10 10America/Bahia abril 10America/Bahia 2017 – Brechando

Dois jogadores do INTZ, time de LoL, estarão na páscoa em Natal

Enquanto em alguns shoppings estão preparado caçada para Ovos de Páscoa, outros estão fazendo nerdices. É o caso do Midway, que vai trazer dois jogadores brasileiros, profissionais de League of Legends, marcar a presença neste domingo (16) no estabelecimentos. Eles estarão na loja do Saga, no Midway Mall, para falar com os fãs. Os jogadores são dois membros da INTZ: Jockster, suporte do time e Daniels, streamer oficial dos Intrépidos.

O encontro com os jogadores acontecerá das 16 às 19 horas, no qual vão tirar fotos e realizar alguns autógrafos. E será absolutamente gratuito, que foram os vencedores do ano passado Campeonato Brasileiro de LoL, conforme brechamos no ano passado.

Se haverá um bate-papo ou não do evento, a organização do Saga contará mais detalhes nesta semana. Portanto, natalenses, não achem estranho grande movimento no shopping neste próximo domingo.

O Saga é o maior evento de cultura pop da cidade e existe desde 2005, quando ocorreu na quadra do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), quando ainda era o Cefet e depois já ocorreu em vários lugares da cidade, até se instalar na Arena das Dunas e agora estão de volta no Centro de Convenções.

Os ingressos para o Saga continuam a venda na Multiverse Geek (no CCAB Sul), na Ovni Game Shop (no Midway Mall) ou em neste site. Neste ano, o evento vai aproveitar o feriado de Tiradentes e vai durar três dias, no Centro de Convenções de Natal.

A programação do evento inclui diversas atrações nacionais como youtubers, dubladores, cosplays. Além disso, haverá diversas exposições, concursos, torneios, campeonatos gamer e outras atividades voltadas para o público geek, nerd, gamer, otaku e entusiastas da tecnologia.

Realmente, Natal é a cidade mais violenta do Brasil

Novamente, uma ONG mexicana ressaltou que Natal é a cidade mais violenta do Brasil e uma das mais perigosas de viver no mundo todo. A ONG se baseia de dados pesquisados por fontes acadêmicas. Mas, não precisa fazer uma grande pesquisa para saber que Natal está violenta. A capital, desde sempre, foi violenta por si só. Não precisa de urbanização e uma ampla pesquisa para saber que chegamos por onde devido às nossas atitudes.

Natal é uma cidade violenta, onde a gente xinga os governantes por qualquer coisa, mas trata qualquer político que está há anos no poder sem fazer nada como uma grande celebridade global. A violência da capital do Rio Grande do Norte começa quando a gente esconde a periferia da cidade com grandes prédios de luxo de mais de um milhão na orla das praias urbanas para mostrar que aqui não existe favela. São nestes prédios que vivem juízes, promotores e parlamentares que dizem que querem lutar por um estado melhor, mas ficam implicando se uma escola está ensinado Karl Marx, achando que está fazendo uma doutrinação comunista.

Capital potiguar é perigosa quando os governantes, com sua incompetência, fazem serviços mal feitos, licitações duvidosas e obras de qualidade estranha, no qual quando acontece algum problema bota culpa na gestão anterior ou na atual. Ou quando um prefeito e governador não se reúnem por uma causa comum por motivos políticos e botam os seus respectivos partidos acima da população.

A gente sabe que ela é perigosa quando só existe um (apenas) albergue público para abrigar os moradores de rua na cidade, que fica no bairro da Ribeira, onde sabemos que existem outros nas quatro zonas Urbanas de Natal. Por falar em moradores de rua, alguns frequentadores de bairro adoram os utilizar como bobo da corte, principalmente aqueles que possuem problemas mentais, onde os embebedam e até drogam para que eles depois façam terríveis atrocidades. É uma cidade que fica tirando sarro das prostitutas travestis que ficam na Avenida Roberto Freire somente pelo fato de fazer programa, mas não dão oportunidades para ela crescer na vida, como entrar numa universidade ou arranjar um simples emprego de recepcionista.

Enquanto a capital está sendo 100% saneada (dizem, não é), os esgotos ainda correm a céu aberto em Mãe Luíza e Quintas, fazendo com que o mal cheiro seja apenas algo banal. Enquanto a Roberto Freire está iluminada e 100% asfaltada, algumas principais vias da zona Norte ainda são de chão de terra batida e com pouca luminosidade durante noite.

O perigo de Natal é mais alarmante quando sabemos que o nosso Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o IDEB, é considerado um dos mais baixos do país, fazendo com que adolescentes de 15 anos saiam da escola. Enquanto, a zona Sul é cheia de escolas e as pessoas chegam pagar mais de mil reais para que o filho escute enxurradas de conteúdos apenas para passar no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), o Paço da Pátria tem apenas uma para estudantes de Ensino Básico. A maioria dos assassinatos de adolescentes na cidade são por conta de drogas e quase todos moram na periferia. Sim, quase todos os jovens mortos da cidade possuem pele negra e parda.

A violência de Natal está tão comum quando entra qualquer pessoa pedindo dinheiro no ônibus, principalmente os vendedores de bala, a gente já esconde o celular pensando que é ladrão. Ou a gente olha torto os garotinhos que ficam olhando fixamente pelas belas vitrines dos shoppings da cidade. Realmente, a gente pede mais policiamento, enquanto a turma da periferia denuncia atrocidades que a polícia faz.

Realmente, Natal está mais violenta e não é de hoje.

Curta-metragem de Natal procura Drags Queen para o elenco

Um curta-metragem da capital potiguar está procurando drag queen no seu elenco. O nome do filme se chama “Verde Limão” e vai contar as aventuras das drags numa história fictícia, baseada em fatos reais. Recebe este nome por conta que todo o enrendo e história será trabalhado com esta cor, considerada, por muita gente, bastante extravagante.

“A gente tá procurando drags para integrar o elenco do próximo curta, que deve ser gravado em junho. O filme é bastante ambientado neste universo e bem provavelmente precisaremos de mais de uma para compor o filme, em personagens diferentes, então não importa se a drag já tem uma longa estrada ou começou ontem. Queremos conhecer o trabalho de cada uma”, disse Henrique Arruda, jornalista e diretor do filme “Ainda Não Lhe Fiz Uma Canção de Amor”, que está fazendo este trabalho junto com Boobox Produção.

Como faz para enviar o material? Mande vídeos, fotos, página de Facebook, perfil no Instagram, canal no Youtube ou qualquer outra mídia para o seguinte e-mail: [email protected]. Lá você pode mostrar todos os tipos de talento que uma drag pode ter.

Veja a postagem completa a seguir:

Além disso, neste mesmo e-mail, você pode enviar um currículo para trabalhar como designer do filme, só envie seu portfólio, ok?

O filme já conta com o apoio do Atelie Bar, Dosol, Clowns de Shakespeare e Apartamento . E, agora, conta com o apoio do Brechando.