Ninguém vai retirar a decoração de fim de ano em Natal?

Para quem conhece a tradição natalina, a decoração deve ser retirada no dia 6 de janeiro, quando comemora-se o Dia de Reis, onde comemora-se a chegada dos três Reis Magos para visitar o menino Jesus. A Prefeitura daqui, no entanto, ainda está em clima de Natal. Mas, por que a iluminação ainda não foi retirada? Para saber o motivo, procuramos a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) e,  por meio da assessoria de imprensa, alegaram que as luzes já estão sendo retiradas e a previsão é que até o final do mês.

O tempo para retirar, segundo a Semsur,  já estava previsto no contrato, uma vez que a empresa responsável (o serviço é terceirizado) pelos enfeites tem até o mês de fevereiro para retirar.  A Prefeitura do Natal colocou a decoração natalina em outubro do ano passado e o foco eram as principais vias da cidade. Além disso, montou uma árvore de Natal no meio da Praça da Árvore de Mirassol.

Leia Também:

Além disso, rolou os eventos do “Natal em Natal”, cuja primeira atividade foi  Fest Gourmet e a última foi o  Ribeira 360. Ainda teve shows de artistas potiguares e nacionais, além de projetos voltados nas áreas de dança, literatura (Festival Literário de Natal, o Flin), religiosidade, audiovisual, patrimônio histórico e também concertos da banda sinfônica de Natal.

A iluminação natalina de 2017  foi feita pelos designers João Paulo Campos e Letícia Costa. Serão instaladas peças nas avenidas Salgado Filho, Hermes da Fonseca, Roberto Freire, João Medeiros Filho, Capital-mor Gouveia, Itapetinga, Largo do Ginásio Nélio Dias, dentre outros espaços públicos. Os natalenses e turistas poderão ver materiais como led, mangueiras iluminadas e peças animadas como pisca-piscas e no estilo snow fall.

As peças estarão predominantemente com as cores verde, vermelho e amarelo, combinando com a árvore do Mirassol, que terá a mesma projeção cromática

Campus Party de Natal acontecerá entre 11 a 15 de abril e terá parte dedicada ao aeroespacial

A Campus Party de Natal realmente vai acontecer e já tem uma data definida, dias 11 a 15 de abril, no Centro de Convenções de Natal, na Via Costeira. Serão cinco dias de 200 GB de internet, atividades durante o dia inteiro e mais de 250 horas de conteúdo. As vendas acontecem breve. Nesta semana, a organização organizou um teaser, que pode ser conferido a seguir:

Além disso, parte da CP também será dedicada na parte de aeroespacial, visto que o Rio Grande do Norte é um dos estados que investe nesta área e onde fica o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) ou simplesmente Barreira do Inferno, uma base da Força Aérea Brasileira para lançamentos de foguetes e a primeira da América do Sul, fundada no ano de 1965.

O local foi escolhido pois é próximo do equador magnético; aproveitava o suporte logístico já existente; a região apresenta baixo índice pluviométrico; grande área de impacto representado pelo oceano e condições de ventos predominantemente favoráveis.

Em breve será divulgado os palestrantes que participarão na edição potiguar e mais informações sobre o evento pode ser conferida no site oficial.

A Campus Party é o principal acontecimento tecnológico realizado anualmente em várias cidades brasileiras. Já aconteceu em Brasília, Belo Horizonte, São Paulo, Recife, Pato Branco e Salvador. Nele são tratados os mais diversos temas relacionados à Internet, reunindo um grande número de comunidades e usuários da rede mundial de computadores envolvidos com tecnologia e cultura digital.

Surgiu na Espanha, onde foi realizado o primeiro dos eventos em 1997, posteriormente estendendo-se a outros países como Brasil, Colômbia e México. Hoje é considerado um dos maiores eventos de inovação, ciência, criatividade e entretenimento digital de todo o mundo, tendo reunido milhares de cidadãos de todos os cantos do mundo em um único espaço.

Para organizar e facilitar a participação das pessoas, o evento é divido em quatro Zonas principais: Inovação, Criatividade, Ciência e Entretenimento Digital. Dentro das Zonas, são encontradas as Áreas de Conteúdos onde ocorrem efetivamente as atividades programadas.

A circulação dos campuseiros, como são conhecidos os participantes do evento, é livre entre estes espaços.