Cidades

Após participar de acampamento em Brasília, índios potiguares fazem campanha para voltar para casa

Compartilhe:

Representantes de tribos potiguares estão na capital federal e precisam de passagem de volta para o Rio Grande do Norte. Por isso, uma campanha de financiamento coletivo foi realizada para comprar as passagens, que ao todo custa 1300 reais, no entanto apenas foi arrecadado 690. Os índios potiguares participaram da edição 2018 do Acampamento Terra Livre, maior encontro Indígena Nacional, que aconteceu em Brasília, e lá encontra remanescentes de tribos de diversos estados no Brasil.

No Rio Grande do Norte, por exemplo, contou com uma equipe de 8 pessoas representando essas comunidades. Esses representantes são:

Tayse Campos e Carlos Potiguara – Medonças do Amarelão Potiguara

Francisca Bezerra, Zuleide Bezerra – Aldeia Tapará – Tapuias

Cacique Dioclécio – Aldeia Santa Terezinha – Mendonça Potiguara

Mazinho – Aldeia Sagi Trabanda – Potiguara

Para ajudá-los a voltar para as suas respectivas terras é só acessar este link.

Esta foi a 15ª edição do Acampamento Terra Livre. O evento é uma tentativa de unificar reivindicações pelo direito à demarcação territorial dos povos indígenas. Cerca de 3 mil indígenas de mais de 100 povos pedem melhorias e unificam lutas em defesa dos direitos das tribos. O tema do acampamento deste ano foi “Unificar as lutas em defesa do Brasil Indígena – Pela garantia dos direitos originários dos nossos povos”. No evento, são esperadas cerca de 2,5 mil pessoas de todas as regiões do país, representando mais de 100 tribos.

A atividade faz parte da Semana de Mobilização Nacional Indígena (MNI). O foco do evento é o direito territorial, tendo como principal reivindicação o retorno das demarcações das terras indígenas, além da revogação do Parecer 001/2017, que trata sobre as delimitações. Foram realizada plenárias, audiências, lançamentos de publicações, projeções de filmes e mais atividades culturais.

No RN há 3 povos originários organizados em defesa dos direitos dos povos indígenas: Tapuias – Macaíba, Katu – Canguaretama, Mendonças do Amarelão Potiguara – João Câmara e Potiguaras – Baía Formosa. A gente já falou no Brechando sobre as tribos indígenas existentes no Rio Grande do Norte, que pode ser conferido através deste link.

Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista e publicitária formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *