Por falta de documentação, Le Cirque foi interditado quatro dias antes de fechar

Cidades
Compartilhe:

Quem achou estranho o Le Cirque fechado na noite desta quarta-feira (26) existe um motivo: A Prefeitura do Natal interditou o espaço. Através da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), o circo foi interditado após o estabelecimento ter entrado com o pedido de renovação de licença, mas foi negado, pois eles estavam com documentos vencidos, como a vistoria do Corpo de Bombeiros, contratos com as ambulâncias e Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de engenheiro.

Até o momento o Le Cirque não se pronunciou sobre o assunto ou se vão atrás da documentação para finalizar a sua temporada em Natal. Faltava quatro dias para a sua última apresentação na cidade.

Esta não é a primeira vez que eles têm problemas com a administração pública. Em março deste ano, eles foram interditados em Brasília ficando dois dias sem funcionar.  A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) constatou falta do documentação. Além disso, o local precisou passar por ajustes, seguindo orientações do Corpo de Bombeiros, segundo a matéria do jornal Correio Brasiliense.

A atração circense, que praticamente foi adotado pelos natalenses, iria fazer a sua última apresentação nas terras potiguares no dia 1ª de maio. Eles iriam sair da cidade nesta semana, mas após o pedido do público, eles resolveram estender mais ainda as suas apresentações. Veja esta postagem a seguir:

Agora não teremos mais memes desse jeito:

Além disso, outros memes surgiram após o anúncio do fechamento do circo, como:

A página do Le Cirque também compartilhou um dos memes:

O Deputado Estadual Fernando Mineiro fez até um cartaz sobre o Le Cirque em alusão à greve geral que vai acontecer na próxima sexta-feira (28):

Sobre o Le Cirque

O Le Cirque foi criado em 1999 pelos irmãos Stevanovich na França. Eles possuem diversos artistas, como França, Rússia, Espanha, Itália, Mongólia e Canadá.  A intenção é fazer uma proposta de fazer um espetáculo diferente, que integra dança, teatro e os tradicionais números circenses. A família Stevanovich tem mais duzentos anos de tradição e respeitada mundialmente como uma das mais tradicionais família de circo no mundo, agora em sua 5ª geração.

São mais de 70 pessoas, entre artistas e técnicos que trabalham com objetivos de impressionar e agradar o público, muitas vezes desafiando os limites humanos.  Entre os destaques do espetáculo, as Águas Dançantes impressionam o público com 53 bombas controladas manualmente com iluminação multicolor, os Transformers e o Globo da Morte. De acordo com a organização, o Globo da Morte do Le Cirque está no livro dos recordes como “o menor globo do mundo e ser apresentado com cinco motos”.

O circo conta com uma estrutura que possui acomodações confortáveis e recursos de última geração em uma lona tencionada com capacidade para 2.000 pessoas, divididas em três níveis como platéia, preferenciais e camarotes. Toda a estrutura de fabricação italiana com projeto exclusivo para a Tournée Latino Americana. São mais de 250 toneladas de equipamentos e um grupo gerador de energia elétrica e com 30 carretas e um avião para propaganda via aérea. O Le Cirque já percorreu boa parte do mundo.

Ainda de acordo com a organização, o circo tem uma estrutura de interna de 2,6 mil m² de área, contando com palco e acomodações, e tem capacidade para 1.400 pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *