Como ajudar Seo Inácio, cinéfilo mais famoso de Natal, recuperar de uma cirurgia

O Sêo Inácio é um cinéfilo que ficou conhecido por ter assistido mais de mil filmes. A sua história foi contada no documentário “Sêo Inácio ou Cinema Imaginário”, do diretor Hélio Ronyvon, que foi exibido em 2015 no Festival de Gramado, no Rio Grande do Sul, no qual contou com a presença do idoso, roubando a cena do festival e atraindo atenção da mídia nacional. Em dezembro do mesmo ano, ele ganhou o título de cidadão natalense na Câmara Municipal. A condecoração foi entregue pelos vereadores Franklin Capistrano e Hugo Manso.

Inácio Magalhães é ex-funcionário dos Correios e ex-arquivista da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ele ficou conhecido pelo documentário que rendeu diversos prêmios tanto nos festivais do estado quanto em outros locais.

Magalhães estudou até a quarta-série do ensino fundamental e já assistiu mais de 20 mil filmes, cuja maioria foram comprados em uma banca bastante conhecida no bairro de Cidade Alta por vender DVDs de filmes cults e raros. Inicialmente, o documentário era para retratar a pequena loja, porém o visitante ilustre chamava mais atenção. Traz consigo cadernos com anotações sobre a maioria das películas que viu. Mora numa casa no centro da cidade, rodeado de livros e filmes.

No entanto, está precisando de ajuda para manter a casa e seu extenso arquivo de filmes, principalmente nos últimos meses, quando passou por problemas de saúde, chegando a ficar internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Por isso, os idealizadores do documentário estão realizando uma campanha para ajudar o idoso.

Seo Inácio precisa se preparar para uma cirurgia

“Quem viu nosso documentário sabe que a casa dele não tem o mínimo de estrutura adequada para uma recuperação tranquila, além da possibilidade de Inácio contrair uma nova infecção. Ele está com uma sonda, com problemas estomacais devido ao excesso de uso de antibióticos, muito fraco e ainda com muitas restrições alimentares”, disse os idealizadores do filme através da fanpage.

Por isso, um amigo do cinéfilo sugeriu que  ficasse um tempo em uma clínica geriátrica, pelo menos até restabelecer-se para enfrentar a cirurgia. Por isso, ele precisa de ajuda para se manter nesta clínica e os custos de saúde. Como ajudar o Seo Inácio?

Será preciso arrecadar algo em torno de R$2.500 para uma estadia de pelo menos 30 dias. Os dados bancários serão divulgados a seguir:

INACIO M DE SENA
Banco Santander
Agência 0080
Conta corrente 01009127-6

Grupo brasiliense fornece peça e oficina de teatro de graça em Natal

Primeira apresentação em Natal, “Quando o coração transborda” é uma peça intimista, criada para ser representada em pequenos teatros, com músicas executadas pela própria atriz. Maíra Oliveira toca viola caipira e violão e canta em cena, num grande encontro informal com a plateia. Apresentação acontece entre os dias 05 e 06 de outubro, às 20 horas e é idealizada pelo grupo de teatro Esquadrão da Vida (DF), que desde a década de 70 atua nas artes cênicas da cidade de Brasília (DF) e é um dos grupos mais antigos em atuação no Brasil.

Fundado em dezembro de 1979, por Ary Pára-Raios, o Esquadrão da Vida foi pioneiro na abordagem de temas como o resgate e a valorização da cultura popular, a denúncia de exclusão de uma parte importante da sociedade dos espaços culturais tradicionais, a conscientização ecológica, dentre vários outros temas que ainda hoje ocupam os debates no mundo. Em sua linguagem, incorpora elementos expressivos das festas populares e de saltimbancos, como acrobacia, música e dança.

Esta ousadia, bom humor e subversão políticas tão características de Ary Pára-Raios se tornam marcas da trupe sob sua direção e permeiam os seus trabalhos mais expressivos como “Na Rua com Romeu e Julieta” (1993), “O Bicho Homem e Outros Bichos” (1994) e “Folia Real” (2001), todos apresentados por diversos anos nas ruas das principais cidades do país.

Em 2003, Ary Pára-Ráios falece e passa à filha Maíra Oliveira a tarefa de dar continuidade ao trabalho do grupo. Também inicia a sistematização do trabalho realizado pelo grupo até então, atualiza a Guerrilha do Bom Humor e passa a realizar treinamentos e ensaios regulares na tentativa de manter um grupo fixo.

Lembrando sua história no teatro, as apresentações com o Esquadrão da Vida e com seu pai, as dificuldades vividas para chegar até este momento, Maíra deixou seu coração transbordar. Em cena. A partir de textos, músicas, cartas e lembranças, Maíra Oliveira reflete sobre o ofício do ator, aborda temas intimamente ligados à sociedade brasileira contemporânea e reconstrói sua trajetória como atriz, relembrando um pouco da história do grupo Esquadrão da Vida e da relação com seu pai, o grande criador Ary Pára-Raios.

A peça estreou em 2015 com grande sucesso e depois de algumas temporadas no DF, com mais de 60 apresentações, alça novos voos com circulação nacional, ampliando seu público e divulgando a história cultural de Brasília, uma vez que é resultado de um novo olhar sobre o trabalho do Esquadrão da Vida, há 38 atrás. A atriz percebeu como sua relação com seu pai e mestre influenciava seu fazer artístico e o trabalho da trupe. E decidiu que era preciso lançar um novo olhar para o futuro, sem perder os aprendizados do passado. Reverenciar a história, sem deixar de mirar a invenção do novo.

Os ingressos gratuitos distribuídos 1h antes de cada apresentação na ABOCA Cultural, que fica na Rua Frei Miguelinho, 16, no bairro da Ribeira.

Além do espetáculo, o grupo fará a oficina “Para Aprender a Voar”, a partir das 18 horas. Será ministrada por Maíra com 12h de duração dividida em três dias (4h diárias) faz parte do repertório artístico do Esquadrão da Vida e traz, consigo, a experiência acumulada em 36 anos de atividade. Nela, o participante exercita por meio de brincadeiras e acrobacias o jogo dramático, desenvolvendo potenciais e consciência corporal, ferramenta indispensável para o trabalho do ator.

Serão ofertadas 15 vagas. Os interessados para aula deverão enviar o currículo resumido e carta de intenção – abocacultural@gmail.com.

FICHA TÉCNICA

Direção: Maíra Oliveira e João Antonio de Lima Esteves
Direção Musical: Roberto Corrêa
Roteiro: Maíra Oliveira
Atuação: Maíra Oliveira
Preparação Corporal: Daniel Lacourt
Produção: Carvalhedo Produções
Figurino: Maria Carmen
Iluminação: Marcelo Augusto
Programação Visual: Ico Oliveira
Entrada Franca
Classificação etária: 14 anos
Duração: 1 hora e 30 minutos

SERVIÇO:
Espetáculo “Quando o coração transborda” do Grupo Esquadrão da Vida (DF)
Dias: 05 e 06 (quinta e sexta)
Hora: às 20h, na ABOCA Cultural
Onde: Rua Frei Miguelinho, 16, Ribeira.
Ingressos gratuitos distribuídos 1h antes de cada apresentação

Oficina “Para Aprender a Voar”
15 vagas
Data: 09, 10 e 11.10
Horário: 18h às 22h
Carga Horária: 4 horas por dia
Oficina para maiores de 16 anos
Inscrições GRATUITAS através do envio do currículo resumido e carta de intenção – abocacultural@gmail.com.