Rosa de Aroeira

Curta potiguar participa de Festival de Los Angeles

Curiosidades
Compartilhe:

O curta-metragem potiguar Rosa de Aroeira entrará em cartaz na cidade americana de Los Angeles. A produção está na Mostra Competitiva BWIE no Los Angeles Brazilian Film Festival (LABRFF). O evento é o maior festival de cinema Brasileiro nos Estados Unidos.

Além disso, Festival chega à sua 13ª edição nos dias 21 e 25 de outubro e será realizado por meio da plataforma Filmocracy, que permite uma interação entre os participantes por meio de vídeo e áudio.

Para assistir é só clicar neste link.

Sobre o curta

O curta-metragem Rosa de Aroeira é um filme documentário da produtora cultural Monica Mac Dowel e registra a paisagem de uma pequena comunidade litorânea do Estado do Rio Grande do Norte e a relação interativa e germinal de quatro campesinas com a natureza bucólica do lugar, a comunidade do Reduto, no município de São Miguel do Gostoso.

O documentário é um texto visual composto de metáforas, em que, os enquadramentos e as angulações das personagens e do ambiente retratado, no entanto, elaboram e produzem imagens vastamente impregnadas de poesia e sensorialidade.

Documentário retrata a vida de trabalhadoras na Casa de Farinha (Foto: Divulgação)

Gravação feita por celular

Em seu primeiro documentário, Mônica utiliza o celular para mostra as mulheres e o seu artesanato, tentando deixar o mais sútil possível.

O enredo narra a história de Gracinha, Deuzuite, Neuza e Robéria enquanto narram as suas histórias de vida na Casa de Farinha e narrados no mesmo ritmo circular da câmera da realizadora e do movimento temporal empregado pela roda da máquina de moagem da mandioca.

Assim, as imagens revelam uma escrita iminentemente feminina. Escritura estética que dialoga didaticamente com a paisagem feminal do lugar, com as personagens retratadas, e sem contar com a força de trabalho presente no dia a dia árduo dessas mulheres potiguares.

Valéria Oliveira tinha que está na trilha sonora

Mônica há algum tempo produz os shows da cantora Valéria Oliveira. Portanto, seria estranho se ela não participasse da trilha sonora. A canção é um complemento das imagens da diretora e que aconchegam as histórias de vida relatadas por essas personagens brasileiras.

A Visibilidade feminina no Rosa de Aroeira

Também concede visibilidade social a essas mulheres imêmores por meio do ato de suas falas e suas memórias. Além disso, tem o objetivo de unir o conteúdo, imagens poesia e vozes que habitualmente parecem invisíveis aos olhos do Brasil.

Confira, portanto, o Cartaz do filme:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.