Dois filmes natalenses estarão no maior festival LGBT do país

Cinema Sem categoria
Compartilhe:

Foto: Paulo Fuga/Divulgação

O Festival MixBrasil de Cultura da Diversidade, que acontece anualmente em São Paulo, colocará na sua programação dois filmes potiguares que trazem como temática LGBT, que são “Cuscuz Peitinho”, do Rodrigo Sena, e “Ainda Não Lhe Fiz Uma Canção de Amor”, dirigido pelo jornalista Henrique Arruda. Este ano será a 24ª edição do Festival e dois filmes potiguares serão exibidos na Terra da Garoa.  O evento vai acontecer entre os dia 9 a 20 de novembro.

Neste ano, entre os longas brasileiros, oito produções foram selecionadas e concorrerão ao Troféu Coelho de Ouro. Sobre os curtas-metragens nacionais, quinze filmes de nove estados serão exibidos na programação.  Desde 1993 traz para o Brasil os destaques da produção cinematográfica do gênero e leva para dezenas de festivais, em todo o mundo, filmes nacionais.

O “Ainda Não Lhe Fiz Uma Canção de Amor” conta a história do casal Greg e Alessandro, interpretado pelos atores Arlindo Bezerra e Pedro Fassanaro. Um é fotógrafo e o outro é músico. A história se passa em Natal mesmo. Durante 15 minutos, Henrique trata de uma forma simples sobre o surgimento de um amor e a sua crise. O casal começa a entrar em crise após  o questionamento do motivo não ter uma canção de amor que retrate o casal.

Greg é um músico que gosta de jazz, curte Billie Holiday, Amy Winehouse e Belle & Sebastian. É um cara hipster. Embora tenha consumido todo tipo de música, toca gaita nas noites natalenses e é formado em música pela UFRN. Alessandro, por sua vez, é fotógrafo. O filme narra a história dos encontros e desencontros que permeiam o relacionamento dos dois.

“Ainda” tem chance de concorrer ao prêmio de melhor curta do festival. A seguir, confira os filmes brasileiros selecionados para as mostras competitivas do Mix Brasil 2016:

LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS:

A Cidade do Futuro, dirigido por Cláudio Marques e Marília Hughes (BA)

A Destruição de Bernardet, dirigido por Claudia Priscila e Pedro Marques (SP)

Antes o Tempo Não Acabava, dirigido por Sérgio Andrade e Fábio Baldo (AM)

Divinas Divas, dirigido por Leandra Leal (RJ)

Entre os Homens de Bem, dirigido por Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros (SP)

Lampião da Esquina, dirigido por Lívia Perez (SP)

O Ninho, dirigido por Marcio Reolon e Filipe Matzembacher (RS)

Waiting for B., dirigido por Paulo Cesar Toledo e Abigail Spindel (SP)

MOSTRA COMPETITIVA BRASIL DE CURTAS-METRAGENS:

A Gis, dirigido por Thiago Carvalhaes (SP)

A Vez de Matar, A Vez de Morrer, dirigido por Giovani Barros (MS)

Ainda Não lhe Fiz Uma Canção de Amor, dirigido por Henrique Arruda (RN)

De Repente, dirigido por Bruno Caldas (DF)

Diamante, O Bailarina, dirigido por Pedro Jorge (SP)

Em Defesa da Família, dirigido por Daniella Cronemberger (DF)

Horizonte de Eventos, dirigido por Gil Baroni (PR)

Ingrid, dirigido por Maick Hannder Lima Porto (MG)

Love Snaps, dirigido por Daniel Ribeiro e Rafael Lessa (SP)

O Último Dia Antes de Zanzibar, dirigido por Filipe Matzembacher e Marcio Reolon (RS)

Ocorridos do Dia 13, dirigido por Débora Zanatta e Estevan de la Fuente (PR)

Os Cuidados que se tem com o Cuidado que os Outros Devem ter Consigo Mesmos, dirigido por Gustavo Vinagre (SP)

Piscina, dirigido por Leandro Goddinho (SP)

Rosinha, dirigido por Gui Campos (DF)

Rua Cuba, dirigido por Filipe Marcena (PE)

O Cuscuz Peitinho, por sua vez, foi selecionado para a programação de curtas que serão apenas exibidos e não concorrerão aos prêmios, junto com outras produções que serão divulgados a seguir:

14705694_913444675457259_3079870158100891115_n

Cuscuz Peitinho já falamos aqui no Brechando. Nesta produção, eles contam a história de uma pessoa da periferia que vive com a tia conservadora e trabalha numa fábrica de cuscuz com tapioca (daí vem o nome!) e faz amizade com um colega de trabalho. Então, o mesmo aproveita a ausência da sua parente para se descobrir.

O curta foi feito, inicialmente, no formato guerrilha. O que significa isso? Elaborado sem a ajuda de edital ou algum patrocinador. As gravações começaram em setembro do ano passado e terminou em fevereiro. Apesar das dificuldades, eles conseguiram finalizar a produção com o edital de Economia Criativa do Sebrae.

Cena de "Cuscuz Peitinho" (Foto: Divulgação)
Cena de “Cuscuz Peitinho” (Foto: Divulgação)

Há mais de duas décadas, o festival realiza diversos debates sobre a questão LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) no Brasl e no mundo, a partir de palestras, performances musicais, peças de teatros e filmes nacionais e também internacionais.  O objetivo da feira é reunir pessoas que querem pensar e reconhecer as múltiplas expressões do amor e do desejo.

“O Ornitólogo”, que valeu o prêmio de melhor direção ao português João Pedro Rodrigues em Locarno, vai abrir o 24º Mix Brasil, festival de cultura LGBT que começa em São Paulo no próximo dia 9.

O filme vem causando frisson em festivais com sua história sobre a via-crúcis radical e erótica de um homem que se perde numa floresta no norte de Portugal e se depara com católicas chinesas adeptas de fetiches e um pastor gay chamado Jesus.

O Mix aproveitará a vinda do diretor ao país para exibir outros filmes de sua carreira, como “O Fantasma” (2000) e o curta “Parabéns!” (1997).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.