15 15America/Bahia maio 15America/Bahia 2017 – Brechando

Natal é a 20ª cidade mais feliz de trabalhar e o RN é o quinto do NE, segundo estudo que avalia felicidade no trabalho

Todo mundo tem prós e contras na profissão, e sorte de quem tem mais motivos para elogiar do que reclamar da empresa onde trabalha. O fato é que um relatório com mais de 140 mil avaliações anônimas de profissionais do Nordeste. Recentemente, um dado mostrou que Natal é a 20ª cidade mais feliz para se trabalhar. Das capitais nordestinas citadas das 20 cidades mais felizes do Brasil, ela perde para Fortaleza, que ficou na 12ª colocação do ranking.

O resultado veio de uma pesquisa na página Love Mondays, que  é uma comunidade de carreiras no Brasil, mediu o nível de satisfação dos funcionários de todos os estados do Nordeste. A plataforma reúne avaliações de profissionais sobre as empresas em que trabalham, com critérios rígidos de preservação da identidade do profissional e da integridade da empresa. Os usuários dão notas de 1 a 5, sendo 1 “muito insatisfeito” e 5 “muito satisfeitos”, para os cinco quesitos.

Levantamento foi feito com mais de 68 mil pessoas de todo Brasil aponta Cuiabá como local onde profissionais estão mais satisfeitos.

Ranking também aponta cidades com maior insatisfação, como São Caetano do Sul (SP); Niterói (RJ); Santo André (SP); João Pessoa (PB) e Osasco (SP)..

A intenção é ajudar as pessoas a “saberem onde estão pisando” na hora de tomar uma decisão profissional, como mudar de emprego. A recomendação especializada é a de que a decisão tem a ver com o momento da vida do trabalhador, e a qualificação dele pode provocar um efeito transformador nas empresas.

Em compensação, os pernambucanos são os mais satisfeitos da região nos quesitos satisfação geral, oportunidades de carreira, remuneração e benefícios, qualidade de vida e cultura da empresa. Foram mais de 17 mil depoimentos de profissionais sobre as empresas pernambucanas, que se destacaram principalmente no setor de tecnologia e telecomunicações.

Em satisfação geral, o Nordeste apresentou nota 3,48, pouco abaixo da média nacional, de 3,50. Entre os estados, Pernambuco teve a melhor nota para o critério: 3,59. Sergipe e Maranhão vêm na sequência, com 3,54 e 3,53. O Rio Grande do Norte, por sua vez, está na quinta colocação:

Ranking do Nordeste com profissionais mais felizes no trabalho

1º   Pernambuco:    3,592
2º  Sergipe: 3,543
3º   Maranhão:  3,534
4º   Ceará:  3,535
5º   Rio Grande do Norte: 3,516
6º   Paraíba: 3,467
7º   Alagoas: 3,438
8º   Bahia: 3,39
9º   Piauí:  3,36

Love Mondays foi fundada no Brasil em 2014 e lançada no México e na Argentina no início do ano. São mais de 2 milhões de acessos por mês.

Houve redução de 25% dos casos de feminicídio no RN

Em menos de seis meses, o RN perdeu 900 pessoas vítimas de homicídios.  Esses dados são do grupo OBVIO, sigla para Observatório da Violência Letal Intencional, que estuda os dados da violência urbana no Rio Grande do Norte. A intenção é criar um alerta para os governantes sobre os avanços da violência letal no Rio Grande do Norte.  Os maiores crimes foram registrados em Natal, Parnamirim e Mossoró.

A equipe fez uma estatística entre 1 de janeiro até 14 maio deste ano.  Dessas 900, 851 foram homens e 47 mulheres. Porém, duas pessoas não tiveram o seu gênero identificado.

Podemos pensar que poucas mulheres foram mortas no estado, visto que houve uma redução de 34,3%. É verdade, porém o que mais choca que houve um decréscimo de 25% dos casos de feminicídio, ou seja, morte de mulheres que foram assassinadas por companheiros. Ou seja, destas 47 moças mortas, 9 foram pelos companheiros. No ano passado, este número no mesmo período eram de 12 moças.

Clicando na imagem você vai ver os dados de mulheres mortas (rosa), Natal (superior direita), Parnamirim (inferior esquerda) e Mossoró (inferior direita)

De acordo com o Obvio, 60% dos assassinatos do estado aconteceram na Região Leste do estado, sendo que 244 crimes foram em Natal, 97 em Mossoró e 60 na cidade de Parnamirim.

Apesar da redução de morte de mulheres por parentes, não há o que comemorar ainda. Em todo 2016, foram mortas 101 mulheres por diferentes motivos. Isto significa que os quase seis primeiros meses de 2017 estamos quase atingindo o mesmo valor no ano passado.  O Brechando já explicou aqui sobre o feminicídio e explicou a diferença entre este crime com femicídio.

Recentemente foi nomeada a delegada Sheila Frentes para ser a nova secretária da Secretaria Estadual da Segurança Pública e Defesa Social (SESED). Por muitos anos, ela era a titular da Delegacia que investigava o crime organizado no estado.

Dessas 900, 851 foram homens e 47 mulheres. Porém, duas pessoas não tiveram o seu gênero identificado.

Ataque cibernético explicado em infográfico

Computadores de dezenas de países sofreram na sexta-feira (12) um ataque na rede de computadores de escala mundial que afetou o funcionamento de empresas ou instituições como hospitais, bancos, indústrias e serviços públicos. Da Rússia à Espanha e do México ao Vietnã, dezenas de milhares de computadores foram alvo de um programa de resgate (ransomware) aproveitando uma falha no sistema operacional Windows XP da Microsoft; uma antiga versão que já não contava com suporte técnico da companhia americana.

O chamado WannaCry “ransomware” bloqueia o acesso aos arquivos do usuário e pede dinheiro -por meio da moeda virtual bitcoin para desencriptar esses arquivos.

A seguir apresentamos este infográfico para falar sobre o ataque cibernético: