Pedro Gorki

Quem é o Pedro Gorki, o novo vereador de Natal

Pedro Gorki nos próximos dias vai assumir a Câmara Municipal de Natal, uma vez que vai substituir Júlia Arruda que vai assumir a Secretaria Estadual da Mulher. Por isso, ele se torna o vereador mais jovem da história da capital do Rio Grande do Norte, com 20 anos de idade, superando a Brisa Bacchi.

Mas, quem é o Pedro Gorki? O Brechando, portanto, vai contar a sua história a seguir.

Começou na militância estudantil

Pedro Gorki ficou conhecido no RN pelas manifestações políticas dos estudantes secundaristas contra a reforma do Ensino Médio de Michel Temer. No ano de 2017, por conseguinte, se elegeu como presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), o mais jovem da história do movimento até então. Além disso, ele foi o segundo potiguar a assumir o posto, uma vez que Luís Bezerra de Oliveira assumiu o posto em 1948.

Família ligada à militância politica

Filho de um professor (João Oliveira) e uma advogada (Carla Tatiane), ambos militantes e ligados ao PC do B. Gorki é estudante do Instituto Técnico Federal do Rio Grande do Norte. Foi no IFRN que se tornou presidente da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (UMES)

A sua chapa na UBES venceu por larga vantagem a disputa no Congresso da UBES. Além disso, ele é um grande defensor a favor da igualdade racial, educação, melhores condições nas periferias e contra o novo plano diretor de Natal.

Eleições 2020

Filiado ao PC do B, assim como os pais, resolveu se candidatar pela primeira vez no cargo de vereador, ficando na primeira suplência. Atualmente, ele é estudante de Pedagogia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e estava atuando no Centro Acadêmico (CA) do curso.

“Agradeço a confiança popular e o empenho da militância, fundamentais para essa conquista.”, disse em sua postagem no Instagram após o anúncio de Fátima Bezerra da saída de Eveline Guerra.

Natal Voto Impresso

Zoamos a faixa em Natal de “Voto Impresso”

A questão da volta do voto impresso está frequentemente na agenda da imprensa brasileira. Por quê? Porque nesta segunda-feira (5), a Comissão Especial da Câmara dos Deputados decidiriam se a pauta do voto impresso ser retomado nas eleições gerais de 2022. Além disso, o presidente é inclusive um dos amantes desta ideia, pois alega que houve fraude na Eleição 2018 e que ganhou de primeiro turno.

Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (5), o deputado Filipe Barros (PSL-PR) afirmou que as negociações na Comissão Especial que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso pode inclusive demorar.

Barros, que é relator da PEC do voto impresso, parceiro do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e defensor da proposta, explicou, no entanto, que na quinta-feira (1) houve um acordo entre os membros da Comissão Especial para adiar o debate.

A Câmara dos Deputados também colocou uma enquete e  resultado causou bastante discussão na internet.

Por isso, manifestantes a favor da proposta colocaram uma faixa na passarela da avenida Salgado Filho como uma forma de apoiar o voto impresso.  Com uma faixa amarela, os motoristas de Natal puderam ler: “Voto Impresso Auditável”. Além disso, a foto acima é da jornalista Anna Paula Andrade.

A questão do voto impresso, para os críticos é considerado ultrapassada, uma vez que a urna eletrônica, a atual forma de votação, é rápida e ainda mais nunca houve escândalo de ataque hacker.  A urna, todavia, está em funcionamento desde 1995 e vários países estrangeiros estudam o aparelho.

O Brechando resolveu zoar esta faixa da fotografia a favor, somos contra o voto impresso, e eventualmente colocamos algumas frases zoando com coisas antigas em Natal. Confira, portanto, a seguir.

Tem alguma fase que esquecemos de colocar? Deixe aqui, portanto, o seu comentário.

Moema Tinoco

Afinal, quem foi Moema Tinôco?

A gente sabe que Moema Tinôco é uma das principais vias da zona Norte e também nome de escola municipal. No entanto, a sua biografia não é tão estudada e despertou a minha curiosidade para saber quem é ela. A senhora de branco, sentada, é a Moema. A primeira coisa que descobri foi o seu nome completo, Moema Tinôco da Cunha Lima. Os dois últimos sobrenomes, portanto, mostra a sua associação com políticos da Paraíba e intelectuais de Natal, uma vez que foi a esposa de Diógenes da Cunha Lima.

Para quem não sabe, Diógenes é advogado, mas também foi professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), no qual exerceu o cargo de reitor na década de 80. Além disso, ele é poeta, escritor e adora divulgar a arte potiguar de diferentes formas.

Diógenes a descrevia como “raça da onça”, uma alusão em dizer que era uma mulher bastante forte e inteligente.

Mas, quem foi Moema Tinôco?

Moema Tinoco da Cunha Lima, nasceu em 04 de junho de 1947, em João Pessoa. Seus pais são Artur Tinoco Filho e Carmésia Ramalho Tinoco. A sua educação básica foi em Recife, mas se mudou para Natal para estudar pedagogia na UFRN.

Aos 20 anos, no ano de 1967, casou-se com o advogado escritor e poeta Diógenes da Cunha Lima, em João Pessoa. Dos padrinhos do seu casamento, destacam-se o Luís da Câmara Cascudo e Onofre Lopes. Por falar em Câmara Cascudo, o Diógenes lhe considera mestre e sua fonte de inspiração.

Juntos, eles tiveram três filhos Leila, Diógenes Neto e Cristine.

Entre os seus feitos, colaborou com a criação da Associação e Orientação aos Deficientes de Natal (Adote), fundou e orientou o Centro de Reabilitação juntamente com a médica Lenira Bessa e a fisioterapeuta Solange Brandão. Além disso, incentivou o programa Natal da Criança Pobre.

Dentro da UFRN, ela lançou o projeto Memória Musical, que era um festival de música popular. E lançou um livro de memórias, sob o título de “Ensina-me a viver”.

Moema Tinoco em 1987

Faleceu no dia 06 de setembro de 1991 de uma paralisia . O Livro Ensina-se a Viver é uma das grandes lições de vida deixadas por Moema.

vacinas Covid-19 RN

Que vacinas contra Covid-19 o RN mais recebeu?

Os últimos dados do RN+Vacina mostra que mais de 40% da população do Rio Grande do Norte já recebeu as doses para se proteger do novo coronavírus. No entanto, ainda há informações desencontradas sobre o assunto. Um desses desencontros está sobre como a distribuição da vacina e também quais marcas que estão mais presentes no estado. 

Saber o tipo de vacina mais frequente no estado é importante, uma vez que muitos ainda estão brincando de sommelier de vacina e dificultando a diminuição da idade para pessoas sem alguma cormorbidade

Primeiramente, o Ministério da Saúde recebe as doses das fabricantes, depois entrega para cada estado e, por conseguinte, aos municípios. E esse processo pode demorar bastante. 

O objetivo desta matéria, portanto, é saber quantas doses do RN recebeu até o momento que esta matéria foi feita. 

 

Quantas vacinas o RN já recebeu

0 K
Coronavac
0 M
Oxford (Astrazeneca)
0 K
Pfizer

Distribuição de cada município

Por que 15% das vacinas do RN não foram aproveitadas

De acordo com dados do RN + Vacinas, 5485 doses em Natal não foram aproveitadas totalmente. Ou seja, houve uma perda técnica, no qual significa que podem ocorrer pelo vencimento do prazo de validade da vacina ou pelo não alcance do número de doses previstas por frasco. No caso da vacinação da Covid-19 os frascos são multidoses, com 10 doses de 0,5 ml.

De acordo com o Município, 5477 dos frascos apresentavam o número de doses previstos. Para quem não sabe, um frasco de vacina não serve para uma quantidade de pessoas e sim para várias pessoas. Cada vidro é destinado para a quantidade x de pessoas e as vezes isto pode sair do planejamento inicial. Isto é, portanto, um evento comum em frascos multidose (5 ou 10) doses.

Já 54 frascos foram perdidos após terem perdido a validade, no qual a validade de Oxford tem seis horas e oito horas de Coronavac.  Além disso, 46 doses foram desperdiçadas porque os frascos foram quebrados por acidentes ou choque térmico.

Isto mostra que mais de 5 mil natalenses poderiam ter recebido dose a partir de uma xepa.

Existe um projeto para que as pessoas utilizem a "xepa"

No dia 22 de julho, a Câmara Municipal aprovou o projeto de lei que regulamenta as sobras de vacinas na capital potiguar. A ideia, elaborada por Divaneide Basílio (PT), o projeto aprovado por unanimidade estendeu à qualquer pessoa maior de 18 anos que esteja em torno do ponto de vacinação a possibilidade de ser imunizado com as outras doses do frasco aberto.

A realidade em outras capitais como Recife, São Paulo e Belo Horizonte. No entanto, a sanção deste projeto pela Prefeitura do Natal ainda não saiu. 

vacina1