Você pode comprar a sua revista do Brechando por aqui

Finalmente a revista do Brechando saiu, após longas batalhas e vamos colocar o site nas estantes. Após três anos no ar, o site Brechando resolveu estender as suas informações e lançou uma revista, cujo lançamento aconteceu no dia 14 de novembro. A revista é uma parceria com a editora Munganga, de Ayrton Alves e Victor H Azevedo, no qual a revista uniu o estilo de jornalismo informal conhecido entre seus leitores com a editoração das fanzines. Mas o que tem na revista?

A revista possui histórias inéditas e nunca postadas no site, que inclui literatura, história e personalidades natalenses que nunca foram escutadas ou reconhecidas, porém possui histórias inusitadas.

O Brechando foi um blog desenvolvido pela jornalista Lara Paiva no ano de 2015, com o objetivo de divulgar através de notícias e reportagens sobre acontecimentos de Natal que não são divulgadas cotidianamente e aumentar a possibilidade de fazer jornalismo sem formalidade, porém com muita informação. Mais de 30 mil pessoas, por mês, leem textos relacionados às curiosidades, histórias, artigos, reportagens, entrevistas, crônicas e histórias engraçadas sobre a cidade.

Mas quem não conseguiu ir ao lançamento? Não tem problema, você pode comprar por aqui mesmo no site, mais precisamente nesta postagem maravilhosa.

Nós colocamos um formulário embaixo para você colocar as informações necessárias para a compra e a gente vai entregar independente do local, na sua casa ou no seu rolé ou por correio (se você morar em outro local). Então, vamos te responder e fazer com que sua experiência seja a melhor possível:

Faça a sua compra aqui:

Pagamento

 

Compre Aqui

Clowns de Shakespeare cria atividades para comemorar os 25 anos

O Grupo Clowns de Shakespeare foi criado em 1993 com o objetivo de focar em comédia e teatro popular a partir de uma perspectiva colaborativa. Mesmo sem trabalhar diretamente com palhaço, a técnica do clown está presente na sua estética, seja na lógica subvertida do mundo, seja na relação direta e verdadeira com a plateia, seja no lirismo que compõe o universo desses seres.

O grupo mantém o seu espaço-sede, o Barracão Clowns, no qual realiza cotidianamente seus trabalhos de produção, treinamento e pesquisa, ministra cursos e oficinas, e recebe profissionais e espetáculos de diferentes estados e linguagens artísticas.  Por isso, a partir do próximo sábado (17), o Clowns de Shakespeare começará as atividades com o cortejo do Boi Galado, conhecido por marcar o início das atividades do Festival o Mundo Inteiro é Um Palco e agora vai abrir os festejos de 1/4 de século do Clowns.

Todas as atividades serão realizadas no Barracão Clowns, na Av. Amintas Barros, 4661, Nova Descoberta até o dia 14 de dezempro.

No seu currículo, o grupo traz importantes conquistas que conferem uma posição de referência na cena potiguar e nordestina, passando por cerca de 80 de cidades brasileiras, dentre elas, 24 capitais e o Distrito Federal, e ainda percorrendo mais de 30 cidades do interior do Rio Grande do Norte. Além disso, atravessou as fronteiras do país, levando seus espetáculos para Portugal, Espanha, Chile, Equador, Uruguai. Premiado pelos seus espetáculos (SHELL, APCA, dentre outros), o grupo já se apresentou  em diversos festivais importantes do país, inclusive os do circuito internacional (Festival de Teatro de Curitiba, de São José do Rio Preto, Londrina, Brasília e Belo Horizonte), bem como realizou temporadas em teatros de notável importância histórica, como o SESC Anchieta, o SESC Pompéia e o SESI Vila Leopoldina (SP) e o Teatro Alterosa (BH).

Para saber mais informações é só clicando aqui.

BOI GALADO

Cortejo pelo bairro de Nova Descoberta com a participação de Hélder Vasconcelos (PE), Clowns de Shakespeare e convidados.
Ensaio: 16/11, às 19h, grátis
Cortejo: 17/11, às 16h, grátis
Lançamento do projeto Boi Vagamundo, contemplado no Edital Rumos Itaú Cultural 2017

PALCO GIRATÓRIO

Oficina “Iniciação ao teatro de rua”: 16 e 17/11, das 08h às 12h, grátis.
Espetáculo “Os cavaleiros da triste figura”, do grupo Boca de Cena (SE) e direção de Fernando Yamamoto: 18/11, 18h, grátis.
Parceria Sesc Natal

ESTREIA CLOWNS DE SHAKESPEARE – Novo trabalho dos Clowns de Shakespeare

“Tubo de Ensaio A: saturação”: 23, 24 e 25/11, sexta e sábado 20h, domingo 19h, R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia).
“Tubo de Ensaio B: essência”: 01 e 02/12, sábado 20h, domingo com duas sessões 18h e 20h, R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia).
Edital Economia Criativa/SEBRAE RN

ATRAÇÃO INTERNACIONAL

Residência do Griô François Möise Bamba, de Burkina Faso.
Espetáculo “Contos Tradicionais de Burkina Faso”: 08/12, 20h, R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia).
Oficina “A oralidade como base para a educação”: 08 e 09/12, das 09h às 13h, R$100,00.

GRUPO CONVIDADO

Espetáculos do grupo Facetas, Mutretas e Outras Histórias (RN).
“Sal, menino mar”: 15/12, 16h, R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia).
“A jornada de um imbecil até o entendimento”: 15/12, 20h, R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia).

OFICINAS DE FÉRIAS CLOWNS DE SHAKESPEARE

Faz de Conta – para crianças de 07 a 11 anos: de 10 a 14/12, de 09h às 12h, R$250,00
Iniciação Teatral – para jovens e adultos a partir de 16 anos: de 10 a 14/12, das 18h30 às 21h, R$150,00.

Esse moço da foto é Moçambique e vai lançar seu livro em Natal

Ele é Tsumbe Maria Mussndza, natural de Moçambique (localizado na África), ele é performer e também vai lançar um livro marcado para acontecer neste sábado (17), no Bardallos, que fica no bairro de Cidade Alta. A obra se chama “Gule Wankulu”,  uma homenagem à mãe do escritor, amante da cultura local, uma anciã em Moçambique que, aos olhos do autor, “possui duas mãos: a da vida e a da morte, em uma relação de ancestralidades e memórias com a dança Gule Wankulu”.

Pesquisando na internet Gule Wankulu é uma dança ritual ancestral, praticado pelos Chewa no Malawi, na Zâmbia e em Moçambique.

Era um culto secreto, envolvendo uma dança ritual praticada entre os Chewa no Malawi, Zâmbia e Moçambique. Foi realizado por membros da irmandade Nyau, uma sociedade secreta de homens iniciados. Dentro da tradicional sociedade matrilinear do Chewa, onde os homens casados ​​desempenhavam um papel bastante marginal, os Nyau ofereciam meios para estabelecer um contrapeso e solidariedade entre os homens de várias aldeias. Os membros do Nyau ainda são responsáveis ​​pela iniciação dos jovens à idade adulta e pelo desempenho do Gule Wamkulu no final do processo de iniciação, celebrando a integração dos jovens na sociedade adulta.

É realizado na temporada após a colheita de julho, mas também pode ser visto em casamentos, funerais e a instalação ou a morte de um chefe.

Nessas ocasiões, os dançarinos Nyau usam fantasias e máscaras feitas de madeira e palha, representando uma grande variedade de personagens, como animais selvagens, espíritos dos mortos, traficantes de escravos, bem como figuras mais recentes. Cada uma dessas figuras desempenha um caráter particular, muitas vezes mal, expressando uma forma de mau comportamento, ensinando valores morais e sociais à audiência. Essas figuras executam danças com energia extraordinária, entretendo e assustando o público como representantes do mundo dos espíritos e dos mortos.

No livro, Tsumbe atualiza questões que habitam seu corpo em um cruzamento entre as experiências de sua vida e as urgências do contexto sócio-afetivo-político, e o faz trazendo não somente informações, concepções e conceituações pertinentes mas, principalmente, inserindo o leitor em uma experiência “real” de imersão de um pensamento, com raciocínio e redação que o colocam em uma vivência descolonial no tratamento do tema na dança.

Na ocasião do lançamento, ocorrerão duas apresentações musicais. Marília Negra-Flor, compositora, educadora e pesquisadora em danças negras traz sua apresentação musical autoral com um repertório repleto de ritmos populares afro-brasileiros, ijexá, maracatu do baque virado, coco de zambê, dentre outros, tendo como grande influência a cultura afro-religiosa. A outra apresentação musical fica por conta de Felipe Nunes, músico, compositor, poeta e historiador com “África Brasil”, onde percorre o universo afro da música brasileira, trazendo canções de compositores como Baden Powell, Mateus Aleluia, João Bosco, Caetano, dentre outros, além de suas canções autorais ambientadas no universo afro-brasileiro. A entrada colaborativa custa apenas 10 reais.

Serviço – Lançamento do livro “Gule Wankulu”, de Tsumbe Mussundra

Onde: Bardallos Comida e Arte

Horário: 19 horas

Apresentações: Marília Negra-Flor “Motumbaxé, Motumbá?” e Felipe Nunes “África-Brasil”