Quais são os artistas que estão no projeto Incubadora do Dosol?

A Incubadora Dosol é um projeto que trabalha com novos artistas potiguares desde 2011. Criada para comemorar os 10 anos de atividade do Combo Cultural Dosol, o projeto envolve todas as etapas do processo de desenvolvimento dos artistas escolhidos. Nomes como Fukai, Talma&Gadelha, Monster Coyote, entre outros, foram só alguns dos artistas que já passaram pelo projeto e seguiram adiante seus caminhos artísticos.

Para 2018, a Incubadora Dosol vai trabalhar com os artistas Luaz, Potyguara Bardo, Joseph Little Drop e Soul Rebel. Confira a história de cada um a seguir:

Joseph Little Drop

Considerados a banda mais trash da cidade, o Joseph Little Drop surgiu em 2014 e mistura punk com uma pitada de tosqueira, mas isso não quer dizer que é ruim. É formado por Filipe Marcus (baixo e vocal), Raquel Soares (bateria), João Pedro (Guitarra e vocal), Vitor Alexander (Guitarra) e Daniel Lucena (vocalista). Em quatro anos de banda, eles já tocaram em todos os lugares e lançaram um cd chamado Punk José.

Confira a nossa entrevista com os caras aqui. Um ano depois desta entrevista, eles fizeram um show em Parnamirim.

Luaz

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo

Luaz é uma proposta musical autoral, com referências mescladas. A banda é formada pela própria Luaz (Luana Alves), Matheus Ribeiro, Bibi Nobre e Arthur Sena. Este é o novo trabalho Luana Alvez, que era a a principal vocalista do Seu Ninguém, que encerrou as suas atividades em novembro do ano passado.

Potyguara Bardo

Resultado de imagem para potyguara bardo

Potyguara é uma drag queen e performer, mas também está começando a engatinhar na música. Diferente da Kaya Conky, ela possui um som mais alternativo e bem distante do pop, migrando para o rock, eletrônico e rap. Neste vídeo promete a seguir, o primeiro álbum promete ser bem eclético:

Soul Rebel

A imagem pode conter: 2 pessoas, barba e noite

Fundada há 4 anos, nos corredores do IFRN (Instituto Federal do Rio Grande do Norte), Soul Rebel quer mostrar que o Nordeste tem bom reggae. A banda é formada por r Ermeson Davi (voz e percussão), Tatiane Anolino (voz e guitarra), Erickson Davi (bateria e percussão), Matheus Fortunato (baixo) e sempre conta com participação de outros músicos natalenses em seus shows. No ano de 2017, a Soul Rebel passou a produzir seu próprio evento, o Ciranda na Esquina, o qual em sua primeira edição já reuniu mais de 200 espectadores e contou com a participação de 18 jovens artistas da cidade, dentre eles fotógrafos, poetas, músicos, artistas circenses, etc. Ainda esse ano, a banda foi selecionada no edital do Som Sem Plugs e ficou entre as 60 melhores bandas universitárias do Brasil no Concurso Superbanda. No mesmo ano, eles lançaram o single “JahEu”, que fala sobre empoderamento feminino.

Todos os grupos já estão trabalhando com seus respectivos produtores e o projeto tem coordenação e direção artística de Anderson Foca e produção executiva de Ana Morena.

O projeto engloba todas as etapas de produção e desenvolvimento criativo dos artistas escolhidos. Também é uma forma de compartilhar o que aprendemos nesses 20 anos que trabalhamos com música no RN.

Entre os produtores envolvidos no trabalho estão Simona Talma (Talma&Gadelha e Orquestra Greiosa), Gabriel Souto (Dusouto), Yves Fernandes (Camarones Orquestra Guitarrística) e Walter Nazário (Mahmed).

Todo o processo será documentado em fotos e vídeos com o dia a dia das gravações. Os vídeos docs serão exibidos no canal do Dosol no youtube e nas mídias sociais do DoSol, como o da Potyguara, postado nesta matéria.

A Incubadora Dosol 2018 tem patrocínio da Oi, através da lei Câmara Cascudo e Governo do RN, com apoio cultural da Oi Futuro, realização DoSol.

Bora montar uma revista? Confira esta campanha

No dia 1º de agosto o Brechando completa três anos. O site, inicialmente, era uma forma de mostrar o meu trabalho de forma independente, uma vez que tinha saído da última redação que estagiei e queria um emprego para mostrar o meu jornalismo (estava desesperada para ter a minha própria independência financeira). Agora, ele é um dos meus principais trabalhos, abriu porta para atuar como freelancer e hoje mostra que o jornalismo online e inovador está mais vivo do que nunca. O importante é não desistir do trabalho e olhar as várias opções existentes que a Comunicação Social está aparecendo para a sociedade. Porém, não queremos parar por aí.

Queremos deixar uma marca em Natal, uma extensão do nosso site, além das redes sociais e site. Que tal montar uma revista?

Durante os próximos 50 dias o site entrará em campanha para arrecadar em torno de R$ 4500 para conseguir montar uma edição comemorativa e impressa com o intuito de elaborar um conteúdo exclusivo sobre Natal, com reportagens (histórias, lugares, música, personalidade…), entrevistas, crônicas e dentre outros assuntos que nunca foram falados no site, mas contam a história da cidade. Além disso, eu não vou trabalhar sozinha com a revista, contará com outros colaboradores e jornalistas.

Ainda terá a parceria da editora Muganga, que estão arrasando na produção, zines e tradução de poetas, além deles saberem muita coisa da capital do Rio Grande do Norte. Então, resolvemos unir as forças.

Quer saber como ficará a revista? Precisa ajudar a gente no Catarse. E guarde a revista não só para ler, mas também como fonte de pesquisa.

A previsão de lançamento é setembro ou outubro deste ano (se conseguir angariar tudo que a gente pede na campanha). Então, quer ajudar? Clique no link da campanha que está no nosso menu.

Veja a campanha a seguir: