13 13America/Bahia abril 13America/Bahia 2016 – Brechando

Vereador discute com os professores em sessão na Câmara de Natal

O vereador Luiz Almir se envolveu em uma polêmica após chamar os professores que acompanhavam uma audiência na Câmara de “bestas”. O vídeo da sessão que aconteceu na tarde desta terça-feira (13) e contou com a presença da Secretaria Municipal de Educação, Justina Iva, está sendo um dos mais assistidos e comentados nas redes sociais. A discussão era sobre as aulas que seriam repostas após a greve dos professores da rede municipal.

Esta não é a primeira vez que o vereador se mete em polêmica sobre educação. Durante a votação do Plano Municipal de Educação, ele era um dos críticos de uma das questões do documento no qual queria discutir sobre preconceito de gênero e opção sexual, no qual Almir disse que era contra pois “ensinaria putaria às crianças”.

O vídeo pode ser conferido a seguir:

As professoras, por sua vez, realizaram um outro vídeo pedindo respeito do político:

Em fevereiro, os professores entraram em greve no qual reivindicavam calendário de pagamento da reposição salarial, correção do piso salarial, além de rediscutir o reordenamento da rede de ensino.  A paralisação da categoria aconteceu apenas uma semana após o ano letivo de 2016. A categoria defendeu que houve quebra de um acordo firmado em 2013 entre professores e a Prefeitura.

Após um mês de greve os professores da rede municipal de Natal decidiram suspender a greve.  Dentre os pontos de reivindicação da categoria, foram atendidos apenas: a promoção de 334 educadores infantis, 49 promoções para os professores de Ensino Fundamental, além de compromissos para o pagamento de quinquênios e de melhorias financeiras para a categoria.

Sobre os demais pontos, a secretária Justina Iva, alegou a que grave crise econômica enfrentada pelo Município e a retirada de parte dos recursos federais do Rio Grande do Norte do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) pesam para que os outros pontos não sejam tendidos.

Fotógrafo potiguar teve seu Instagram invadido

O fotógrafo Paulo Fuga anunciou no seu Facebook que teve uma de suas contas do Instagram invadida por um hacker. O caso aconteceu nesta segunda-feira (11). Além disso, o perfil foi deletado. A página em questão, intitulada de “Sem Nome Fotografia”, era destinada aos nus artísticos masculinos que o Fuga estava produzindo e faria parte de uma futura exposição. Vale lembrar que o jovem é conhecido pelo trabalho de fotos que usa o nu como uma linguagem corporal.

O perfil foi criado em fevereiro deste ano e era um espaço onde o jovem poderia fazer uma pesquisa sobre o nu masculino (seguindo outros fotógrafos de mesma temática) com aqueles quem curtem a ideia. “Vários amigos, e pessoas que viraram amigas depois de ser fotografadas, me permitiram usar seus corpos para tentar entender o outro, a imagem e o corpo”, afirmou o jovem em sua conta no Face.

No ano passado, ele realizou uma exposição com nu feminino, “Flores do Mais” (fruto do trabalho de conclusão de curso). Neste ano, o fotógrafo está produzindo fotos masculinas para o projeto chamado chamado “homme”, no qual algumas fotos foram postadas no Instagram deletado.

Conta foi deletada por um hacker
Conta foi deletada por um hacker

Não é a primeira vez que Paulo teve problemas nas redes sociais por conta do seu trabalho, pois cada vez que posta algo do tipo no meu Facebook alguns usuários denunciam uma de suas fotos.

Uma das fotos que tinha no Instagram deletado (Foto: Paulo Fuga)
Uma das fotos que tinha no Instagram deletado (Foto: Paulo Fuga)

Neste momento, Paulo Fuga está rodando algumas cidades do Rio Grande do Norte com o seu projeto chamado “Cartografia do Afeto”, no qual envolve oficinas de fotografia e uma exposição itinerante por 15 cidades do Estado. Ela fala sobre a infância e será feita junto com mais dois fotógrafos do interior que moram na capital.

“Perdi o material que tinha lá, as contas que seguia e serviam de pesquisa, os contatos e tudo mais. Realmente não imagino quem possa ter feito isso, desde que comecei a fazer fotos de nu tenho sido censurado e denunciado, mas nunca algo do tipo aconteceu”, comentou o jovem no recado no Face, visto que as fotos “mais pesadas” eram postadas em seu Tumblr.

Apesar dos problemas, ele vai continuar postando o seu trabalho nas redes sociais, principalmente no Instagram, Facebook e Tumblr.

“Não, eu não vou parar, nenhum conteúdo do Instagram era explícito, isso fica no Tumblr, só peço desculpa a quem seguia a conta, vou me reestruturar e voltar com um outro nome (não posso usar o antigo). Vai ter homem nu sim, em galeria, na internet, vai ter corpo em todo canto”, finalizou o Fuga em seu recado.