30 30America/Bahia setembro 30America/Bahia 2019 – Brechando

Beco da Lama e muitas pocs, Luísa e os Alquimistas lança novo clipe

Tem poc, tem close, tem bateção de raba, tem consciência ambiental (o canudo de metal), tem praia, tem brega funk, tem tanta coisa junto & misturado que eu tô bebin de amô. Brocou!

Esse foi um comentário tirado na página do You Tube do mais novo clipe de Luísa e os Alquimistas, lançado nesta segunda-feira (30) em Natal. “Olhos de Tocha” é a segunda música de trabalho do terceiro álbum do grupo, intitulado de “Jaguatirica Print”. O clipe foi gravado quase todo em Natal, com destaques o Beco da Lama e a praia de Ponta Negra, além de contar com a participação de figuras famosas na balada alternativa potiguar, como o Raphael Dumaresq e Gal.

Quando mencionamos que foi quase todo em Natal, porque algumas cenas que precisou do chroma key foram feitas em São Paulo, onde atualmente reside a Luísa Nascim, a vocalista do grupo.

Substituindo o elogiado “Vekanandra”, o  novo disco promete se aprofundar nos batidões de sotaque nordestino que vêm sendo desenvolvido entre Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Ceará. Assim, Luísa fortalece ainda mais a característica da banda, que é a conexão entre o pop e o alternativo. Algumas músicas, inclusive, já estão sendo apresentadas ao vivo com uma ótima resposta do público.

O vídeo foi financiado pelo edital de Economia Criativa do Sebrae.

Veja a seguir o clipe:

Luisa e os Alquimistas surgiu na cidade de Natal e é liderada pela cantora e compositora potiguar Luisa Nascim. Ela fixou residência em São Paulo em 2018 e, desde então, se divide entre os alquimistas que permaneceram em Natal e os que ela conheceu em São Paulo. Na estrada desde 2015, o primeiro disco, “Cobra Coral” (2016), revelou o nome do grupo na imprensa especializada e o levou para diversos palcos da região Nordeste, como DoSol (RN), MADA (RN), Recbeat (PE), Festival Gama (PB), Baile Perfumado (PE), dentre outros.

Para lançar “Vekanandra” no ano seguinte, Luísa se associou ao selo Rizomarte, que ajudou a promover uma campanha de financiamento coletivo para a gravação do álbum. E, da colaboração entre Luísa (compositora e vocalista), Zé Caxangá (synth e guitarra), Gabriel Souto (bases eletrônicas, mpc e efeitos de voz) e Pedras (baixo e samplers), além da produção musical de Walter Nazário (Mahmed e Igapó de Almas), nasceu um álbum que transita entre o universo do  pop underground, da música eletrônica nordestina, passando pelo soul e por influências jamaicanas.

Em São Paulo, Luísa se encontrou com os alquimistas Pedro Regada, Thales Pessoa e Carlos Tupy, que a acompanham nos shows na região Sul/Sudeste. O grupo apresentou-se em palcos como Estúdio Showlivre, Vento Festival (SP), Picnik (BSB). Conexidade (RJ), Felamacumbia (GO), Mundo Pensante (SP), dentre outros. Além disso, fez parte dos showcases diurnos da SIMSP 2018 e teve a música que dá nome ao segundo álbum como trilha sonora oficial do evento.

Projeto ajuda resgatar gatinhos da UFRN

Todos sabem que dentro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) existe vários moradores e eu não estou falando de seres humanos, mas sim de felinos. É normal entrar em uma sala de aula e ver um gatinho sentado na carteira da frente ou pedindo comida na mesa da cantina.

A vontade é de adotar todos os gatinhos, não é mesmo?

O problema é que utilizam a universidade como espaço para abandonar os gatos, os mesmos cruzam entre si e deixa a universidade com superpopulação de gatinhos, no qual a maioria vivem nas piores condições possíveis, alguns chegam a ser maltratado pelas pessoas, ficando feridos e perdendo até os olhos.

Mas o que fazer para controlar a população de gatos? Um grupo de estudantes criou um Instagram chamado Gatinhos da UFRN, no qual os bichanos são resgatados, castrados e prontos para serem levados para adoção.

Além disso, os moderadores da página fazem mutirão para arrecadar dinheiro para cirurgias, ração e tratamento de veterinário para os gatinhos.

Em cada post, um gato é colocado pra adoção e mostra as ações que já foram feitas para o gatinho. Quem se interessar, manda uma mensagem por inbox é um gatinho recebe uma família e um lar para chamar de seu.

Recentemente, o projeto foi aprovado pela universidade como um projeto de extensão.

Confira a seguir um post de cada gato a seguir: