pandemia no RN

7 meses de Covid-19 no RN: Mais de 70k casos confirmados na pandemia do RN

O número é 73.143 pessoas confirmadas que tiveram ou tem o Covid-19 no estado, doença que está atrapalhando o mundo todo, desde na parte socioeconômica, mas também destruindo milhares de famílias existentes. A pandemia no RN ainda continua. 

Parece um valor pouco, mas é o equivalente ao número de mulheres com Câncer de Mama em um ano. Ou seja, se não cuidarmos, mais gente vai ficar doente do que ser saudável.

Mas, como podemos mostrar que este número não é apenas uma gripezinha e que o negócio é sério? Por isso, vamos divulgar sete fatos

1) Como se Caicó e Macaíba inteira tivesse ficado doente de uma só vez.

Caicó, para quem não sabe, é a maior cidade da região do Seridó e tem quase 70k de habitantes. Imagina se o município inteiro ficasse doente? A cidade iria parar, a economia ficaria uma porcaria e muitos dias a perder.

E olha que 2% dos caicoenses já estiveram/estão doentes. Ao todo, portanto, foram 2921 casos.

Os dados também mostram que esses 73 mil correspondem praticamente a população de Macaíba, que tem em torno de 80 mil pessoas. Uma curiosidade que 1% dos macaibenses já ficaram doentes.

2) 3% dos natalenses já estiveram doentes

Com uma população com 800 mil habitantes, Natal já teve 24.500 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Isso corresponde a

3)A cada 100 mil pessoas, 72 morreram de Corona

Ao todo foram quase 2500 mortes de potiguares pela doença pandêmica. Numa população de quase 3,5 milhões de habitantes, o RN já perdeu 0,07% de sua população apenas pelo Covid-19. Algo que é bastante assustador.

A maior taxa de letalidade é o município de Venha-Ver, que faz fronteira com o Ceará, no qual cerca de 27% dos moradores faleceram. Por que esse valor tão alto? Foram 11 casos , no qual três chegaram a falecer.

A maior parte destas mortes se concentram em Natal, foram quase 1000 óbitos.

4) O número de infectados pelo Covid-19 corresponde a 2% da população do Rio Grande do Norte

Desses números de infectados, metade correspondem a três maiores cidades do Rio Grande do Norte: Natal, Parnamirim e Mossoró.

Dados do Covid-19 até 14/10/2020

0
Confirmados
0
Descartados
0
Suspeitos

5) Tem cidades que não tem 10 infectados

Tem que falar uma coisa boa (na verdade, menos ruim) da pandemia no RN, não é mesmo? As cidades de Pedra Preta e Jardim de Angicos, tem 8 e 6 infectados, respectivamente. Essas são as cidades com o menor número de doentes.

6)Igapó, Potengi e Pajuçara são os três bairros com mais confirmados em Natal

Os três bairros da zona Norte de Natal correspondem a 20% dos casos de Coronavírus nas terras natalenses. Além disso, os bairros de Tirol e Lagoa Nova correspondem ao número de infectados.

7)Até o mês de outubro foram 282 de pessoas doentes

Em outubro, até o momento, os casos confirmados de Covid-19 foram 239 casos, o menor número até agora desde abril.

Independente se você está em quarentena ou não, você precisa seguir as normas de higiene e procure usar a máscara o tempo todo, nada de colocar no queixo.

Se gostou desta postagem, compartilhe nas suas redes sociais e amigos, além de assistir outras matérias do Brechando.co

Avenida Prudente de Morais

Essa é a Avenida Prudente de Morais em obra

A avenida Prudente de Morais é uma das vias principais da cidade. Ao longo do tempo passou por algumas estruturações. A via surgiu juntamente com a criação dos bairros de Tirol e Petrópolis, zona Leste de Natal, quando as pessoas migraram da Cidade Alta e Ribeira para as novas casas, eram sinal de novidade. A foto acima, postada pelo jornalista Adriano Medeiros no grupo Fatos e fotos de Natal Antiga.

As primeiras menções na avenida foi na década de 30, quando os jornais anunciavam a venda de casas na região. Portanto, uma área totalmente residencial. O nome primeiramente é uma homenagem ao presidente da República, uma vez que representava a ascensão da oligarquia cafeicultora e dos políticos civis ao poder nacional. Prudente ficou entre 1894 e 1898 e foi sucedido por Campos Sales. Na década de 50, o fim da Prudente de Morais era a altura da Cidade da Criança, onde hoje é o Senai.

O Senai era considerado o fim da Prudente de Morais

Na década de 30, o local era cheio de estrada de terra e com calçadas irregulares, uma vez que o local estava começando a urbanizar aos poucos. A primeira grande obra aconteceu na década de 50, quando o prefeito Claudionor de Andrade realizou um grande serviço de saneamento básico, no qual construiu enormes galerias para levar o esgoto dos moradores e o saneamento foi até a Lagoa Manoel Felipe. O assunto esteve nos jornais da capital potiguar.

 

A obra de saneamento só começou no ano de 1951. Após o saneamento básico, a Prudente de Morais se despediu das estradas de terra e a Prefeitura começou a ser pavimentada não só a avenida, mas também as ruas laterais.

Avenida Avenida começou a ficar enorme a partir da década de 70

Por causa disso, a avenida começou a crescer, principalmente com a criação de Lagoa Seca. Uma outra estruturação da Prudente de Morais aconteceu na década de 70, quando houve o primeiro prolongamento. Saindo da altura da Cidade da Criança até o Estádio Machadão, cuja obra aconteceu nos anos 70.  Posteriormente, a avenida foi estendida até Candelária, na época que o conjunto habitacional foi construído. Assim, surgiu a foto acima do título. Para saber mais sobre esta época, veja os trechos de jornais, portanto, a seguir:

Jornal comenta as dificuldade de criar uma via para entrada de Candelária
A pavimentação da Prudente de Morais só aconteceu completamente na década de 70
Nota do Diário de Natal em 1971 sobre a Prudente de Morais
Obra da urbanização custou 100 mil cruzeiros

Potiguar Márcio Benjamin está no cast da Darkside

Nesta quarta-feira (14), a editora Darkside publicou os novos escritores que participarão da equipe no ano que vem. Dentre as surpresas está o escritor Márcio Benjamin.

O anúncio aconteceu no Instagram e pode ser visto a seguir:

O Márcio lançará um livro e este será o seu quarto livro e seu primeiro trabalho em projeção nacional. Os outros três foram publicados no selo potiguar Jovens Escribas.

Ainda na Darkside, ele vai participar de outro livro com a participação de outros escritores do elenco.

Além disso, sua obra “Maldito Sertão”, uma de suas obras mais famosas, também teve uma adaptação em HQ por quadrinistas potiguares.

Explicando a editora Darkside

A editora é natural do Brasil e abriga o que há de mais interessante e instigante no universo sombrio da literatura. Stephen King, Clive Barker, Andrew Pyper e Thomas Olde Heuvelt são alguns dos moradores consagrados da casa mais sangrenta do Brasil, e seus personagens inesquecíveis voltam à noite para povoar nossos sonhos. 

O cast da editora é composta de autores nacionais e internacionais, como George Lucas, Sean Murphy, André Meister, Basquiat e dentre outros.

Além disso, o selo é conhecido pelas belíssimas capas e uma editoração bem caprichada.

Sobre Márcio Benjamin

Seu nome completo é Márcio Benjamin Costa Ribeiro e nasceu em Natal.trabalha como advogado, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e costuma apresentar-se como um escravo das letras. Desde os treze anos é metido com lápis e papéis, tentando mostrar aos outros um pouco do que se passa em sua cabeça. Participante usual de antologias de terror (Noctâmbulos, Caminhos do Medo, pela Editora Andross, Narrativas do medo 1 e 2, pelas editoras Autografia e Copa Books), também já fez muita gente rir com suas peças de teatro (Hippie-Drive, Flores de Plástico, Ultraje).

“Maldito Sertão” foi o seu primeiro livro, de contos. Lançado em 2012 pela Editora Jovens Escribas, foi considerado um dos melhores de 2012 e 2013 pelo Troféu Cultura Potiguar, foi quadrinizado pelo coletivo Quadro 9, e reza a lenda que conhecerá a tela grande do cinema. Em 2015 foi lançada a segunda edição com mais contos. Em 2016, lançou seu primeiro romance, “Fome”.

Em 2019, ele lançou o “Agouro”.