Três bandas potiguares vão tocar na Europa neste ano

A música alternativa potiguar está em franca exportação. Isto mesmo, a gente está saindo dos festivais de música das terras tupiniquins e colocando o nosso som para outros países. Neste ano, a banda de rock Far From Alaska, por exemplo, vai tocar no Download Festival, que acontecerá durante três dias na cidade de Paris, na França, no mês de junho. Eles vão tocar no dia 10 de junho, no qual também acontecerá apresentações do Alter Bridge, Slayer e System of a Down.

Esta não é a primeira vez que eles tocam na cidade da Luz, visto que eles participaram do Midem (Mercado Internacional do Disco e Edição Musical) e ganharam um prêmio, o quinteto era o representante brasileiro entre os 12 artistas finalistas na categoria definida por votação online, e, de acordo com a página oficial do evento, a vitória foi por uma diferença folgada. Depois de receber o troféu, a banda tocou “Politiks” na festa.

Saindo da França e direto para Portugal, a banda Talma & Gadelha, formada pelos cantores e compositores Simona Talma e Luiz Gadelha, vão tocar as suas músicas em cidades portuguesas neste semestre. Lá, eles vão tocar os sucessos de seus três discos (“Matando o Amor”, “Maiô” e “Mira”). Neste mês, eles vão fazer uma série de shows. Para saber mais destes shows que o Talma&Gadelha estão fazendo durante todo o mês de fevereiro, nas sextas, para angariar a viagem é só clicar por aqui. Nesta sexta (10), por exemplo, eles vão tocar com o grupo Mahmed, que está sendo destaque nacionalmente por causa do seu som experimental e alternativo.

Por falar em instrumental, a banda Camarones Orquestra Guitarrística, no mês de março, eles vão começar uma turnê com mais de 50 shows marcadas, que tocará em várias cidades brasileiras, mas também está marcado para acontecer em alguns países da Europa, como Espanha, França, Alemanha e Portugal. Parece, no entanto, que mais apresentações em outros países poderão também acontecer. Massa, não é?

Além disso, vai lançar em março, no dia 5, seu sexto álbum, “Feeexta”, disco que comemora os dez anos de carreira do grupo do troublemaker indie do Anderson Foca. O disco sai no Brasil e na Alemanha.

Não sabem que eles são? Vamos colocar músicas destas três bandas aqui:

Far From Alaska

Talma & Gadelha

https://www.youtube.com/watch?v=EpHb4MtJCps

Camarones

Quem é o moço que toca piano no Midway?

Todo fim de tarde, o shopping Midway realiza a apresentação ao vivo de piano, que toca todo tipo de música naquele instrumento, desde o clássico até o mais popular. O som é espalhado por todo o prédio, graças ao microfone que capta o som e transmite pelos auto-falantes. Entretanto, tem gente que prefere ver a performance mais de perto, fica pedindo música ou incentivando o pianista. Na verdade, a equipe é formada por um grupo de três a quatro pianistas que se revezam por dia.

Brechando entrevistou o Larsen Félix, um dos pianistas que toca no Midway, que já tem uma experiência vasta na música muito antes do shopping. Além do piano, ele “tenta arranhar no violão”.

Começou a tocar piano ainda criança, com 12 anos, na Escola de Música da UFRN, mas começou a levar a música a sério ainda na juventude, quando participou de diversas bandas na cidade tocando teclado. “Isto foi em 1980, faz tempo, né? (risos)”. Ao longo do tempo, ele começou a estudar as partituras  e se dedicar ao piano.

Depois, entrou na faculdade de Direito e se tornou advogado, no qual hoje não exerce a profissão. Nesse período, na década de 90, levou a música a sério, quando começou a assumir os teclados de algumas badas da cidade e “tocou em todo tipo de banda”.  Além disso, trabalhou durante 18 anos na Escola do SESC.

Nos anos 2000, ele deixou a carreira em bandas de lado e começou a tocar piano nos bares e restaurantes de Natal. Foi assim que chamou atenção da diretora de marketing do Midway Mall, no qual lhe convidou para trabalhar. “Estou aqui desde o início do shopping, há 11 anos. Sou da equipe da primeira turma de pianistas”, comentou.

Nesse período, ele já acompanhou muitos momentos, desde pedidos de namoros/casamentos até pessoas se emocionando com o som que tocava.  Mas isso não quer dizer que já passou por momentos engraçados. “Um dia estava tocando no shopping e um grupo de adolescentes se ajoelhou e começou a me reverenciar, como se fazem com os reis. De propósito, comecei a estender a música para ver o que acontecia e eles continuavam na mesma posição. Não sabia se era uma homenagem ou zoeira. Depois, eles bateram palma e foram embora”, disse.

Félix comenta que ama trabalhar com a música e a interação com o público é o que faz ser mais gratificante. “Muito bom receber um elogio da pessoa que diz aquela música lhe fez sentir melhor naquele dia”, comemora o Larsen, enquanto lhe entrevistava uma senhora de 80 anos lhe elogiava bastante, agradecia e dizia que ele lhe estimulava a tocar.

“Tem uma outra senhora que mora perto do shopping que sempre vem por aqui e fica muito feliz quanto toco Bossa Nova, pois ela nasceu no Rio de Janeiro e lembra que viveu os anos dourados da cidade nos anos 60”, comentou.

Para quem quiser começar com música, ele recomenda: “Quando a pessoa é boa em uma determinada coisa, vale a pena trabalhar com a música. Natal tem bastante músicos talentosos. Hoje em dia, a Escola de Música da UFRN está formando músicos de alto nível. Lute pelos seus sonhos”, finaliza.

Que tal praticar um esporte de graça em Natal?

O Departamento de Atividade Desportiva (DAD) utilizou das redes sociais para divulgar os esportes que podem ser praticados dentro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e todos são gratuitos. O melhor é que estas atividades podem ser feitas tanto para alunos e o professores da universidade quanto pessoas que não tem nenhum vínculo por lá.

As inscrições se iniciarão começaram nesta segunda-feira, na secretaria do Ginásio I da UFRN. Não é necessário documentos para realizar a inscrição, apenas comparecer ao ginásio.

No caso das artes marciais as inscrições são diretamente com os professores quando se iniciarem as aulas.

Os esportes oferecidos são polo aquático, natação (iniciante e experientes), jiu jitsu, karatê, taekwondo, musculação, vôlei (areia e de quadra), xadrez, badminton, kung fu, capoeira, sanda e aikido.

Confira os horários e locais de cada modalidade a seguir:

Sobre o DAD

Foi criada em 1972 e foi criado para fiscalizar a prática obrigatória da Educação Física na UFRN, em cumprimento ao que dispunha o Decreto 69.450, de 1 de novembro de 1971, além de administrar o Complexo Esportivo do Campus Universitário e desenvolver a prática esportiva no âmbito da Instituição.

Com o fim da obrigatoriedade da Educação Física no ensino superior, a DAD passou a planejar, executar e avaliar a Política de Esportes da UFRN, desenvolvendo projetos e programas com predominância esportiva, como forma de prevenir doenças crônico-degenerativas e promover condições gerais de saúde e qualidade de vida. A DAD também é responsável pela promoção de jogos na UFRN e pela formação e preparação das seleções que representam a Instituição nas competições locais, regionais e nacionais.

Além disso, ela é responsável pela estrutura esportiva da instituição, como campos de futebol, ginásios esportivos, piscinas, pista de atletismo, espaços para dança, judô, Karatê, etc., com prioridade para as atividades de ensino, pesquisa e extensão, sendo condicionada a sua utilização à disponibilidade existente e à autorização expedida pela sua Direção.