10 motivos para preservar a Floresta Amazônica

Utilidade Pública
Compartilhe:

Dia 05 de setembro é o Dia da Amazônia, mas resolvemos antecipar as atividades. Recentemente, a Presidência da República, após fortes retaliações, revogou o Decreto para liberar a Renca (Reserva Nacional de Cobre e Seus Associados), uma área com alto potencial de ouro e outros metais preciosos que fica entre o Pará e o Amapá com 46.450 quilômetros quadrados, pouco maior que a Dinamarca para as grandes empresas de minério.

O decreto que a criou, em 1984, no final da ditadura militar, determinava que somente a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), uma empresa pública pertencente ao Ministério de Minas e Energia, podia fazer pesquisa geológica para avaliar as ocorrências de minérios na área. A expectativa era que grandes empresas se interessem em explorar o potencial da área. Para ambientalistas e especialistas, no entanto, a medida ameaça as duas reservas indígenas, um parque nacional, uma floresta nacional e uma estadual e quatro reservas ecológicas que compõem a área total da Renca.

Após uma campanha de preservação da floresta, liderada por diversos artistas, o Decreto foi revogado. Mas, por que medidas exploratórias contra a Floresta Amazônica é grave ?

Você sabia que o Brasil é o 4º maior emissor de gases de efeito estufa, que provocam o aquecimento global, principalmente porque desmatamos muito ? Intensificando a partir de projetos que estimulam a exploração de recursos dentro da Floresta Amazônica aumentará cada vez mais. Além disso, 61% das nossas emissões vêm do desmatamento e queima de florestas nativas.

Veja aqui 10 motivos para preservar a Floresta.

1) A Floresta Amazônia ocupa metade do Brasil e abriga 2/3 de todo o remanescente florestal brasileiro atual.

A Floresta Amazônica possui 2500 tipos de árvores e mais de 30 mil tipos de plantas. Além disso, ela é perene, ou seja, permanece verde durante todo o ano, não perdendo as suas folhas no outono. Apresenta uma densidade elevada, o que é propício ao grande número de árvores por m². Costuma-se classificar essa floresta conforme a proximidade dos cursos d’água. Dessa forma, existem três subtipos principais: mata de igapó, mata de várzea e mata de terra firme.

2) O Brasil detém 12% das reservas hídricas do planeta.

Dentre as reservas hídricas se destaca o Rio Amazonas, com 6 992,06 km de comprimento e mais de mil afluentes, sendo que alguns deles, como o Madeira, o Negro e o Japurá, estão entre os 10 maiores rios do planeta.

3) A expansão pecuária na Amazônia é, sozinha, responsável por 5% das emissões de gases-estufa em todo o mundo.

4) Perderemos 45% da Caatinga e 48% do cerrado, intensificando o processo de desertificação.

O processo de desertificação pode ser resultado de atividades humanas ou de fatores naturais. A desertificação é caracterizada como o processo de degradação da terra nas zonas áridas, semiáridas e subúmidas secas, resultantes das atividades humanas ou de fatores naturais. Na região Nordeste do Brasil, estima-se que cerca de 230 mil km² já estejam desertificados, uma área superior à do estado do Ceará. Ocasionando o empobrecimento dos solos e as rigorosas secas.

5) Cerca de 15% das espécies de plantas e animais estão localizadas na Amazônia.

6) As florestas tropicais ainda ajudam a equilibrar o clima, sendo que absorve o dióxido de carbono (também conhecido como gás carbônico) da atmosfera.

Por isso que muitos especialistas a chamam de “Pulmão do Mundo”.

7) Mudanças climáticas impactam diretamente as cidades brasileiras, como as grandes enchentes.

8) Prejudica a agricultura familiar.

9) 60% da vegetação nativa do Brasil está contida nas reservas legais da Floresta Amazônica.

10) Já perdemos cerca de 20% da Amazônia, o limite estabelecido pela lei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *