Cidades

Com a Covid-19, cresce denúncias de infecção em trabalho

Compartilhe:

Quando éramos pequenos, na pré-escola, se uma criança pegasse piolho, todas da mesma sala pegavam. É assim com outras doenças infectocontagiosas. Com a Covid-19 não foi diferente, em muitas empresas, houve surto. Ou seja, quando uma pessoa se infectasse, ele poderia contaminar os outros colegas de trabalho. E aconteceu várias vezes nas empresas potiguares.

De acordo com o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, do Ministério Público do Trabalho (MPT), houve aumento de denúncias de empresas que não tiveram cuidados do necessário na saúde do trabalhador. Como resultado, pegaram Covid-19.

Ao todo, o MPT recebeu 180 notificações de acidentes de trabalho por contágio pela covid-19 em 2020 no Rio Grande do Norte. Essas denúncias não está atrelada ao número de pessoas e sim a quantidade de empresas que receberam queixa.

Fizeram um apanhado com base dos dados da Secretaria de Saúde do RN

Os dados podem ser comparados aos números de levantamento recente publicado no Boletim Epidemiológico da Saúde do Trabalhador da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap). De acordo com o boletim, o estado do RN contabiliza, até o momento, 199.748 casos confirmados de covid-19.

O número de profissionais de saúde com contágio confirmado pela doença corresponde a 9.816, o que corresponde a 4,9% do total da população geral que teve resultado positivo para o novo coronavírus.

Maiores mortes de trabalhadores de Covid-19 foi na área da saúde e hospitais

Ao longo da pandemia, a Sesap contou 86 óbitos de profissionais da saúde no Rio Grande do Norte, sendo mais de 30% deles nos quatro primeiros meses de 2021. Ainda seguem em investigação 12 casos. A proporção de mortes em relação à população, contudo, diminuiu ao longo do corrente ano.

A causa provável é a priorização dos trabalhadores de saúde na primeira fase da vacinação. Do total, 87,3% das mortes envolvendo profissionais da saúde foram de auxiliares e técnicos de enfermagem, médicos e enfermeiros, evidenciando os maiores riscos a que estão sujeitos os trabalhadores que estão na linha de frente.

Técnicos e enfermeiros são os mais infectados, segundo denúncias de infecção em trabalho

Além disso, a maioria dos profissionais infectados também são técnicos em enfermagem (33,08%), enfermeiros (15,82%) e médicos (8,04%). No entanto, essas denúncias de acidente de trabalho também atingem a área do comércio e serviços.

Natal tem a maior concentração de profissionais de saúde com contágio por Covid-19, com 37,77% dos casos. Já Parnamirim tem 8,59% dos profissionais de saúde infectados, seguidos de Mossoró, com 5,44% dos casos confirmados em profissionais de saúde.

A faixa etária mais afetada no universo foi a das pessoas entre 30 e 39 anos, que respondeu sozinha por 36,49% dos registros.

Segundo as denúncias de infecção em trabalho, a falta de equipamentos fez com que houvesse mais contaminação

O boletim revela também que 7% dos trabalhadores da área da saúde relataram a ausência de equipamentos de proteção individual adequados para o enfrentamento da pandemia em suas unidades. O texto recomenda, portanto, que o profissional use protetor ocular ou protetor de face, luvas, capote/avental/jaleco e máscara N95/PFF2.

Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *