Uma volta em um mirante na cidade de Monte das Gameleiras

Brechando deu um rolé no interior do Rio Grande do Norte neste fim de semana, mais precisamente na região da Borborema, que é cercado de serras e faz frio durante a noite. O que fazer em um fim de semana para viajar? Visite o interior do RN, que está em baixa temporada e pode levar um grupo de amigos para olhar paisagens bastante bonitas, daquelas que a gente assiste em reportagem. Um deles é o mirante localizado no Monte das Gameleiras, no seu alto fica um cruzeiro e uma capela de Nossa Senhora da Saúde.

Uma das estações da Via Sacra (Fotos: Lara Paiva)

Esta santa citada acima é tradicionalmente invocada pelos doentes e tornou-se particularmente cultuada a partir dos finais do século XVI, sendo-lhe atribuída a intervenção miraculosa que levou ao fim de vários surtos de peste ocorridos em Portugal. Em sua honra, nas povoações libertas do flagelo, foram-lhe erigidas igrejas ou dedicadas velhas capelas preexistentes.

Assim, o primeiro surto, ocorrido em Lisboa no reinado de D. Sebastião, em 1568. Nesse período, os portugueses começaram a organizar procissões em honra da Virgem, para que por sua intercessão pudesse cessar a peste. Tendo a mortalidade decrescido no ano seguinte, o povo agradecido passou a celebrar anualmente uma procissão em honra de Maria.

Um novo surto da doença tornou mais visível a devoção pela Senhora da Saúde. A pestilência era tão intensa que muitas pessoas fugiam da capital para os arredores, em busca de ares mais saudáveis. Foi nesse contexto que, por exemplo, nasceu a devoção à Senhora da Saúde na povoação de Montemor, em Loures, onde logo foi erguida uma capela à santa. No Brasil, a imagem de Nossa Senhora da Saúde veio no século XIX.

Mas, como faz o trajeto para chegar a Santa? Você pode ir a pé ou de carro. Cuidado, pois durante o dia é bastante quente. Muito calor. O caminho até o mirante é a reprodução da Via Sacra da Paixão de Cristo, que conta a história da morte ressurreição do importe líder do Cristianismo. Estas histórias são contadas em marcos, nos quais os fiéis colocam pedra para agradecer um milagre alcançado.

São 14 estações da via, ao todo. Porém, algumas estão desgastadas e faltam reparos.

Após caminhar o caminho, o viajante chega ao alto da capela de Nossa Senhora da Saúde, além de contemplar com a vista panorâmica da cidade e das vizinhas.

Gameleiras fica a 125 km da capital Natal, numa altitude de 576 metros e temperaturas amenas. A cidade tem 2,3 mil habitantes. Veja mais fotos a seguir:

 

Brechando Salvador através de Polaroids

Além de ter ido ao show do Paul McCartney, também fui brechar a cidade, conhecida por ser a primeira capital do Brasil e uma das importantes cidades do Nordeste. Através de uma Instax, que tira fotos instantâneas no estilo Polaroid, registrei pontos turísticos bacanas da cidade, deixando com um gosto de querer visitar novamente a cidade. Como passei dois dias, eu não pude visitar tantos lugares, mas consegui conhecer alguns interessantes, que serão explicados a seguir:

Rio Vermelho

Quando vi o Rio Vermelho, ele me lembrou um pouco Petrópolis daqui de Natal, sendo que com uma cara mais cosmopolita e cheio de arte urbana (sticker+graffitis). É um bairro que fica próximo da praia, mas conhecido por ser bastante alternativo, com muitos bares, estúdios de tatuagem, sebos, restaurantes e dentre outras atividades. Apesar de ter muitos prédios e casas, o que achei interessante é que lá tem bastante casas antigas que são utilizadas para bares/restaurantes e até residências normais.

Aqui está algumas brechadas que fiz no bairro:

Museu de Arte Moderna

O Museu de Arte Moderna da Bahia, conhecido como MAM, está localizado no Solar do Unhão, um sítio histórico do século XVI, às margens da Baía de Todos os Santos e é um dos 12 museus estaduais que são vinculados ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC). Nas suas dependências podem ser encontradas pinturas, esculturas, fotografias e desenhos de artistas como Tarsila do Amaral, Portinari, Flávio de Carvalho, Di Cavalcanti, Rubem Valentim, Pancetti, Carybé, Mário Cravo e Sante Scaldaferri.

Apesar de ter muita arte, o MAM é conhecido pelo seu jazz nos fins de semana e também para se encontrar com a finalidade de ver o bonito por do sol nas margens da baía.

Elevador Lacerda

Vista do Elevador Lacerda

O Elevador Lacerda é o primeiro elevador urbano do mundo e foi inaugurado em 1873. Por apenas 15 centavos, você consegue sair da parte baixa da cidade de Salvador e ir ao Centro Histórico. Lá tem uma das vistas mais bonitas da Baía de Todos os Santos, visto na polaroid acima. Hoje é um dos principais pontos turísticos e cartão postal da cidade. Do alto de suas torres, descortina-se a vista da Baía de Todos os Santos, do Mercado Modelo e, ao fundo, o Forte de São Marcelo.

A seguir uma vista melhor do que é o Elevador Lacerda:

No fundo dá para ver um pouco o Elevador Lacerda

Por falar no Mercado Modelo, ele é visitado por quase todos os turistas, ao entrar se impressionamos com a beleza do prédio neoclássico, mas também vemos um pouco da história da Bahia. Por quê? Porque vemos nas suas lojas as influências portuguesas e africanas que o estado possui. Lá tem vários objetos interessantes e fica na dúvida em o que comprar.

Centro Histórico

O Centro Histórico de Salvador é enorme e conta um pouco da história da primeira capital do Brasil. Abrange áreas do Pelourinho, da Sé, Terreiro de Jesus, Largo do São Francisco e Santo Antônio Além do Carmo. A via principal de acesso é a tradicional Rua Chile, que inicia na Praça Castro Alves e termina na Praça da Sé. É o maior conjunto arquitetônico do período colonial da América Latina, sendo um local altamente turístico com museus, lojas, centros culturais, igrejas, apresentações musicais, variadas opções gastronômicas e de hospedagem e comércio em meio aos diversos casarões e sobrados coloniais.

É lá onde fica o Palácio Rio Branco, local que funcionou a sede do Governo Geral. O palácio primitivo começou a ser construído pelo primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa, em meados do século XVI, para ser o centro da administração portuguesa. No início era de taipa de pilão, recebendo posteriormente pequenas ampliações. Teve várias funções, como quartel e prisão.

Parte interna do Palácio Rio Branco

Abrigou Dom Pedro II, quando este veio em visita a Bahia em 1859, 30 anos antes do surgimento da República. Em 1900, na gestão do governador da Bahia, Luís Viana, passou por uma reforma e passou a ter um estilo neoclássico.

Dentro do Centro Histórico está o Pelourinho, no qual hoje é integrante do Patrimônio Histórico da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. A palavra “pelourinho” se refere a uma coluna de pedra, localizada normalmente ao centro de uma praça, onde escravos eram expostos e castigados. No Brasil Colônia, porém, era, principalmente, usado para castigar escravos.

Hoje o local abriga diversas lojas e restaurantes, no qual uma delas que fui era um restaurante chamado Rango Vegano, no qual pude apreciar um delicioso vatapá vegano. Uma forma diferente de apreciar a tão tradicional comida baiana.