Documentário sobre a vida do ator Fernando Athayde estreia nesta sexta

A vida e obra do ator Fernando Athayde foi documentada e os natalenses podem ver esta mais nova produção audiovisual nesta sexta-feira (10), no auditório do IFRN de Cidade Alta, na Avenida Rio Branco, a partir das 20 horas. O documentário de curta-metragem “Athayde” revisita vida e obra do ator natalense Fernando Athayde, que ultrapassou as divisas do Rio Grande do Norte para conquistar os palcos do Brasil. Roteirizado e dirigido pelo realizador audiovisual Paulo Dumaresq, a obra é uma produção independente e narra a trajetória a partir de depoimentos de familiares e amigos.

Foram convidados e aceitaram participar do documentário a mãe Terezinha Costa e o irmão Fábio Henrique, além dos amigos Ana Cristina, produtores culturais Lula Belmont, Marcos Sá e Ricardo Nelson, dramaturgo Jobel Costa, atriz Kinha Costa, e o diretor teatral João Marcelino. No evento, serão exibidos, ainda, os curtas-metragens “Não faça silêncio” (preto & branco e cor, 11’, 2014), de Suerda Morais, e “Reformatório Krenak” (cor, 21’, 2016), de Rogério Corrêa.

Fernando iniciou a carreira no teatro natalense nos anos 1970, integrando a Companhia de Teatro Jesiel Figueiredo, onde atua na peça “O santo inquérito”, de Dias Gomes. Em seguida, transfere-se para o Grupo Aquarius de Teatro, representando nos espetáculos “As aventuras de Simbad, o Marinheiro”, “Ponto de partida” e “Os andantes”.

Ao conhecer Raul Cortez, em Natal, a carreira de Fernando Athayde dá uma guinada. Por intermédio do consagrado ator, ele migra para São Paulo. Em 1980, integra o elenco do espetáculo “Tratado geral sobre a fofoca”, dirigido por Zécarlos Andrade. Contracena com Selma Egrei e Cristina Pereira. No ano seguinte, atua no infantil “No reino da palhaçada”, texto e direção de José Roberto Caprarole. Ainda em São Paulo, faz curso no CPT do SESC, sob a batuta do diretor Antunes Filho.

Entre idas e vindas, interpreta personagem na comédia “As três Marias”, com direção de Gilberto Sérgio, e “A greve”, do Grupo Estandarte de Teatro, em 1988. Fernando atinge o ápice da carreira com o espetáculo “A missão” (1989), de Heiner Müller, uma montagem da Stabanada Companhia de Repertório, com direção de Carlos Nereu. O espetáculo circula pelo país e Athayde conquista o prêmio de Melhor Ator em todos os festivais de teatro que participa.

Pela sua destacada atuação, é convidado pelo diretor Paulo de Moraes, da Armazém Companhia de Teatro, para fazer uma homenagem ao escritor Oswald de Andrade, no espetáculo “Périplo, o Ideograma da obsessão”, e numa coletânea de textos de William Shakespeare, intitulada “A construção do olhar”, juntamente com o ator e diretor potiguar João Marcelino.

O último trabalho de Athayde foi na peça “Pantaleão e as visitadoras”, dirigida por Ulisses Cruz, onde contracena com a atriz Cássia Kiss. Fernando Luis Costa Athayde de Almeida faleceu em 16 de agosto de 1993, em São Paulo, após complicações decorrentes da AIDS.

“Athayde” é uma realização do Coletivo Audiovisual Vaga-lume e da produtora Du’mar Cinematográfica, com o apoio da Ágil Fotografia e da CaSu Filmes. Integram a equipe de “Athayde” os profissionais Alex Régis (diretor de fotografia), cineasta Suerda Morais (editora), Camilla Natasha e Davis Josino (produtores de set), Nilson Eloy (som direto e mixagem), Adriano Azambuja (composições e direção musical) e os estagiários Anderson Régis e Ravena Henrique.

SERVIÇO:
O quê? Lançamento do curta-metragem “Athayde”.
Quando? Dia 10 de março, às 20 horas.
Onde? Auditório do IFRN Cidade Alta.
Quanto? Gratuito.
Classificação indicativa? 10 anos.

Por apenas R$15, o natalense vai assistir o clássico Ghost in the Shell no Cinemark

Na próxima terça-feira (14), a partir das 20 horas, os fãs de anime que moram em Natal poderão ver um clássico da animação japonesa: Ghost In The Shadow, que também influenciou a cena cyberpunk mundial. O filme, produzido em 1995, foi remasterizado e será exibido novamente em uma sessão exclusiva no Cinemark do Midway Mall, no bairro do Tirol. O evento antecipa o lançamento de “Vigilante do Amanhã: Ghost in The Shell”, protagonizado por Scarlett Johansson e dirigido por Rupert Sanders, em 30 de março.

O enredo se passa por um Japão futurista. O ano é 2029, no qual o Planeta Terra se tornou um local altamente informatizado, a ponto dos seres humanos poderem acessar extensas redes de informações com seu cyber-cérebros. A agente cibernética Major Motoko Kusanagi é a líder da unidade de serviço secreto Esquadrão Shell, responsável por combater o crime. Motoko foi tão modificada que quase todo seu corpo já é robótico. De humano só teria sobrado um fantasma de si mesma.

Junto de Bateau e Togusa, ela caça o criminoso e se envolve em uma trama de conspirações, colocado-se em um rumo perigoso que pode levar às autoridades mais elevadas do Ministério envolvidas em uma conspiração.

Ghost in the Shell é um mangá de influências cyberpunk, criado por Masamune Shirow. Assim como Akira, Ghost in the Shell é uma influência para o estilo e inspirou vários outros filmes, como “Matrix”, das irmãs Watchovisk. Inicialmente, o quadrinho foi adaptado nos filmes de animação Ghost in the Shell, em 1995, e Ghost in the Shell 2: Innocence, em 2004 – o primeiro, com uma versão totalmente remasterizada, em 2008, chamado de Ghost in the Shell: 2.0.

A Rede Cinemark trará o filme remasterizado simultaneamente para 31 cidades brasileiras, como Recife, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Manaus, Vitória e Campo Grande. Há ainda a previsão de um novo filme para 2017 uma outra animação chamada. Os ingressos podem ser comprados antecipadamente em www.cinemark.com.br, com os valores de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Confira o trailer da edição de 1995 a seguir:

prefeitura

Quem foram os vencedores do prêmio Dosinho de Carnaval?

Na noite desta terça-feira (7), no SESC, aconteceu o Prêmio Dosinho, cujo objetivo é valorizar os artistas que trabalharam durante os dias de folia. Concebido pelo produtor Marcelo Veni para incentivar e reconhecer a criação artística em todas as suas formas de expressão. Foram entregues 17 as premiações divididas por categorias para agremiações carnavalescas como escolas de samba, tribos, blocos, orquestras de frevo, profissionais criativos, eventos pré ou carnavalescos além de iniciativas culturais que mantenham vivas as tradições carnavalescas e da cidade.

Durante a cerimônia, houveram apresentações do Grupo Folia de Rua do instrumentista Jorge Negão, Músicos de Orquestras de Frevo do Papão abriram a programação ainda na área externa do auditório do Sesc/RN. No palco o cantor Isaque Galvão abriu a premiação com homenagem a Dosinho. O comunicador Rô Medeiros apresentou a eliminatória final do Concurso de Marchinhas que teve encerramento com o projeto Fobica do Jubila. E com a Marchinha ‘’Beco Da Lama’’ de Antônio Luiz Souza, cantada pela torcida e público que ocupou o palco lembrando os bons tempos dos antigos Festivais.

Para representação do Prêmio Dosinho de Carnaval, uma peça artística que foi criada pelo artista visual Guaraci Gabriel inspirada nos tradicionais estandartes dos blocos carnavalescos. 21 convidados participaram das curadorias, etapas e indicações que definiram os vencedores.

A final do concurso de marchinhas teve um júri com cinco integrantes que votou durante as apresentações ao vivo das cinco finalistas. A direção musical do concurso Dosinho de marchinhas foi do guitarrista Jubileu Filho. Dodora Cardoso, Nara Costa, Diego Brasil, Antoanet Madureira e Ivando Monte, defenderam no palco as finalistas. Além da Marchinha do Ano os jurados também elegeram o melhor Intérprete de Marchinhas do concurso. Durante todo o concurso a Universitária FM, parceira do projeto, vem tocando as classificadas desde a primeira etapa. Um programa especial também foi feito para divulgar as semifinalistas.

Confira as fotos da premiação a seguir:

O Homenageado

O Prêmio e o Concurso de Marchinhas marcam os 90 anos de nascimento do compositor potiguar Claudomiro Batista de Oliveira, o nosso Dosinho. Importante nome do carnaval que nos deixou em 2014, aos 87 anos, vítima de uma infecção generalizada.

Dosinho compôs marchinhas de carnaval e frevos que fizeram sucesso em todo o país, como Carnaval com Bin Laden, Dólar na cueca, Doido também apanha e Não se faça de doido não. Algumas composições dele foram gravadas por Alceu Valença, Marlene, Agnaldo Rayol, Antônio Nóbrega, ente outros intérpretes do Nordeste.
Nascido na cidade de Augusto Severo/RN, Dosinho é o autor dos hinos de ABC, América e Alecrim, os principais times de futebol do RN.

Confira os premiados a seguir:

Bloco do Ano: Carecas, Poetas, Bruxas e Lobisomens
Prévia Carnavalesca do Ano: Bloco APonta
Orquestra do Ano: Frevo do Chico
Revelação do Carnaval de 2017: Orquestra Greiosa
Folião do Ano: O Papa e a Madre
Atração Musical do Carnaval 2017: Sérgio Groove ( Polo Ponta Negra)
Bloco de Segmento: Bloco do Sinsp/RN

Comissão de Indicações:
Christiane Alecrim – Secretária de Turismo de Natal
Eduardo Alexandre – Jornalista e Fotógrafo
Elias Medeiros – Jornalista e Fotógrafo
Eliene Albuquerque – Professora e atriz
Francisco Bethowem – Músico
Haylene Dantas – Produtora Cultural
Fernando Acupe – Músico
Marcelo Papão – Músico
Nara Costa – Cantora
Railton Lopes- Bancário
Willame Negão – Músico
Yuno Silva – Jornalista
Comissão de apuração e análise final das indicações:
Grimário Farias, Marcelo Veni e Thiago Medeiros

Premiações Especiais:
Artista Criativo do Carnaval: Carlos Sérgio Borgess
Fantasia do Ano: O Lord da Praia
Personagem do Carnaval Potiguar Jarita Night And Day

1o Concurso Dosinho de Marchinhas Carnavalescas

Marchinha do Ano (1º Lugar):

Beco da Lama (Luiz Antônio Souza)

2º Lugar:
Tomar um banho (Diego Brasil)

3º Lugar:
Todo Coco Vira Quenga
(Antonio Ronaldo e Fernando Athayde)

 

Comissão Julgadora:

Eduardo Alexandre – Jornalistas e Fotógrafo

Ednaldo Martins / Locutor da Universitária FM

Leide Câmara / Pesquisadora da Música potiguar

Mirabô Dantas / Compositor e Intérprete

Romildo Soares / Compositor e Intérprete

Estandarte Prêmio Dosinho de Carnaval: Destaques 2017 da avenida do samba em Natal/RN

Escola de Samba do Ano
G.R.E.S Malandros do Samba

Puxador / Intérprete do Ano: Ivando Monte
(G.R.E.S Imperatriz Alecrinense / G.R.E.S Águia Dourada )

Bateria: G.R.E.S Balanço do Morro

Destaque do Desfile das Escolas de Samba: Ala das Baianas da G.R.E.S Malandros do Samba

Carnavalesco do Ano:: Costa Filho (G.R.E.S Balanço do Morro)

Tribo de Índios: Tupi-Guarani

Comissão julgadora:

João Marcelino – Diretor Teatral / Figurinista / Cenógrafo
Josenilton Tavares – Consultor Cultural
Lula Belmont – Produtor Cultural
Paulo Sarkis – Músico
Ricardo Fernando Nelson – Diretor do Bloco As Kengas
Ro Medeiros – Comunicador