E aí, bebê: Confira aqui o clipe da drag queen Kaya Conky

Os fãs da música potiguar enlouqueceram com o lançamento do clipe “E aí, bebê?” da drag queen Kaya Conky, no qual aconteceu na noite desta quinta-feira (27) e conta com a participação das principais drags potiguares, como a dupla Gabryuri, Minerva Del Diablo, Rivka Bardo, Vitta Dias, Potyguara Bardo e dentre outras. As gravações aconteceram no bar Alchemist, na rua Chile, no bairro da Ribeira.

Confira o clipe completo a seguir:

Kaya é uma das mais famosas drag queens da cidade. Ela é famosa pelas performances e as discotecagens nas boates LGBT da cidade. Recentemente, ela lançou esse hit em forma de funk citado.

O refrão “E aí, bebê, vai chupar ou vai lamber? Vai bater ou vai morder?” realmente ficou na cabeça das pessoas. O cantor Juão Nin chegou até gravar um vídeo cantando a música. O “E aí, bebê?” é a música mais escutada pelos potiguares no Spotify e tem três mil seguidores na conta em que escuta música via streaming. A música foi lançada na plataforma no dia 15 de novembro.

No início do ano passado, o Igor Ferreira, quem dá a vida para Kaya participou do documentário Bichas, no qual a entrevista com ele pode ser conferida neste link.

Oficial: Teatro Sandoval Wanderley será fechado para construir shopping

O prefeito Carlos Eduardo admitiu em entrevista na TV Câmara desta quinta-feira (27) que o Teatro Municipal Sandoval Wanderley será demolido e em seu lugar um outro teatro municipal será construído no bairro da Ribeira. Veja a entrevista completa do prefeito a seguir:

Com apoio da Fecomércio, o terreno foi vendido vai se transformar em um shopping no bairro do Alecrim. De acordo com os portais locais, o shopping terá sete pavimentos e as obras devem começar no segundo semestre deste ano, com meta de entrega da edificação para o final de 2018. O novo centro comercial, que pertence ao Grupo 25 – empresa com atuação no comércio da capital paulista – será feito todo em estrutura metálica, climatizado e com um projeto valorizando os fundamentos da sustentabilidade.

Entre as lojas que farão parte deste novo empreendimento, algumas já estão confirmadas, como Hering, Taco, Sacolão, Ótica Diniz e a loja de departamentos Rio Center estarão no time do mall. Além de uma rede de Fast Food. Veja o infográfico que falamos do blog:

Em fevereiro de 2014, um ano após ter tomado posse do primeiro mandato pós-Micarla de Sousa, o prefeito Carlos Eduardo e o secretário de cultura, Dácio Galvão, participaram de uma reunião da Rede Potiguar de Teatro, no qual  receberam em mãos a carta-manifesto da Rede Potiguar de Teatro com o conteúdo centrado na necessidade de políticas públicas continuadas para o teatro potiguar, com ações fomentadas que visem montagem, criação no eixo da pesquisa e formação, articulação, circulação e manutenção de produções locais.

Reunião com a Rede Potiguar de Teatro em 2014 (Foto: Catarina Santos)

O encontro foi de suma importância para manter o diálogo direto e acessível dos artistas com o atual gestor da cidade. Na ocasião, Carlos Eduardo manteve um discurso linear com ênfase na construção de novos espaços, como o teatro na Zona Norte da cidade e falou sobre processos de revitalização de espaços, como o Teatro Municipal Sandoval Wanderley no Alecrim e a continuidade do “Natal Em Cena” (edital que propiciou novos espetáculos como o “Natal: Encruzilhada do Mundo” e “A Estrada ou O Milagre da Fé”).

Durante o debate, foi enfatizado por diversos artistas as necessidades que a cultura potiguar enfrenta, sobretudo no que se refere ao fomento contínuo em suas práticas e enfatizado a importância da arte como um campo de intercessão político e social.

Três anos se passaram e o teatro potiguar está com problemas. No ano passado, a primeira medida de sua gestão após o recesso foi o veto total da reforma do teatro aprovada e prevista na Lei Orçamentária Anual do Município de 2015.

Natal é a quarta cidade melhor para se viver no Nordeste e 17ª do país

Uma empresa de consultoria Macroplan resolveu analisar quais eram os melhores municípios para se viver no Brasil.  A pior capital para se viver, segundo a consultoria, é Macapá (AP) e a melhor, por sua vez, é Curitiba. Para chegar a esta conclusão, a consultoria analisou os municípios com mais de 266 mil habitantes em 16 indicadores divididos em quatro áreas distintas: saúde, educação e cultura, segurança e saneamento e sustentabilidade. No entanto, Brasília não foi inclusa nesta listagem. O resultado foi publicado nesta semana pela revista Exame.

O ranking foi formado por um índice que vai de 0 a 1 – quanto mais próximo de zero, pior é a condição de vida no local. Macapá ficou com um índice de 0,434. A estimativa é bem parecida com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), da Organização das Nações Unidas (Onu).

E Natal, aonde ela está no ranking? De acordo com a Macroplan, a capital do Rio Grande do Norte é a décima sétima melhor (resultado razoável, por sinal) para se viver, cujo índice está em 0,542. Porém, ela está atrás de algumas capitais nordestinas, como João Pessoa,  Fortaleza, Salvador e Recife. Do Nordeste, João Pessoa é considerada a melhor para se viver, com 0,574.  As diferenças das outras cidades do NE é apenas por décimos. Em último lugar no Nordeste está a cidade de São Luís com 0,508.

A disputa entre Natal x João Pessoa continua após um youtuber potiguar colocou a diferença da estrada numa divisa entre Rio Grande do Norte e Paraíba mostrando a diferença da estrada. Veja o vídeo neste link.

Veja a tabela a seguir: 
Ranking Capital Estado Índice
Curitiba PR 0,696
Florianópolis SC 0,686
Vitória ES 0,681
Belo Horizonte MG 0,677
São Paulo SP 0,673
Palmas TO 0,657
Campo Grande MS 0,645
Rio de Janeiro RJ 0,627
Goiânia GO 0,622
10º Porto Alegre RS 0,622
11º Boa Vista RR 0,593
12º João Pessoa PB 0,574
13º Cuiabá MT 0,569
14º Fortaleza CE 0,566
15º Salvador BA 0,555
16º Recife PE 0,543
17º Natal RN 0,542
18º Teresina PI 0,536
19º Rio Branco AC 0,529
20º Manaus AM 0,528
21º Aracaju SE 0,512
22º São Luís MA 0,508
23º Belém PA 0,486
24º Maceió AL 0,473
25º Porto Velho RO 0,470
26º Macapá AP 0,434

Pera, eles também divulgaram os resultados do índice de saúde, educação e cultura, segurança e saneamento e sustentabilidade.Na parte de educação e cultura, Natal está na vigésima colocação. Ou seja, a sétima pior capital do país na categoria de educação e cultura, na frente apenas  de João Pessoa, Aracaju, Belém, Salvador, Macapá e Maceió.  Veja a tabela a seguir:

Tabela do índice de educação e cultura de cada capital do país: 

Ranking Capital UF Índice
Vitória ES 0,630
Florianópolis SC 0,619
São Paulo SP 0,579
Palmas TO 0,557
Belo Horizonte MG 0,546
Curitiba PR 0,543
Rio de Janeiro RJ 0,540
Cuiabá MT 0,536
Campo Grande MS 0,529
10º Teresina PI 0,526
11º Rio Branco AC 0,504
12º Goiânia GO 0,503
13º São Luís MA 0,494
14º Fortaleza CE 0,492
15º Porto Alegre RS 0,485
16º Manaus AM 0,465
17º Boa Vista RR 0,460
18º Recife PE 0,445
19º Porto Velho RO 0,439
20º Natal RN 0,434
21º João Pessoa PB 0,416
22º Aracaju SE 0,378
23º Belém PA 0,369
24º Salvador BA 0,369
25º Macapá AP 0,362
26º Maceió AL 0,341

Já na saúde pública, a capital potiguar lidera a 11ª posição, com uma média 0,587, e é a segunda capital nordestina com melhor índice de saúde, perdendo apenas para Fortaleza, que está com 0,601.

Ranking Capital Estado Índice
Curitiba PR 0,692
Palmas TO 0,688
Vitória ES 0,686
Belo Horizonte MG 0,682
Florianópolis SC 0,671
Campo Grande MS 0,622
Goiânia GO 0,605
Fortaleza CE 0,601
São Paulo SP 0,598
10º Porto Alegre RS 0,593
11º Natal RN 0,587
12º Boa Vista RR 0,587
13º João Pessoa PB 0,577
14º Porto Velho RO 0,568
15º Teresina PI 0,557
16º Rio de Janeiro RJ 0,556
17º Manaus AM 0,554
18º Rio Branco AC 0,548
19º Cuiabá MT 0,548
20º Recife PE 0,544
21º Aracaju SE 0,537
22º Belém PA 0,535
23º Salvador BA 0,520
24º Maceió AL 0,507
25º Macapá AP 0,498
26º São Luís MA 0,497

Como vimos em rankings anteriores, a parte de segurança não é o nosso forte, visto que a nona capital mais violenta segundo ranking, vencendo de grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, cujos assaltos e problemas de violência urbana são comuns serem noticiados nos telejornais.  No entanto, ela está sendo considerada mais segura que cidades como João Pessoa e Fortaleza. Sim, as quatro cidades mais violentas são do Nordeste: Maceió, Teresina, Fortaleza e São Luís.

Ranking Capital Estado Índice
São Paulo SP 0,888
Florianópolis SC 0,851
Rio de Janeiro RJ 0,828
Campo Grande MS 0,803
Belo Horizonte MG 0,759
Boa Vista RR 0,759
Curitiba PR 0,741
Macapá AP 0,740
Belém PA 0,738
10º Porto Alegre RS 0,731
11º Manaus AM 0,726
12º Rio Branco AC 0,721
13º Salvador BA 0,705
14º Palmas TO 0,686
15º Vitória ES 0,670
16º Porto Velho RO 0,664
17º Recife PE 0,663
18º Natal RN 0,633
19º Cuiabá MT 0,617
20º João Pessoa PB 0,590
21º Goiânia GO 0,582
22º Aracaju SE 0,579
23º Maceió AL 0,523
24º Teresina PI 0,503
25º Fortaleza CE 0,477
26º São Luís MA 0,476

Natal pode ter escapado na parte de segurança, algo que os natalenses reclama bastante, mas o índice detectou outro calcanhar de Aquiles da cidade: o Saneamento. A cidade é a oitava pior na parte de sustentabilidade e saneamento, das capitais nordestinas está na frente apenas para São Luís e Teresina. Outro fator interessante é saber que Manaus é a quarta capital com pior caso de saneamento, trazendo mais problemas na vegetação da Floresta Amazônica.

Ranking Capital Estado Índice
Curitiba PR 0,945
Goiânia GO 0,874
São Paulo SP 0,869
Salvador BA 0,868
Belo Horizonte MG 0,860
Porto Alegre RS 0,858
João Pessoa PB 0,831
Campo Grande MS 0,814
Rio de Janeiro RJ 0,811
10º Vitória ES 0,767
11º Palmas TO 0,764
12º Boa Vista RR 0,761
13º Florianópolis SC 0,758
14º Aracaju SE 0,672
15º Fortaleza CE 0,668
16º Recife PE 0,660
17º Cuiabá MT 0,641
18º Maceió AL 0,618
19º Natal RN 0,609
20º São Luís MA 0,566
21º Teresina PI 0,533
22º Manaus AM 0,505
23º Belém PA 0,495
24º Rio Branco AC 0,457
25º Macapá AP 0,316
26º Porto Velho RO 0,274

FONTE DOS INDICADORES

*Todos os dados foram coletados de órgãos Governamentais da União, dos Estados e Municípios entre os anos de 2004 e 2015. Veja aqui todas as fontes dos indicadores.

 

Le Cirque garante o funcionamento normal das atividades até o dia do fechamento

O Le Cirque informou nas redes sociais, através dos comentários, que a venda dos ingressos e as apresentações vão acontecer normalmente, apesar dos problemas que aconteceram na noite desta quarta-feira (26), no qual a Prefeitura do Natal interditou o espaço. Através da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), o circo foi interditado após o estabelecimento ter entrado com o pedido de renovação de licença, mas foi negado, pois eles estavam com documentos vencidos, como a vistoria do Corpo de Bombeiros, contratos com as ambulâncias e Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de engenheiro.

Cheguei a comentar na página do Le Cirque e recebi a seguinte resposta:

Como falamos na última matéria, esta não é a primeira vez que eles têm problemas com a administração pública. Em março deste ano, eles foram interditados em Brasília ficando dois dias sem funcionar.  A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) constatou falta do documentação. Além disso, o local precisou passar por ajustes, seguindo orientações do Corpo de Bombeiros, segundo a matéria do jornal Correio Brasiliense.

Agora, eles publicaram um vídeo explicando o motivo do problema com a Prefeitura do Natal:

A atração circense, que praticamente foi adotado pelos natalenses, garantiu que a sua última apresentação nas terras potiguares no dia 1ª de maio

O Deputado Estadual Fernando Mineiro fez até um cartaz sobre o Le Cirque em alusão à greve geral que vai acontecer na próxima sexta-feira (28), dizendo: “Fica Le Cirque, #ForaTemer”:

Sobre o Le Cirque

O Le Cirque foi criado em 1999 pelos irmãos Stevanovich na França. Eles possuem diversos artistas, como França, Rússia, Espanha, Itália, Mongólia e Canadá.  A intenção é fazer uma proposta de fazer um espetáculo diferente, que integra dança, teatro e os tradicionais números circenses. A família Stevanovich tem mais duzentos anos de tradição e respeitada mundialmente como uma das mais tradicionais família de circo no mundo, agora em sua 5ª geração.

São mais de 70 pessoas, entre artistas e técnicos que trabalham com objetivos de impressionar e agradar o público, muitas vezes desafiando os limites humanos.  Entre os destaques do espetáculo, as Águas Dançantes impressionam o público com 53 bombas controladas manualmente com iluminação multicolor, os Transformers e o Globo da Morte. De acordo com a organização, o Globo da Morte do Le Cirque está no livro dos recordes como “o menor globo do mundo e ser apresentado com cinco motos”.

O circo conta com uma estrutura que possui acomodações confortáveis e recursos de última geração em uma lona tencionada com capacidade para 2.000 pessoas, divididas em três níveis como platéia, preferenciais e camarotes. Toda a estrutura de fabricação italiana com projeto exclusivo para a Tournée Latino Americana. São mais de 250 toneladas de equipamentos e um grupo gerador de energia elétrica e com 30 carretas e um avião para propaganda via aérea. O Le Cirque já percorreu boa parte do mundo.

Ainda de acordo com a organização, o circo tem uma estrutura de interna de 2,6 mil m² de área, contando com palco e acomodações, e tem capacidade para 1.400 pessoas.