Curiosidades Lista

Quais são as ladeiras mais famosas de Natal?

Compartilhe:

Por ser um cidade formada em cima de dunas, a capital potiguar é cheia de ladeiras espalhadas. Nenhuma via da cidade é 100% plana. É comum demorar sair de casa pelo fato de ter preguiça de subir a ladeira para pegar o carro. Porém, algumas ladeiras são tão grandes que viraram pontos de referência para os moradores se localizarem melhor.

O Brechando lista quatro ladeiras famosas em Natal. Confiram:

Ladeira de Nova Descoberta

Seu nome é Rua Djalma Maranhão, mas ninguém a conhece por esta forma. A ladeira de Nova Descoberta fica próximo do campus universitário e é uma das rotas de fugas daqueles que querem fugir do trânsito da BR-101 para acessar Lagoa Nova e Tirol. Também é um dos principais acessos do bairro de mesmo nome. Por ser grande e curvada, muito comum aparecer nos noticiários em dias de chuva por ficar sempre alagada.

Ladeira do Sol

A foto acima do título mostra a visão mais famosa da Ladeira do Sol, lateral pintada de azul com o nome “Natal” de branco. Ela começa na Avenida Getúlio Vargas e termina na Avenida Presidente Café Filho. A via liga os bairros de Tirol e Petrópolis com a Via Costeira e a Praia do Meio. Além disso, é conhecida pela vista espetacular que se tem de todas as praias urbanas da cidade. Ela sempre teve um forte vínculo com a cidade, veja a foto dela antigamente:

Ladeira do Marpas

A ladeira recebe este nome por conta de uma antiga loja de carros do mesmo nome que ficava ao lado. Na foto, ela não parece muito grande, mas ela é muito curvada. Se você for andar de carro nela acima de 80 km/h, você vai voar. É a mesma sensação de estar numa montanha-russa. O mais bizarro que muita gente desce nesta ladeira bem rapidinho para dar um susto no coleguinha que está dando carona.

Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *