Por que Capim Macio recebe este nome?

Capim Macio é um bairro localizado na zona Sul de Natal. Mas qual motivo que este recebeu o nome? Tentando desvendar os mistérios dos nomes dos bairros da cidade, resolvemos começar por Capim Macio e a história do nome parece bem óbvia: a região realmente tinha um capim bem macio. Antigamente, o local era ocupados por fazendas e granjas.

Começou a virar um bairro residencial quando em 1973, o empresário João Veríssimo da Nóbrega comprou 543,489 metros quadrados e fez o loteamento Cidade Jardim. Para atrair moradores, Veríssimo fez um galpão para abrigar grande comércio, próximo à Avenida Engenheiro Roberto Freire. Sete anos depois, esse galpão virou uma unidade do supermercado Nordestão.

Neste mesmo período foi entregue o conjunto habitacional Mirassol.

Por ser uma região cheia de matagal, o local já chegou a abrigar um mini-zoológico e contou com diversas boates, como a Hippie Drive-IN. Além disso, era o local onde os oficiais do Exército treinavam na década de 40. O Campus Universitário foi um marco da ocupação da área no vizinho bairro Lagoa Nova. Instalado em uma área de 130 hectares, é apontado como uma das causas de valorização dos terrenos adjacentes.

Entre 1973 e 1974, houve uma rápida expansão urbana para o sul da cidade e a difusão do hábito de morar em apartamento. Isso acarretou a supervalorização de terrenos urbanos em Natal. Mais tarde, outros conjuntos foram sendo erguidos no bairro. Em 1979, o Conjunto Universitário (Conjunto dos Professores), Flamboyants (1985), Village dos Mares (1991), Cerro Azul (1991), Village de La Touche (1991), Parque das Rosas, Capim Macio I e II, Mar do Sul e Pirangi do Sul.

Capim Macio teve seus limites definidos pela Lei nº. 4.328, de 05 de abril de 1993, oficializada quando da sua publicação no Diário Oficial do Estado em 07 de setembro de 1994.  Nesse bairro, predominam casas de alto padrão e apartamentos de luxo, além de uma vasta gama de comércio, sobretudo restaurantes, bares, universidades e grandes redes de hipermercados.

Quais são as praias mais perigosas do litoral do RN?

Neste feriado prolongado, muitas pessoas vão sair de Natal para ir as praias do litoral do Rio Grande do Norte, que tem 400 quilômetros de extensão. Entretanto, as praias mais perigosas do estado? Sim aquelas que possuem risco de afogamento, algumas vamos listá-las a seguir a partir de informações vindas da assessoria do Corpo de Bombeiros, que informou os dados da Operação Verão, no qual são responsáveis em fiscalizar as praias da cidade.

Ao longo do mês de janeiro de 2017 foram registradas 10.624 ocorrências no Litoral Potiguar, atendidas pelos militares do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS).

Entre as principais ocorrências estão orientação ao público (8.199) e advertência ao público (2.379), seguidas de resgate de vítima em meio líquido (30), auxílio ao público (12) e encontro de cadáver (3).

Praia de Búzios

A Praia de Búzios pertence ao município de Nísia Floresta e onde grande parte da população de Natal passa suas férias de verão. É marcada por fortes ondas, ideais para o surfista, mas pode ser uma péssima ideia para banhistas. Embora tenha indicações do mar perigoso, é comum ouvir casos de pessoas sendo salvas. Em janeiro, os bombeiros atenderam mais de três mil ocorrências

Praia da Redinha

Por ser a única praia da Zona Norte da cidade, a Redinha atualmente é mais frequentada pelos moradores da região que procuram um pouco de distração nos fins de semana. Ela é famosa por possuir casas e bares simples e rústicos, bons peixes, e a famosa ginga com tapioca. Como fica perto do Rio Potengi, algumas vezes o mar fica mais agitado, causando risco de afogamento. Já foram atendidas 2902 casos relacionados ao mar.

Praia de Ponta Negra

São quatro quilômetros de extensão, mas em algumas regiões o mar apresenta ondas fortes, principalmente na área próxima da Via Costeira. Foram registrados 842 casos.

Praia do Meio

A Praia do Meio é bastante frequentada pelos moradores da zona Leste de Natal, porém em algumas regiões, principalmente próximo da Ponta do Morcego fica bem perigoso. Foram 540 registros.

Dicas de Segurança

O Corpo de Bombeiros fornece algumas dicas de segurança para quem for a uma praia. Confira:

Não superestime sua capacidade de nadar. Avalie as consequências de um possível incidente.

Em água doce ou salgada, prefira banhar-se em locais rasos e sem correnteza.

Se notar que está sendo arrastado por uma dessas correntes, mantenha-se calmo e tente acenar ou gritar por socorro enquanto nada transversalmente (para o lado, em vez de para o raso).

Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que ajude a vítima a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193.

Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista.

Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas ao invés de objetos flutuantes.

Nunca nade após ingerir bebidas alcoólicas, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio.

Evite aproximar-se de costões. Ao caminhar sobre as pedras destes ambientes, observe antes se uma onda não poderá atingi-lo e jogá-lo no mar.

Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis.