Orgulho Nerd: Há 40 anos estreia Star Wars e o porquê dos nerds se identificarem tanto

Artigo
Compartilhe:

Hoje é dia 25 de maio, também conhecido como o Dia do Orgulho Nerd ou da Toalha. Mas, qual a origem desta data? Tem duas vertentes. Neste ano comemora os 40 anos da estreia do primeiro filme da franquia Star Wars (Star Wars, Episódio IV: Uma Nova Esperança), lançado em 25 de maio de 1977 e considerado um grande marco para a cultura nerd. No dia 25 de Maio ainda é celebrado o Dia da Toalha, uma comemoração que é uma homenagem dos fãs da série “O Guia do Mochileiro das Galáxias” e ao seu autor, o escritor Douglas Adams.

A gente não se resume apenas em Comic Con e Big Bang Theory.

Como me descobri nerd? Fui praticamente uma nativa digita, cresci vendo a transição da minha mãe datilografando os principais documentos até chegar o computador, onde tinha a regra de conectar às 20 horas ou de madrugada para que a conta do telefone chegasse intacta. Mas, minha vida na internet começou mesmo com a chegada da internet a cabo em casa,  me interessando por blogs, html, jogos para computador e dentre outras coisas. HTML? Sim, estava cansada de baixar os Templates By Marina e queria fazer os meus próprios. Por isso, comecei a estudar em tutoriais em HTML e hoje só sei o básico. Mas, eu conseguia montar layouts legais para Blogger e o do UOL. Além disso, foi nesta época que comecei a mexer no Photoshop.

No colégio, eu não era aluna mais preguiçosa, mas também conseguia tirar notas acima da média. Por outro lado, eu nunca assumia este lado para os meus amigos mais chegados, no qual achavam que só escutava rock e baixava os discos no Kazaa. Até que em 2007, meu ex-namorado me apresentou Jovem Nerd e me identifiquei com Azaghal e Alexandre Ottoni. Foi aí que descobri que ser nerd não é ser apenas um cara focado em apenas em olhar para o quadro livros e tirar boas notas. Eles gostam de novas tecnologias, quadrinhos, livros de todos os tipos, questionam a sociedade, debatem todos os assuntos e, claro, brecha bastante todos os universos possíveis.

Por isso, os nerds se identificam bastante com Star Wars, pois Luke Skywalker era um rapaz questionador, curioso. Queria saber o seu objetivo na vida, uma vida melhor para os seus pais de criação e não se conformava em trabalhar como peão no planeta Tatooine. Quando viu a mensagem da Princesa Leia para Obi-Wan Kenobi, ele viu a oportunidade para mudar o mundo.

Por outro lado, temos a princesa Leia Organa, que não aceita às atrocidades do Império Galáctico e faz de tudo para salvar o universo. Diferente das outras princesas da Disney, conforme falamos neste texto, ela não esperava o príncipe encantado para salvar das roubas que a vida fornece, Leia queria agir com as próprias mãos. Nos dando a lição de que não devemos esperar nada de ninguém. Se a pessoa te decepcionou, vai em frente.

Assim, portanto, os nerds se identificam tanto por Star Wars, porque eles são pessoas que durante muito tempo viveram na margem da sociedade, sendo taxados e sofrendo todos os tipos de agressão nos tempos escolares, mas tiveram que lutar por conta própria para seguir os seus princípios e conseguir manter o ciclo social.

Além de um roteiro bem articulado, baseado na Jornada do Herói, ele primou em trabalhar com efeitos visuais bastante elaborados que até hoje deixa o espectador impressionado. George Lucas, um nerdão convicto, amantes das novas tecnologias e sofreu bastante críticas na sua faculdade de Cinema, mostrou que “são as histórias que impulsionam o avanço da tecnologia” e não o contrário.

A necessidade de fazer um filme futurístico o levou a fundar, em 1975, a empresa Industrial Light & Magic (ILM), que se especializou em modernizar e digitalizar as técnicas análogas e agora é um referencial. Um grupo de jovens engenheiros passou dias e noites durante quase dois anos em um local ao norte de Los Angeles, inovando os sistemas de animação, fotografia e gráficos, assim como as impressoras óticas, com as quais mesclavam várias filmagens. Fazendo com que a imprensa americana ficasse de queixo caído.

No Brasil, por viver num Governo Militar e as notícias gringas não eram transmitidas de forma tão rápida. Por isso, o lançamento da trilogia original, especialmente em “Um Nova Esperança”, que foi o primeiro da saga, não existia essa ansiedade para o filme, pois as pessoas raramente entravam no cinema tendo noção do que iria assistir. Os jornais sobre os filmes de Star Wars recebiam pouco ou quase nenhum espaço.

Com o amadurecimento do público e dos outros filmes, as pessoas iam ao cinema buscando filme de diretores e atores conhecidos. A maioria das pessoas chegavam aos cinemas com poucas expectativa sobre o filme e foram impactados com a supremacia e diferença do universo galáctico, com isso foi gerado uma propaganda boca-a-boca, assim, recebendo mais espectadores nas semanas seguintes à estreia. Em Natal, os filmes eram exibidos no Cine Rio Grande e no Nordeste, localizados no bairro de Cidade Alta, causando filas quilométricas por onde passava.

Por que Star Wars pirou a cabeça de todas as áreas? O mais revolucionário foi a Dykstraflex, uma câmera que controlava digitalmente os movimentos sob diferentes ângulos e que permitiu a criação das famosas batalhas no espaço. John Dykstra, seu inventor, ganhou dois Oscars com a primeira divulgação da saga e terminou se transformando em um dos mestres dos efeitos especiais.

Lucas provou que é possível reunir a ciência e a arte numa coisa só, algo que até hoje é bastante presente e cultuado na cultura nerd. Algo que surgiu há 20 anos antes do livro “Um Discurso Sobre a Ciência”, escrito pelo português Boaventura Santos.

Na década seguinte, o cinema viveu uma explosão de avanços técnico sem filmes como “De volta para o futuro”, “Alien, o 8º passageiro”, “Blade Runner, “O exterminador do futuro” e “E.T. – O extraterrestre”. Mais adiante chegariam outros igualmente conhecidos, como “Parque dos Dinossauros”, “Titanic”, “Forrest Gump”, “O resgate do soldado Ryan”, “Avatar” (com a sua tecnologia em 3D) e “Independence Day”.

O que Star Wars e ser nerds têm em comum? É que todos queremos atingir os nossos objetivos e ser herói de alguém. Quase todos nos identificamos com alguns dos personagens da história, como o vilão amargurado que chegou desta forma por conta do passado, como o Darth Vader, o mocinho questionador de Luke, o malandro fanfarrão no estilo Han Solo ou ser justa como a Leia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.