sogro do filho de Aluízio, fizesse uma matéria Chapa Branca

O jornalista Cassiano Arruda, em resposta à publicação do The Intercept, criou uma matéria falando dos “benefícios da Aliança Para o Progresso” no Rio Grande do Norte e como isso foi bastante importante. A mensagem, claramente, mostra uma forma de dizer que essas ações foram importantes para o estado.

“Você imaginou Joe Biden, dedicar meia hora do seu expediente a nossa governadora Fátima Bezerra? Ou Donald Trump fazer o mesmo com Robinson Faria? Barack Obama querer saber quem era Rosalba Ciarllini? Ou, ainda, Bill Clinton com Wilma de Faria?”, disse Cassiano ao tentar defender Aluízio. Vale lembrar que Cassiano, nos anos 80, trabalhava no Diário de Natal, jornal que apoiara a oposição dos Alves. Pesquisando os jornais na Biblioteca Nacional, é fácil, no entanto, ver uma notinha de Cassiano esculachando a turma do MDB.

Cassiano é pai da também jornalista Laurita Arruda, visto que atualmente é esposa de Henrique Eduardo Alves, filho de Aluízio. Além disso, hoje, Cassiano escreve no blog Território Livre, de autoria de Laurita, que está hospedado na Tribuna do Norte.

Para quem não sabe o Aluízio Alves criou a Tribuna do Norte no final da década de 50. Para ler a reportagem de Cassiano, clique aqui.

Após o Golpe Militar, virou símbolo do MDB

Aluízio Alves apoiava a Ditadura Militar até o momento em que o perseguiram. Ademais, tudo começou quando Alves apoiou Walfredo Gurgel para o governo e Dinarte o oposto.

A vitória de Walfredo Gurgel impediu que o estado fosse governado, pela segunda vez, por Dinarte, confirmando “a supremacia política da família Alves” e, ao mesmo tempo, todavia, contribuindo para o aumento do radicalismo político.

Em 1966, Dinarte veta a candidatura de Aluízio Alves para o Senado. Apesar de dominar a maioria dos diretórios municipais da ARENA, Dinarte não teve forças para fazer um candidato seu, contentando-se com um arranjo de conveniência. O mossoroense Duarte Filho foi o ungido pela ARENA. A indicação e a eleição de Duarte Filho, candidato consensual da ARENA verde (Aluízio) e da ARENA vermelha (Dinarte) não garantiu a pacificação do partido.

Três anos depois, com a instalação do Ato Institucional número 5 houve a cassação de Aluízio Alves, fazendo com que ele migre para o MDB. Com o mandato cassado, ele estimulou que seu filho e sobrinho, Henrique Alves e Garibaldi Alves Filho, respectivamente, entrasse na política, assim nascendo, portanto, o período do Jardim de Infância.

Poetas potiguares lançam podcast sobre poesia

Nesta quinta-feira (12), os poetas Gonzaga Neto e Gessyka Santos vão lançar a segunda edição do projeto “Um poeta em cada esquina”, um podcast que nasceu primeiramente com o intuito de apresentar poetas do estado do Rio Grande do Norte, compartilhando vivências, escritos e inclusive falando sobre sonhos durante a conversa.

O nome é alusão à uma frase de Câmara Cascudo, dizendo que Natal tinha um poeta em cada esquina.

Quem são os convidados do podcast dos poetas potiguares

Serão seis artistas que conversarão  sobre a cena potiguar em torno de um bate-papo entre poetas.

O destaque dessa edição é que ela contará com as conversas gravadas também em vídeo. Além disso, o projeto tem como finalidade em contribuir para uma maior visibilidade de artistas atuantes no ofício literário.

De acordo com Gessyka Santos, poeta, produtora cultural e coordenadora do projeto, o podcast tem o intuito de aproximar artistas e ouvintes. “Nosso grande objetivo com o ‘Um Poeta em Cada Esquina’ é trazer o poeta para perto do ouvinte, como se eles estivessem trocando uma ideia lado a lado, e mostrar a quantidade, qualidade e diversidade de escritores que o RN possui”, enfatiza Gessyka.

Nesta edição, cada episódio terá, portanto, aproximadamente uma hora de duração, com poetas norte-rio-grandenses, refletindo assuntos que versem sobre arte, vivências, publicações, criatividade e todas as relações da poesia com o território.

Como funcionará cada episódio

Os episódios são lançados quinzenalmente, sempre às 18h e nesta edição todas as conversas estão sendo gravadas pela Nobir Produtora. Ademais, todos os episódios estarão disponíveis no Youtube. Como resultado, foram convidados seis artistas, o primeiro episódio estará disponível a partir do dia 12 de agosto com a convidada Michelle Ferret, autora do livro “Febre”, que há mais de 10 anos atua na área da leitura.

A primeira temporada de “Um poeta em cada esquina” aconteceu entre os meses de janeiro e fevereiro de 2021, contando com a participação de seis poetas, dentre eles Regina Azevedo, Thiago Medeiros e Rosy Nascimento.  

Para conferir os episódios basta seguir o canal “Um poeta em cada esquina” nas plataformas de música e acompanhar, por fim, os episódios.

Lista dos episódios:

12/08 – Michelle Ferret 

26/08 – Abaeté do Cordel 

09/09 – Bia Exagerada

23/09 – Karollen Potyguara

07/10 – Stéphanie Moreira

21/10 – Carmen Vasconcelos

Acompanhe o podcast pelo Youtube, Spotify e Deezer.

Aluguel Casa Própria Natal

Aluguel x Casa própria: como está a situação em Natal

Muitas pessoas estão com dificuldades de ter uma casa própria por vários motivos. Pode ter perdido o emprego na pandemia, dificuldade de pagar as contas e entre outros problemas. Além disso, existe um decreto que proíbe os despejos por seis meses, dando um respiro para aqueles que estão em atraso. 

Afinal, quantas pessoas de Natal moram de aluguel e Casa Própria? Este mistério tive que utilizar, mais uma vez, o jornalismo de dados.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, 346.264 casas, sendo que 235.762 são domicílios ocupados em Natal, que tem uma população de 800 mil habitantes, sendo que 62.609 das casas estão em aluguel contra 173.153 moradores que são realmente os donos da casa. Ou seja, tem mais moradores que conseguiram comprar a sua casa. 

Além disso, existem 80.774 pessoas vivendo em aglomerados subnormais, as famosas favelas. A média familiar dos moradores de cada casa é, no mínimo, três pessoas. 

Além disso, os dados do IBGE ainda apontam 10.774 pessoas moram em residências onde os antigos donos cederam aos atuais moradores, seja por negociação ou via herança. Outros 496 admitem que conseguiram a sua moradia por outros meios. 

Uma das coisas mais chocantes neste resultado é ainda a existência de casas que não possuem um vaso sanitário ou a existência de um sistema de esgoto. A entrevista do instituto mostra que em torno de 500 casas apresentam dessa seguinte forma. 

Vocês sabiam dos dados dos dados sobre Aluguel e Casa Própria em Natal? Deixe aqui o seu comentário

Caso Lucas Santos

Caso Lucas Santos: Pessoa pode ser punida por Cyberbullying?

Caso de Lucas Santos chamou atenção em Natal, uma vez que jovem cometeu suicídio após comentários homofóbicos após uma publicação vinda primeiramente no Tik Tok. Mesmo sendo filho de uma famosa artista, a cantora Walkyria Santos, ele não ficou imune do assédio moral, assim deixando um questionamento dos limites éticos de se usar a internet. Entretanto, os casos de cyberbullying, como são chamados, são mais antigos que se parece, uma vez que em outras redes sociais já foram presenciados. 

Se você já presenciou ou foi vítima de…

  • Comentários odiosos ou Fake News de haters 
  • Vazar vídeos ou fotos íntimas de pessoas. 

… Provavelmente, você sabe, por conseguinte, o que é Cyberbullying. 

O que é

Para quem não sabe, o cyberbullying é a prática da intimidação, assédio, humilhação, exposição vexatória, perseguição, calúnia e difamação por meio de ambientes virtuais, como redes sociais, e-mail e aplicativos de mensagens. A incidência maior de casos de cyberbullying ocorre entre os adolescentes, porém há um número considerável de jovens adultos, principalmente universitários, praticando a ação.

Os agressores geralmente usam de perfis falsos (fakes), visto que acreditam estar totalmente protegidos quanto à sua identidade real, ou simplesmente se manifestam pelo meio virtual por não ter que encarar a sua vítima pessoalmente.

Ainda mais há uma pesquisa encomendada pela Intel Security, empresa vinculada à Intel, feita com 507 crianças e adolescentes com idades entre 8 e 16 anos revelou os seguintes dados sobre o cyberbullying no Brasil:

  • 66% presenciaram casos de agressão na internet;

  • 21% afirmam ter sofrido cyberbullying;

  • 24% realizaram atividades consideradas cyberbullying. Desse grupo:

  • 14% admitiram falar mal de uma pessoa para outra;

  • 13% afirmaram zombar de alguém por sua aparência;

  • 7% marcaram alguém em fotos vexatórias;

  • 3% ameaçaram alguém;

  • 3% zombaram alguém por conta de sua sexualidade;

  • 2% postaram intencionalmente sobre eventos em que um colega foi excluído para ele ver que foi excluído.

Mas, será que existe punição? Confira o próximo tópico a seguir.

Depende da análise do juiz

Apesar da sensação de segurança, existe a punição, porém de forma branda. O cyberbullying é passível de punição por meio do Código Penal quando configura os crimes contra a honra, injúria racial e exposição de imagens de conteúdo íntimo, erótico ou sexual. Todavia, a provocação de uma morte ou estímulo ao suicídio não está inclusa na punição. Por isso, a luta pela sanção da Lei Lucas Santos

Em todos os casos, as punições previstas no Código Penal Brasileiro podem chegar a quatro anos de reclusão, que pode ter uma pena alternativa. Na esfera civil, os agressores podem ser condenados a pagar indenizações por dano moral. Quando o agressor é menor de idade, os seus responsáveis respondem pelos crimes diante do tribunal e podem ser condenados a pagar indenizações à vítima e à sua família. 

Além disso, os perfis e e-mails falsos das redes sociais, utilizados por muitos agressores a fim de não terem a sua identidade real revelada, podem ser rastreados pelo endereço de IP, mas precisa de autorização do judiciário. 

Cuidados com o Cyberbullying

A Intel Security recomenda que os pais estabeleçam um controle do tempo em que a criança passa na internet e nas mídias sociais. Ainda mais, os progenitores precisam conhecer quais são as plataformas sendo frequentadas por eles. Também é indicado o uso de ferramentas de controle parental.

O que você acha da lei de criminalizar o Cyberbullying? Deixe aqui, portanto, o seu comentário.