Haverá prêmio para melhor marchinha de Carnaval e festa

“Mamãe eu quero mamar”, “O Meu Cabelo Não Nega” ou “Daqui não saio” são algumas marchinhas famosas no carnaval e escutamos elas diversas vezes nos quatro dias de folia. Mas, você conhece alguma marchinha feita no Rio Grande do Norte? Não? Sabia que você pode fazer uma e participar de uma premiação? O Brechando te explica!

Como uma forma de incentivar o carnaval da capital potiguar, o produtor cultural Marcelo Veni, o mesmo do Prêmio Hangar de Música, resolveu criar o prêmio Dosinho de Carnaval, no qual serão distribuídas premiações divididas em categorias para escolas de samba, blocos, orquestras de frevo e eventos (prévias ou não) . É praticamente um estandarte de ouro versão Natal.

O nome é uma homenagem ao compositor potiguar que faleceu em 2012.

Mas claro que teria uma coisa bem Dosinho: marchinhas carnavalescas. O regulamento será divulgado na próxima segunda-feira (6).  A intenção é incentivar a criação artística da cidade, que já teve um dos maiores carnavais do Brasil.

Como vai ser julgado? Ele terá um grupo de pessoas circulando nos lugares que acontecerão as festas em Natal (Rocas, Redinha, Ribeira e Ponta Negra). Essa equipe vai indicar, sugerir e apontar quem foram os destaques da folia de momo papa-jerimum.

A festa da premiação já está marcada e irá acontecer no dia 7 de março no auditório do SESC de Cidade Alta. Os vencedores receberão um troféu e é aberto ao público, no qual haverá um show em homenagem ao compositor potiguar e apresentação das marchinhas finalistas.

Dosinho neste ano completaria 90 anos.

Sobre o compositor

Nascido no município de Campo Grande (na época era Augusto Severo), no dia 24 de dezembro de 1927, Claudionor Batista de Oliveira começou a sua carreira fazendo composições para campanhas publicitárias e políticas. As marchinhas, frevos e sambas de Dosinho animam as festas há décadas. Continuou compondo canções até o fim de sua vida.

Além de marchinhas, ele foi o compositor do hino do ABC. Durante a sua carreira, ele compôs 168 músicas, gravadas por diversos artistas, incluindo Alceu Valença.

As músicas mais famosas dele eram: “Eu não vou, vão me levando”, “Doido também apanha”, “Carnaval com Bin Laden” e “Dólar na Cueca”.

Este é o time de LoL criado por um clube de futebol de Natal

Parece que o futebol está cada vez mais interessado no universo do League of Legends, o LoL. Na noitr desta quinta-feira (2), o clube do ABC anunciou a formação do time de LoL, eles lançaram a ABC Stars, equipe de E-Sports do Mais Querido. Não é só o Ronaldo Fenômeno que está investindo em time do e-sport no Brasil.

Foto: Assessoria ABC

O motivo da criação do time é conquistar o mercado em plena expansão, que atrai milhões de jogadores e envolve bilhões em investimentos anuais e premiações. O grupo surgiu da fusão de duas equipes potiguares, a “Obscure” e a “Imagine Dragons”, que se juntaram no início do mês de janeiro com novos objetivos. Com o surgimento da organização, formada pelos dois times, o próximo passo foi se unir a uma grande marca e foi aí que apareceu o ABC.

Ao todo, o time é formado por 12 atletas. Os componentes são: os jogadores da posição Topo, Marcio ”Shy” Soares e Harthur ”Thefig” Moreira, os Caçadores da Rota da Selva, Thiago ”Suriel” Augusto e Vannuty ”Buried” Cabral, os jogadores da posição Meio, Bryan ”Capra” Ghusmam e Gabriel ”Gafiam” Medeiros, os Atiradores, Wagner ”Lightning” Barboza e Eric ”Kaih” Smiths, os Suportes, Amaury ”UryJ” Junior e Victor ”Sirius” Miranda, além dos Completers, Yan ”IPLS” Moura” e Lucas ”Imrush” Maia.

“Estamos nos preparando bem, esse é um ano de testes, mas com objetivos bem definidos. Nosso projeto é crescer e buscar participar das competições nacionais. Com isso, a chegada da marca ABC para nos impulsionar será uma grande aliada. Acreditamos que traremos maior visibilidade para nós e para o clube, além da possibilidade de atrair novos investidores, já que é um mercado que vem crescendo e movimenta muito dinheiro”, destacou Victor Miranda em entrevista a página do ABC.

No próximo dia 12 de fevereiro, a equipe estreia na Liga Norte-Riograndense de LoL pela Digicom, e depois, no final do mês, participará da primeira das quatro seletivas do SAGA, no qual a final está prevista para acontecer em abril, quando o evento de cultura pop está marcado para acontecer no Centro de Convenções, após algumas edições na Arena da Dunas.

Esta não é a primeira vez que investe em um esporte além do futebol, já que eles têm o Scorpions, um time de futebol americano.

Inspirado na Lady Gaga, Murilo Zatú lança seu zine neste mês

Eu quero o seu drama
O toque da sua mão
Eu quero o seu beijo sujo de couro na areia
Eu quero o seu amor
Amor, amor, amor

Lady Gaga – Bad Romance

A cantora Lady Gaga compôs Bad Romance em 2009 e foi inspirado pelo seu medo de relacionamentos insignificantes. Ao ouvir esta música enquanto fazia poemas para a sua primeira fanzine, o poeta Murilo Zatú descobriu que tinha escolhido o título, sendo que inverteu para “Romance Bad”, no qual será lançado no dia 16 de fevereiro, no Mahalila.

“Eu acho que as pessoas transcenderam e isso se reflete nos relacionamentos. Hoje em dia, vemos diversas facetas de relacionamentos que fazem pessoas, mais velhas, se questionarem sobre esses relacionamentos. Acho que existe mais liberdade, porém, ainda acho que se confunde bastante o amor”, afirmou o jovem.

Além da Lady Gaga, Zatú comentou que o zine nasceu em agosto do ano passado, numa viagem à Pipa. Conversando sobre relacionamentos com amiga, a ideia de escrever sobre o assunto apareceu. “Escrevi uma versão do zine em um dia, tamanha era minha inspiração. Mas depois descartei uns poemas e salvei outros para a versão que estarei lançando”, relatou.

São 13 poemas, onde são explorados o tema do erotismo e o sentimentalismo dentro de uma relação. O erotismo e o romantismo já fez parte do seu estilo de fazer poesia, no qual foram postados no zine “Iapois, Poesia”, que reuniu o maior número de poetas jovens em uma fanzine. No ano passado, ele participou da exposição “Pipocando”, que falamos no blog.

O jovem começou na poesia através da vontade de expressar o que estava pensando. “Um amigo me ajudou, conversando comigo e me fez perceber que, profissional, talvez seja no sentido de mostrar meus poemas para outras pessoas. Eu já venho fazendo isso há algum tempo. Esse zine, na verdade, é o primeiro trabalho que eu faço sozinho. Não sei se faço poesia de forma profissional, só sei que faço poesia. Decidi mostra-los ao público devido ao feedback que recebi de várias pessoas, me incentivando o trabalho poético.”.

Mas por que zine? Ele explica: “Por ser uma forma mais simplista e independente de mostrar meus escritos para o público. Um livro, no momento, não seria bem o que eu quero, até porque não tenho material suficiente. Optei pelo zine por eu mesmo estar sob o controle do meu trabalho. Realizei todas as etapas de produção sozinho, claro, com ajuda de amigos que estiveram presentes durante todo o processo criativo.”.

Além do lançamento do meu zine, também acontecera um sarau, com a participação de dois poetas que curto muito aqui, o Leonam Cunha e a Gessyka Santos.

Quer saber mais do poeta? Leia os seus textos no Zatu, rabisca acaso, que pode ser conferido neste link. Além do blog, também divulgo poemas no Facebook, mas pretende continuar lançando outros zines que já estão sendo projetados.