[ARTIGO] Anitta, assim não dá para te defender

Artigo
Compartilhe:

Anitta tem 25 anos e assim muitos jovens que nascer uma década de 90, cresceram ouvindo a Britney Spears, Destiny’s Child, o início da carreira solo de Beyoncé, Madonna, boy bands, e dentre outros artistas que passavam no diz Disk MTV. Em dezembro falei que precisamos de um Brasil com mais Anitta, que exaltasse o direito da mulher fazer o que quiser, independente de ser periférica ou não. No entanto algumas ações que ela fez neste semestre não dá para defender.

Em entrevistas internacionais, ela tá criando um falso pioneirismo, dizendo que apenas ela fez música pop no Brasil, enquanto vários artistas já tentaram implementar no Brasil, como Karyn, Sandy e Júnior, Rouge, Twister e dentre outros artistas, embora que os arranjos e letras fossem praticamente versões de músicas já famosas na terra do Tio Sam e de países hispânicos, precisamos reconhecer que eles tentaram colocar um estilo que nos anos 2000 estava saindo o pagode e começando a bombar o funk.

Além disso, a Anitta tem colocado posto lado a lado que a última mulher brasileira que bombou na música foi a Carmem Miranda, visto que os discos da Xuxa venderam bastante nos Estados Unidos e tem um conteúdo gigante dela na página em inglês do Wikipedia. Sem contar que algumas cantoras de axé são reconhecidas internacionalmente, como a Daniela Mercury, que já fez diversas turnês na Europa.

Sabe a Deise Tigrona? Se Anitta, que começou no funk, sabe muito bem quem estou falando. Ela é um sucesso internacional e uma de suas músicas foi sampleadas por M.I.A.

E o funk carioca é venerado pelos gringos com suas batidas feitas apenas em simples computadores nos quartos dos DJs e MCs. Por causa disso, o Diplo, espalhou essas músicas no mundo todo numa época que Anitta era apenas uma adolescente carioca. O mesmo Diplo foi quem ajudou a dar um empurrãozinho na carreira internacional, quando o Major Lazer produziu a música “Sua Cara”, que cantou junto com Pabllo Vittar.

Recentemente, a cantora está usando o seu discurso progressista a favor na mídia internacional, enquanto isso no Brasil se contradiz e vários fãs estão coletando os discursos que a contrariam e vários exemplos podem citados a seguir:

1. Sobre morar em Honório Gurgel , no qual ela falou na mídia internacional que era uma favela.

OBS: Honório Gurgel é um bairro periférico, no surbúbio. Se for usar como parâmetro como Natal, era tipo se ela morasse nas Quintas.

2. Sua relação sobre o caso de Marielle Franco.

3. Trabalhar com Terry Richardson no “Vai Malandra”, diretor de arte acusado de assédio sexual.

4. Casar com um rapaz processado por sua ex-companheira.

5. Em entrevistas anteriores falar que é feminista e agora negar.

Anitta, assim não dá para te defender!

Extra! Falar que era a única brasileira a fazer pop no Brasil:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.