[ARTIGO] Qual a diferença entre elogiar mulher e tratar como objeto?

Artigo
Compartilhe:

Como cresci em um ambiente escolar, onde tive a oportunidade de ter muitos amigos do gênero masculino, muitos deles falavam que existia mulheres “para comer” (somente para relações sexuais) e “para casar”. Ficava encucada, como diz mainha, quando eles colocavam estas etiquetas para as garotas com que eles tinham um relacionamento, seja sério ou não. Alguns eu via que até gostava da menina, mas como “ela era mal vista pela sociedade”, alguns deixavam as opiniões alheias lhe absorver, deixando que o relacionamento fosse destruído e ambas as partes ficassem muito deprimidos pela situação que foi tomada. Então, na adolescência, tinha alguns crushes, mas queria que ele me notasse antes de tomar alguma atitude, apesar da ansiedade em não esperar, pois eu cresci ouvindo que a mulher tinha que dar valor.

Então, eu ficava na dúvida qual caminho tinha que seguir: a para comer ou para casar.

Isto mostra a linha tênue entre elogiar uma mulher e a tratar apenas como objeto apenas para uma relação sexual.  Um elogio é, de forma respeitosa, a chamando de “bonita” ou “linda”, falando palavras educadas sem nenhuma conotação sexual ou apresentar uma expressão chula enquanto fala.

Por exemplo, se seu amigo gostou do seu cabelo de forma de rabo de cavalo e disse que estava bonita assim, agindo naturalmente e como um verdadeiro amigo, ele não estará te assediando. Se ele fizesse isso e depois tentar te atacar por um beijo, sem alguma paquera, cuidado, ele está te tratando como objeto e existe uma grande chance de você ter sofrido um assédio.

Além disso, o assédio pode vir não apenas por uma agressão sexual, mas também quando seu amigo do gênero masculino fica a comparando com outras mulheres. Algo que naturalmente já é irritante. Se a Carla Perez usou a dança para ganhar dinheiro e a sua irmã estudou doutorado em Havard, são problemas das duas, isto não faz com que ambas tenham histórias diferentes de vida.

O assédio sexual e sua definição dependem muito da cultura ou do país. Juridicamente falando no Brasil, pode ser considerado um assédio é quando uma pessoa sem consentimento da outra faz essas seguintes ações:

  • Conversar ou contar piadas com caráter obsceno e sexual;
  • Compartilhar ou mostrar imagens ou desenhos de conotação sexual;
  • Enviar cartas, e-mails, mensagem ou fazer ligações telefônicas de natureza sexual;
  • Avaliar uma pessoa unicamente pelos seus atributos físicos;
  • Fazer comentários sexuais sobre a forma de se vestir ou se apresentar;
  • Assobiar ou fazer sons inapropriados em público;
  • Fazer gestos ou emitir sons de natureza sexual;
  • Fazer ameaças diretas ou indiretas com o objetivo de conseguir favores sexuais;
  • Convidar uma pessoa repetidamente para manter relações sexuais ou para saídas;
  • Insultar ou dizer palavrões;
  • Olhar de forma ofensiva;
  • Levantar questões inapropriadas sobre a vida sexual de alguém;
  • Abraçar, tocar, beijar ou encostar em uma pessoa sem permissão;
  • Seguir uma pessoa ou tentar controlá-la;
  • Tocar uma pessoa para que outros vejam;
  • Molestar com palavras ou gestos;
  • Atacar sexualmente.

O assédio sexual pode ocorrer em qualquer lugar, tanto público quanto privado, ou seja, pode ocorrer no trabalho, na escola, nas lojas ou clubes, nas ruas e nos transportes públicos e até mesmo dentro de casa. Tudo o que possa ser encarado como comportamento sexual inaceitável é classificado como assédio sexual.

O assediador não apresenta um padrão, podendo ser o empregador, um colega de trabalho, um estranho ou um falso amigo. O assédio sexual é algo que não tem forma e pode ocorrer a qualquer momento e o assediado deve encontrar meios para se defender.

Uma mulher que foi assediada sexualmente pode registrar boletim de ocorrência em qualquer delegacia de polícia (preferencialmente uma delegacia da mulher).

Essas etiquetas para mulheres é um tipo de assédio que está oculto na sociedade e as fazem parte do machismo em colocar as mulheres numa caixinha e determinar comportamentos que elas devem seguir, nos quais algumas ficam apenas limitadas a serem o que as pessoas querem.

Mulheres são mulheres, elas podem ser o que elas quiserem e as mesmas mostrar. Elas podem ter relacionamento sério ou pequenos casinhos, não precisa diminuir a outra por conta disso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.