Artigo

Um ano depois de adotar um gato: o que mudou

Compartilhe:

O meu gato Thor completou 1 ano de vida e várias coisas aconteceram nestes 12 meses de vida. Assim que ele chegou aqui em casa foi bem recebido pela minha cachorra Liliva, que não está aqui entre nós e pareciam dois irmãos que brigavam o tempo todo, mas se amavam mesmo assim, tanto que ele ficou bastante triste com a sua partida. Recentemente, o hamster Cookie morreu durante o carnaval e todos ficaram bem sentidos, inclusive ele.

O que quero dizer com isso? Mesmo sendo um felino, ele está atento aos detalhes e sempre pronto para dar um ombro amigo, mesmo não sendo um animal de mesma espécie, como um cachorro, hamster ou seres humanos.

Os gatos podem ser independentes, como todo mundo fala, no entanto não é menos amigo que um cachorro. Pelo contrário, ele sabe quando os seus tutores estão tristes ou precisam de carinho, está do seu lado nos momentos mais difíceis. Por exemplo, quando meus pais precisavam tomavam decisões importantes, o Thor sempre estar lá para acalmar os ânimos.

Toda vida que alguém chega em casa estressado, ele vai em qualquer lugar e te dá um carinho. Ou solta aquele charme com os seus olhinhos verdes.

Tem vezes que ele pode te deixar maluco, sem saber o que fizer. Principalmente quando fica zangado, pois quer ficar do lado de fora da casa ou até mesmo fugir. Antes de ser castrado, ele chegou a fugir e se esconder no esgoto da rua. Lá vai eu tirar o gato e ouvir piadas dos técnicos da Cosern: “Ei, vai caçar o Pokémon?”. Mesmo irritada, cheguei a responder com o humor: “O meu miau está no esgoto”.

Às vezes seu lugar de refúgio é o telhado, onde ele sobe as caixas do condicionadores de ar e fica lá por horas. No início, a família ficava toda preocupada, mas quando descobriu que ele sabia descer e na verdade era um drama para “testar se era querido” a gente se aquietou.

Ele adora brincar e petiscos. Quer fazer amizade com o Thor? Apenas brinque com ele e você vai ganhar um amigão para toda a sua vida. Adora ficar brincando com bolinha ou com qualquer coisa que balance, tipo fios, além de dispersar energia, lhe deixa bastante feliz.

Outra característica comum entre o Thor e um cachorro: eles vão para as visitas, apenas se ele souber se vai com a cara deles. O que adorava muito em cachorros era saber quem era legal ou chato. Se fosse chato com animais no geral, o dog não chega nem perto. O Thor também funciona nesta mesma perspectiva.

Claro que gato e cachorro têm as suas diferenças, mas eles sabem ser afetuosos com os seus donos. Muitas pessoas ainda insistem, de forma equivocada, em comparar o temperamento de gatos e cães. Nessa disputa entre cão e gato, os felinos muitas vezes acabam sendo apontados como individualistas, traiçoeiros e insensíveis. Fazendo, assim, que muitos gatos sejam abandonados pelas ruas de Natal.

Essa visão distorcida é resultado da interpretação errada dos sinais e das demonstrações de afetuosidade dos gatos.

Todas as pessoas, mesmo as que não convivem com cães, sabem identificar quando os cães estão felizes: eles abanam o rabo. O gato por sua vez ronrona, no qual o seu corpo inteiro vibra. Outra forma do felino demonstrar sua felicidade com alguma coisa ou pessoa é se esfregar. O Thor, por exemplo, adora se esfregar nos pés das pessoas.

Os gatos são extremamente participativos e comunicativos, além de serem sociáveis com pessoas e outros animais. Assim como os cães, eles também precisam de atenção e carinho.

Obrigada, Thor, por alegrar a casa.

Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista e publicitária formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *