Sábado é dia de visitar o Mercado de Petrópolis

A gente sabe que sábado é dia de diversão, mas que tal conhecer o Mercado de Petrópolis? Ela fica no final da Avenida Hermes da Fonseca e neste sábado (14) haverá a segunda edição da Feira Livre, no qual promete reunir o melhor das apresentações artísticas, venda de discos usados, livros, exposições e dentre outras coisas.

Lá, o público terá inúmeras opções de visita, cultura e lazer. Com o intuito de promover o comércio local e a produção artística da cidade, a feira é realizada pelos permissionários do mercado e está aberta a participação de expositores.

A programação do encontro tem início às 10h e conta com:

– Feira de livros com a participação de sebos, editoras locais e autônomos;
– 24ª Feira de Vinil de Natal;
– Encontro de Brechós;
– “Exposição “Fotografando com os Sentidos”;
– Antiquários e Ateliês de Arte;
– Botecos e comidas regionais;
– JOFLES (discotecagem);
– Oficina de fotografia;
– Samba com Zé Eduardo (16h);

O Mercado de Petropólis existe desde a década de 60. Inicialmente, era um mercado onde vendia produtos alimentícios, mas ao longo do tempo começou a aderir uma veia mais cultural, com a chegada de estúdios, sebos, loja de discos e dentre outros eventos culturais.

Veja o teaser a seguir:

Serviço
Evento: Feira Livre
Data: 14 de janeiro (sábado)
Horário: 10h às 19h
Local: Mercado Cultural de Petrópolis

Pequena corrupção de cada dia e Lei de Gerson

Você já ouviu falar da Lei de Gerson? Gerson é o meio-campista que levou o Brasil ao tri. Nos anos 70, ele fez uma propaganda cujo bordão era: “O importante é levar vantagem em tudo, certo?”. Porém, esta frase se transformou em Lei de Gérson, no qual virou sinônimo de gente que gosta de passar por cima dos outros.

Não gostamos de nos associar à esta frase, mas estamos ligados. Infelizmente é o costume do brasileiro, no qual querem fazer atos ou dizer palavras bonitas para esconder o lado ruim. A ideia do “homem cordial”, que o Sérgio Buarque de Holanda dizia na década de 30 e sobre associação entre o brasileiro e a ética.  Engana-se que a corrupção veio nos últimos 20 anos.

As pessoas estão cansadas de ouvir sobre corrupção, ouvir novos escândalos políticos e outros crimes. Afinal, o que é corrupção?

corrupção

substantivo feminino

1. deterioração, decomposição física de algo; putrefação.

2. modificação, adulteração das características originais de algo.

3. fig. depravação de hábitos, costumes etc.; devassidão.

4. ato ou efeito de subornar uma ou mais pessoas em causa própria ou alheia, ger. com oferecimento de dinheiro; suborno.

5. uso de meios ilegais para apropriar-se de informações privilegiadas, em benefício próprio.

É o ato ou efeito de se corromper, oferecer algo para obter vantagem em negociata onde se favorece uma pessoa e se prejudica outra. É tirar vantagem em um “projeto de poder” atribuído.

Na hora de dar entrevista e aparecer na mídia, todas querem loas a sua responsabilidade social corporativa e boa cidadania. Na hora de declarar imposto, de desempatar alguma pendenga judicial ou de conseguir autorização para obras, estão todas atrás do primeiro Rocha Mattos de plantão para livrar-lhes a cara, já que, em meio à nossa barafunda legal, a propina é questão de sobrevivência e só ela faz a economia andar.

Helio Gurovitz

A corrupção é diária e corriqueira. O ato de uma pessoa com boas condições físicas em estacionar numa vaga destinada ao deficiente físico é crime de corrupção. Furar a fila para poder ir mais rápido é corrupção. Andar na contramão para fazer um atalho também.  Mas, por fora a gente quer esconder isso.  Protestamos pelo fim da corrupção, mas bate alguém que pensa diferente. Ou pior, quer mostrar uma imagem irreal.

Você já contou quantas escapadinhas deu hoje? Quantas vezes você estacionou no acostamento para falar com alguém no celular?  Já fingiu de ser doente para faltar o trabalho pelo fato de não gostar do emprego? Jogou lixo na rua? Desejou a morte de um criminoso?

Nas redes sociais, a gente posta imagens da nossa família feliz e unida, mas cada um fica em seus quartos sem se dialogar. A mãe diz que ama o filho, mas lhe mata e manda o marido lhe carbonizar por ser gay. Diz que ama sua esposa, mas liga para a prostituta procurando sexo diferente e chegando a agredi-la de diversas formas por estar nesta função.

Atropela uma motociclista por andar na contramão embriagado, mas tenta se esconder atrás de um pagamento de uma fiança caríssima ou usa suas influências para conseguir “ficar com a ficha limpa”.

As desculpas são as mesmas: “Foi Só Mais Cinco Minutinhos”,”Tava Com Pressa”, “A gente quer fazer coisa escondida mesmo”…

Outros ainda possuem a audácia de dizer que prefere ser corrupto, pois “ser bom é ruim”.

Em público, todo possuem a obrigação de ter um comportamento impecável, assim como um terno costurado pelo melhor alfaiate. Mas, eles não seguem. Utilizam o politicamente correto para esconder as suas hipocrisias.

Pouca gente sabe que essas corrupções escondidas também prejudicam os outros, causando acidente de carros e motos, cadeirantes não têm acesso aos lugares públicos pela falta de estacionamento, prostitutas são mortas diariamente deixando várias famílias ao relento, crescimento da homofobia e desigualdade social crescendo.

Enfim, a corrupção não tem a ver apenas por partido A ou B. Não adianta gritar “Fora, fulano”, se você comete corrupção todo dia. Parece que estou generalizando, não é? Mas não estou. A corrupção é diária.

São destes pequenos atos que vêm os grandes problemas. E olha que não é a primeira vez que falo disso.