Francesa cantando português? E como presta!

Cidades
Compartilhe:
O nome desta cantora acima é Laure Briard e ela é francesa, mas seu coração é totalmente brasileiro e vamos contar a sua história, baseada em música dos anos 60 e rock psicodélico. Tudo começou no ano passado, quando conheceu o grupo Boogarins, que estava lançando o disco “Lá Vem A Morte”, quem tem o LP dele graças a revista Noize pirou quando viu que o disco é transparente e as músicas são bem doidonas. Os dois estavam tocando em um mesmo festival, o SXSW, no México e juntos fizeram uma turnê no Brasil e rapidamente veio a ideia de fazer um disco em português. 
Tudo isso veio de sugestão de Benke Ferraz, guitarrista do Boogarins, que convidou Laure a fazer uma turnê no Brasil no ano passado, rapidamente aprendeu português e veio de mala e cuia para as terras tupiniquins.
Iniciou 2018 em Mogi das Cruzes, no Estúdio Mestre Felino, para gravar o EP “Coracão Louco” (Midnight Special Records). Composto todo em português, o trabalho traz uma mistura nada óbvia do “pop épico” dos trabalhos anteriores de Laure e do que chamou sua atenção no Brasil. A produção e mixagem, assinadas por Benke, não deixa transparecer de maneira óbvia a influencia da música brasileira no trabalho. Apesar de harmonias e ritmos brasileiros serem notados, o disco segue por caminhos inesperados, com longas improvisações e experimentos eletrônicos.
A participação dos músicos do Boogarins, Dinho Almeida (violão, guitarra e vozes) e Ynaiã Benthroldo (bateria e percussão) e de Danilo Sevalli (teclas) da Hierofante Púrpura foram fundamentais para a realização do processo, visto que foram eles que botaram a francesa para sambar.
Aclamada por críticos e com um estilo batizado de “Yeyé Psicodélico”, a francesa Laure Briard começou a trabalhar na área musical em 2005. Seu primeiro EP, no entanto, veio a ser lançado apenas no ano de 2013 com a ajuda de Julien Barbagallo, do Tame Impala, e publicado pelo selo Tricatel.
Depois daí, ela regressou ao estúdio em 2016 onde trabalhou em seu novo som, “Sur La piste de danse” (Midnight Special Record/ Burger Records). Foi neste momento que ela viu crescer sua base de fãs e se estabeleceu como artista independente e reconhecido pela mídia na Europa e no mundo.
Confira o EP completo a seguir:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.