Womaneater

Curta potiguar “Womaneater” se destaca no Rio de Janeiro

Artistas Potiguares Cidades
Compartilhe:

O filme potiguar de suspense Womaneater participou primeiramente do Festival Rio Fantastik, que é considerado um dos maiores festivais de cinema fantástico do Brasil, sendo o maior do Rio de Janeiro. Somente quatro curtas-metragens passaram na seleção da edição do festival, pelo qual já passaram nomes como Gabriela Amaral Almeida e Rodrigo Aragão.

E, o mais assustador, tendo como base em fatos reais.  E a produção, que está em cartaz desde o dia 7 de dezembro, divide as telonas junto com outras produções nacionais, com presença de atores de peso, como a Renata Sorrah, conhecida pela vilã Nazaré Tedesco.

O festival estava em formato reduzido (com menos filmes), obedecendo às medidas de segurança.

Quem é a diretora?

O filme, que é dirigido por Paula Pardillos, que terminou no final de agosto de 2020 e conta com diversos profissionais do cinema do nosso estado. Além disso, Womaneater traz, como locações, o conhecido bar El Rock, nas intermediações do Arena das Dunas, e o espaço Surto Cultural, em Ponta Negra.

Quer dois meses trabalhando em filme de terror? Mas, como é a história. Confira abaixo.

Filmou tudo exclusivamente em Natal

Filmado inteiramente em Natal, com produção de Sihan Felix, Womaneater acompanha um retalho da vida de Elisa (interpretada por Larissa Brujin), uma mulher que tenta recuperar sua qualidade de vida após o fim de um relacionamento abusivo. Além disso, está sendo perseguida por uma assombração. A história veio de experiências pessoais da própria diretora, uma vez que também é a roteirista.

Contou com apoio do incentivo potiguar

Womaneater contemplou o edital de Fomento à Cultura Potiguar 2019, promovido pela Fundação José Augusto e pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte. Além disso, a sua equipe, defenderam as participações não somente de profissionais potiguares, mas de estudantes de audiovisual de três instituições de Natal.

Sendo o primeiro trabalho da recém fundada Maruim Filmes, ainda mais a produção contou com o apoio da SterBom, da escola de kung fu Lung Fu, do Coletivo Dacine, da empresa Delectus, da Cinemateca Potiguar, do Núcleo de Produção Digital (NPD) e do próprio IFRN — por meio da professora Maryland Brito.

Esta não é a primeira participação do Womaneater em festivais nacionais

O curta abriu o primeiro dia do festival, que aconteceu nesta segunda-feira (8). Esta foi a primeira exibição presencial do filme. Além disso, teve sua estreia, todavia, no festival Boca do Inferno, que este ano foi online. Agora, só falta esperar em Natal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.